Page 1

GUIA

DO ESTUDANTE Sétima edição • outubro de 2015 • www.tnpetroleo.com.br

Entrevista exclusiva:

Jorge Camargo, presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP)

Educação e capacitação são os caminhos para o futuro da indústria

Especial: Mercado de Trabalho

APLICATIVOS FACILITAM A VIDA DOS PROFISSIONAIS E AJUDAM A POUPAR TEMPO


*

70 ANOS DE EXPERIÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA A INDUSTRIA.

Programa de Avaliação Externa do SENAI (DDE/GPE).

MAIS DE 90% DAS EMPRESAS PREFEREM PROFISSIONAIS FORMADOS PELO SENAI*.

CURSOS QUE UNEM TEORIA E PRÁTICA EM LABORATÓRIOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO.

VENHA SE PREPARAR PARA O MERCADO DE PETRÓLEO E GÁS COM QUEM MAIS ENTENDE DA INDÚSTRIA. VENHA PARA O SENAI. CONDIÇÕES ESPECIAIS PARA EX-ALUNOS DO SENAI, FUNCIONÁRIOS DA INDÚSTRIA E SEUS DEPENDENTES. Visite nosso estande na OTC Brasil 2015 – Pavilhão 3 | G15.

Saiba mais: www.cursosenairio.com.br | 0800 0231 231* | 4002 0231** Ligações gratuitas de telefone fixo no estado do Rio. **Custo de ligação local.

*


Sumário Entrevista exclusiva com

Jorge Camargo,

presidente do IBP

Educação e capacitação são os caminhos para o futuro da indústria

4

SUPLEMENTO ESPECIAL TN PETRÓLEO 103 SÉTIMA EDIÇÃO, 10/2015 Ilustrações: Freepik.com

2 Editorial 18 IBP e Jovens Profissionais 21 Profissional do Futuro 25 Profissional capacitado, por Karine Fragoso

26 Perfil – Victor Couto Alves 30 Carreira

12

Artigo especial

mais importante de uma empresa, por Alexandre dos Reis

34 Noruega: esse é o país! 36 Por dentro de uma FPSO 39 Fatores Humanos, o novo

por Alessandra Simões

desafio do QSMS, por Fabiana Roseira

Como preparar um

perfeito

32 Gerir pessoas é gerir o ativo

42 Aplicativos facilitam a vida

22

dos profissionais e ajudam a poupar tempo

44 Comportamento:

Empresas incentivam esportes out-company

46 Profissões em alta: Compliance


Editorial

O melhor momento é

AGORA

CHEGAMOS A MAIS UMA EDIÇÃO do Guia do Estudante com a certeza de que o setor de petróleo e gás, apesar do momento desafiante que atravessa, traz muitas oportunidades de aprendizado para quem atua ou quer atuar nele. Ouvimos profissionais e especialistas do mercado, e o resultado foi um conteúdo inteligente e integrado, que proporcionará uma experiência de leitura completa, além de trazer material diversificado para pesquisa e informações orientadas à prática. Tudo com o intuito de ajudar jovens profissionais a adquirir conhecimento e conquistar uma boa colocação no mercado. Educação e capacitação são os caminhos para o futuro da indústria, segundo Jorge Camargo, presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), que nos concedeu entrevista exclusiva. Apaixonado pela profissão que escolheu, é um profissional de destaque, além de exemplo de dedicação ao setor. Sobre a crise, ele afirma que é temporária, e que as perspectivas de futuro para a indústria continuam brilhantes. Na mesma linha de pensamento, investir em educação e capacitação é um dos temas tratados no artigo de Alexandre Reis, superintendente do Sesi, diretor regional do Senai e diretor executivo de Operações. A indústria de Petróleo e Gás, segundo afirma, possui necessidades e especificidades que demandam constantes atualizações dos profissionais. Ele chama a atenção de gestores e organizações sobre os gastos com treinamentos e desenvolvimento dos seus colaboradores, que devem ser vistos como investimento em capital humano, e não como custo de folha salarial. O Guia do Estudante traz ainda dicas sobre planejamento de carreira, mostra como preparar um currículo perfeito e como se posicionar em relação à crise, em um mercado competitivo como o de hoje. Nesta edição, você também vai conhecer uma FPSO por dentro, em deta-

Guia do Estudante TN Petróleo

lhes, e ver como é trabalhar a bordo de uma delas. Vai viajar para a Noruega e saber mais sobre a indústria do petróleo na terra dos Vikings. E vai aproveitar a praticidade dos Apps gratuitos, que facilitam o dia a dia de profissionais e estudantes. O Guia testou alguns deles e listou os mais funcionais. Na coluna Profissional de Sucesso, entrevistamos o tecnólogo em petróleo e gás Victor Couto Alves, de 26 anos, presidente do Comitê Jovem do IBP, blogueiro e coordenador de contratos e serviços da FMC Technologies há quatro anos. Com vários cursos de extensão, ele atualmente faz graduação em Engenharia de Produção e conta como fez para ingressar na carreira. Vale a pena conferir! Uma boa leitura. Lia Medeiros Siga-nos no twitter: @GEstudante e até o próximo!

Rua Buenos Aires, 2/406, Centro

CEP 20070 022 – Rio de Janeiro – RJ – Brasil Tel/fax: 55 21 2224-1349 www.tnpetroleo.com.br

tnpetroleo@tnpetroleo.com.br

DIRETOR EXECUTIVO Benício Biz - beniciobiz@tnpetroleo.com.br DIRETORA DE COMUNICAÇÃO Lia Medeiros (21 98241-1133) liamedeiros@npetroleo.com.br EDITORA Beatriz Cardoso (21 99617-2360) beatrizcardoso@tnpetroleo.com.br EDITOR DE ARTE, CULTURA E GASTRONOMIA Orlando Santos (21 99491-5468) REPÓRTER Felipe Salgado (21 98247-8897) felipe@tnpetroleo.com.br Mehane Albuquerque mehane@tnsustentavel.com.br RELAÇÕES INTERNACIONAIS Dagmar Brasilio (21 99361-2876) dagmar.brasilio@tnpetroleo.com.br DESIGN GRÁFICO Benício Biz (21 99194-5172) beniciobiz@tnpetroleo.com.br PRODUÇÃO GRÁFICA E WEBMASTER Laércio Lourenço (21 2224-1349) laercio@tnpetroleo.com.br REVISÃO Sonia Cardoso (21 3502-5659) editaretextos@gmail.com.br DEPARTAMENTO COMERCIAL José Arteiro (21 99163-4344) josearteiro@tnpetroleo.com.br Rodrigo Matias (21 2224-1349) matias@tnpetroleo.com.br ASSINATURAS: (21) 2224-1349 assinaturas@tnpetroleo.com.br CTP e IMPRESSÃO: Walprint Gráfica DISTRIBUIÇÃO Benício Biz Editores Associados Os artigos assinados são de total responsabilidade dos autores, não representando, necessariamente, a opinião dos editores. O Guia do Estudante TN Petróleo é dirigida a estudantes de nível técnico e superior.


Entrevista exclusiva

Educação e capacitação são os caminhos para o

FUTURO da indústria “QUANDO ESCOLHI MINHA

havia grandes dúvidas se tinha

carreira, não tinha a menor ideia

mesmo petróleo ou não. A tecno-

do que era. Fiz geologia e tenho

logia estava engatinhando. Nós

dificuldade de orientação em

vivemos uma verdadeira saga.

campo. Então, apareceu uma

Quando entrei na Petrobras, o

oportunidade na Petrobras para

Brasil produzia 150 mil barris/dia.

geofísico, que trabalha menos em

Vimos esse número crescer para

campo, e fiz essa escolha. Entrei

2 milhões. É um salto enorme.

BIOCOMBUSTÍVEIS (IBP),

no setor de petróleo sem conhe-

Poucas indústrias oferecem isso.

FARIA TUDO DE NOVO.

cer os detalhes, e o futuro se

E poucas gerações puderam tes-

revelou muito mais interessante

temunhar um crescimento desse

do que eu poderia supor”, diz ele.

tamanho”, conta.

SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO, O GEÓLOGO JORGE CAMARGO, PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DE PETRÓLEO, GÁS E

IGUALZINHO. APAIXONADO

Ele destaca que o Brasil

PELA PROFISSÃO, ELE

coincidiu com o início do cresci-

cresceu na produção e, ao

SEGUIRIA A MESMA

mento da indústria de petróleo no

mesmo tempo, ganhou prestígio

Brasil. Na época, ninguém fazia

internacional.

TRAJETÓRIA E ASSUMIRIA Guia do Estudante TN Petróleo

O começo de Jorge Camargo

AS MESMAS ESCOLHAS PROFISSIONAIS, SEM MUDAR NADA. MESMO SABENDO QUE PARA CHEGAR AO TOPO É PRECISO SUAR MUITO A CAMISA Por Mehane Albuquerque

ideia dos rumos que essa história

“Éramos esquecidos. De

iria tomar. Os dois — Jorge e o

repente, na década de 70, com a

petróleo brasileiro — cresceram

Bacia de Campos, começamos a

juntos. O profissional construiu e

aparecer como um país na frontei-

vem consolidando sua trajetória

ra do desenvolvimento tecnológi-

ao longo dos últimos 38 anos. E

co. Passamos a ser notados pela

o petróleo, durante esse tempo

tecnologia offshore, que era uma

[quem diria?], surpreendeu a

coisa impensável naquela época

todos, revelando novas reservas

para um país de terceiro mundo,

que colocaram o Brasil em posi-

como era considerado o Brasil”.

ção de protagonista no cenário energético mundial.

Formado em geologia pela Universidade de Brasília, Jor-

“Minha geração teve o

ge Camargo tem mestrado em

privilégio de assistir a toda essa

geofísica pela Universidade do

transformação. Naquela época,

Texas. É presidente do Institu-


membro da diretoria executiva da

Biocombustíveis (IBP) desde abril

Petrobras, responsável pela área

deste ano, e membro dos con-

internacional. Em 2003, ingres-

selhos de administração da Mills

sou na Statoil, inicialmente como

Engenharia e da Prumo Logística

vice-presidente sênior, na sede

Global. Também é membro dos

em Stavanger, na Noruega. E de

conselhos consultivos da Energy

2005 a 2009, foi presidente da

Ventures e da Nexans do Brasil.

Statoil no Brasil.

E atua como consultor sênior

Autor do livro Cartas a um

da Karoon Petróleo e Gás, e da

jovem petroleiro, publicado em

McKinsey&Company do Brasil.

2012 (Elsevier Editora), Jorge tem

Antes disso, trabalhou por 27

outra paixão além da profissão:

anos na Petrobras, no Brasil e no

contar suas experiências para os

exterior, onde exerceu as funções

iniciantes na carreira. O livro reú-

de diretor de exploração e produ-

ne casos, personagens, opiniões,

ção; e depois, de presidente da

impressões, recordações e apren-

Braspetro. De 2000 a 2003, foi

dizados do autor. Fala um pouco

O Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) é uma das associação sem fins lucrativos, fundada em 21 de novembro de 1957, que representa empresas dos setores de petróleo, gás e biocombustíveis no Brasil, visando fomentar a competitividade e desenvolvimento destes setores a nível nacional. O IBP participa de audiências públicas junto ao Governo Federal a fim de consolidar normas para regulamentação, tributação e fiscalização, além de realizar cursos e eventos para profissionais e empresas no país e no exterior como a Rio Oil & Gas Expo and Conference.

Guia do Estudante TN Petróleo

to Brasileiro de Petróleo, Gás e


mudou. Mas, apesar da crise, os fundamentos da indústria não mudaram. A quantidade de petróleo que foi descoberta no Brasil é real. O pré-sal está produzindo 800 mil barris/dia. Em 2012, tudo estava apenas começando e havia muitas dúvidas. Hoje, a produção é de 20, 30 mil barris/ dia por poço. Uma marca dez vezes superior do que a média. O pré-sal, agora, parece ainda melhor do que parecia naquela época, em termos de produtividada história da indústria no Brasil,

de e de economicidade”.

do pré-sal e dos modelos regulatórios. E trata de temas como

CRISE – “Muita coisa mudou

liderança, comunicação, mérito,

com a crise, mas a indústria

valores pessoais e corporativos.

é cíclica. O preço do petróleo

O Guia do Estudante conver-

mesmo nos ciclos de baixa, e

livro, e também sobre carreira,

mesmo que esses ciclos se man-

petróleo, crise e Brasil. Para os

tenham por mais tempo, ainda

jovens profissionais que querem

assim, o petróleo é econômico.

chegar lá, ele manda um recado:

Ele tem um preço que torna essa

“Trabalhem duro e nunca

província uma das mais com-

deixem de estudar. Capacitação

petitivas do mundo. Eu acredito

é tudo”.

que a crise é temporária e será

Confira os principais trechos

Guia do Estudante TN Petróleo

sempre tem altos e baixos. Mas

sou com Jorge Camargo sobre o

superada. Em grande parte, ela

da conversa:

está relacionada à Petrobras,

O LIVRO – “O que mais me

que atualmente está se rees-

motivou foi o contato com jovens

truturando. Embora isso tenha

em palestras que fazia a convite,

provocado um efeito dominó

principalmente, do IBP. Gosto de

por toda a cadeia, é uma crise

ver os profissionais em come-

temporária. As perspectivas de

ço de carreira, com os olhos

futuro continuam brilhantes.

brilhando, cheios de curiosidade.

Na indústria com um todo,

E eu também, ao mesmo tempo,

não existe outra capaz de ofe-

muito curioso para saber o que

recer tantas oportunidades de

vai acontecer na vida deles...

investimento, emprego e receita

Estava de férias e tive a ideia de

para o governo, como a do petró-

organizar os textos das palestras

leo. O Brasil tem muitas oportu-

para um volume da série ‘Car-

nidades, mas nenhuma delas na

tas para um jovem’. Isso foi em

mesma escala que a indústria do

2012. De lá para cá, muita coisa

petróleo pode oferecer”.


QUEM ENTRAR NA CARREIRA DE PETRÓLEO VAI TOMAR UMA BOA DECISÃO. A PROFISSÃO JÁ É INTE-

ESTÍMULO À INDÚSTRIA –

RESSANTE E AGORA, COM AS NOVAS DESCOBERTAS

“A indústria nesse momento precisa de apoio fiscal e regula-

DO PRÉ-SAL, VAI FICAR MAIS AINDA. NESTE MOMEN-

mentação. Estamos começando

TO, NÓS ESTAMOS VIVENDO O MELHOR E O PIOR

um novo ciclo e é o momento

DA INDÚSTRIA. O PIOR, POR CONTA DA CRISE. E O

de repensar a regulação existente. Com pequenos ajustes

MELHOR: NUNCA NO BRASIL TEVE

regulatórios teremos condição

TANTO PETRÓLEO DESCOBERTO.

de duplicar ou triplicar o volume de investimentos e, com isso, dar uma alavancada na econo-

conta da crise. E o melhor: nun-

mia brasileira, criar empregos,

ca no Brasil teve tanto petróleo

exportar. É uma indústria que

descoberto. São 60 bilhões de

tem capacidade de aquecer a

barris a serem produzidos e mais

economia do país como nenhu-

ainda por achar. Nunca tivemos

ma outra”..

esse volume. Não é um petróleo fácil de extrair, vai exigir tecno-

CARREIRA DE PETRÓLEO –

logia. Mas isso não é obstáculo.

“Quem entrar na carreira de

Quanto mais avanço tecnológico,

petróleo vai tomar uma boa

mais eficiente, seguro e barato

decisão. A profissão já é inte-

o petróleo fica. E coloca o Brasil

ressante e agora, com as novas

na ponta.

descobertas do pré-sal, vai ficar

O país será a maior deman-

mais ainda. Neste momento,

da de tecnologia, e acredito que

nós estamos vivendo o melhor

a maior oferta também. Porque

e o pior da indústria. O pior, por

é aqui que vão se formar os

começo da vida, com dedicação.

Dicas do autor

para a carreira

Não ter pena de si mesmo. Deixar que a sua mãe tenha pena de você. Tem que ralar”.

“Ter valores. As empresas mais longevas são as que têm valo-

res fortes. A gente vive no Brasil uma crise moral, então é pre-

ciso entender que sem valores morais uma carreira acaba, uma empresa acaba, um país acaba”.

“Estudar, investir em capacitação, procurar se colocar no mercado. Há

menos vagas neste momento, mas elas continuam existindo. Enquanto

isso, se qualificar, fazer mestrado, aprender inglês. É fundamental saber a língua inglesa hoje, e até investir em um segundo idioma. Quem hoje

não sabe inglês neste setor é praticamente um analfabeto profissional”.

Guia do Estudante TN Petróleo

“Trabalhar duro no


A INDÚSTRIA PRECISA MUITO DE PROFISSIONAIS DE NÍVEL TÉCNICO. CARECE DE SOLDADORES , OPERADORES DE REFINARIAS, OPERADORES DE PRODUÇÃO EM PLATAFORMAS, MERGULHADORES, PESSOAL PARA BARCOS DE APOIO, PESSOAL DE LOGÍSTICA. PRECISA DE TÉCNICOS PARA TOCAR ESSAS ÁREAS. MAS TODOS TÊM QUE TER UM BOM NÍVEL DE

Guia do Estudante TN Petróleo

FORMAÇÃO.

centros de pesquisa. É onde irão

Então, entender a geologia de

se instalar os pesquisadores, os

reservatórios carbonários é uma

técnicos, as ideias, porque aqui

área muito interessante na pes-

é onde está a maior demanda.

quisa. Com o petróleo a grandes

Então, nós temos um fantástico

profundidades, precisamos de

potencial de recursos de petróleo

uma sísmica especial. A sísmica,

e gás a ser desenvolvido, além

então, é outra área em expansão.

de uma província extraordinária,

O pré-sal tem desafios logísticos

que vai exigir evolução tecnológi-

fabulosos, a 300 quilômetros da

ca. Nós temos hoje pouco mais

costa. A Bacia de Campos já era

de 2 milhões de barris/dia. Tenho

muito longe, a 150 quilômetros.

certeza que vamos chegar a mais

Tem que levar gente, equipa-

de 5 milhões. Porque temos re-

mento, estudar como isso tudo

servas para isso. O Brasil já é um

funciona. Então, a logística é uma

produtor importante. Nós vamos

área que também precisa de so-

duplicar ou triplicar essa produ-

luções. Temos o gás misturado ao

ção nos próximos 20, 30 anos. A

óleo e é necessário tratar. O que

mensagem principal é: vão em

fazer com o gás, como levar, e a

frente. Vocês estão numa carreira

própria cadeia do gás, como um

muito interessante.

todo, também representa outro

É uma indústria de tecnologia. Por isso, requer conhecimento,

enorme desafio, não só tecnológico, mas comercial”.

estudo. Muitos jovens que saem da escola querem logo ser chefe. É

NÍVEL TÉCNICO – “A indústria

muito comum nos eventos encon-

precisa muito de profissionais de

trar jovens assim, que querem ser

nível técnico. Carece de solda-

o CEO. Nem bem se formaram e já

dores , operadores de refinarias,

querem ser presidente. Acho baca-

operadores de produção em pla-

na ter uma missão, mas é preciso

taformas, mergulhadores, pessoal

construir a carreira. Inicialmente,

para barcos de apoio, pessoal

tem que ser um bom técnico, um

de logística. Precisa de técnicos

bom gerente, para começar a

para tocar essas áreas. Mas todos

entender a fundo o seu negócio, e

têm que ter um bom nível de

o dos outros também. Não basta

formação. O trabalhador pouco

ter uma visão particular, tem

qualificado não encontra lugar na

que ter também uma visão mais

indústria do petróleo . São profis-

abrangente”.

sões bem remuneradas, que têm sistema de folgas, recompensas

PESQUISA – “Hoje, o grande

por confinamento, e é uma in-

alavancador de pesquisas no

dústria atraente para o profissio-

Brasil é o pré-sal, que apresenta

nal de nível médio, mas onde a

os maiores desafios tecnológi-

qualificação faz muita diferença.

cos. O reservatório sísmico é

Quanto mais qualificado, mais

quase um milagre geológico, um

chance de encontrar emprego,

carbonato totalmente diferente.

seguir carreira e se colocar.


O profissional de nível médio já empregado deve continuar investindo em educação. O mundo de hoje é extremamente competitivo. O acomodado será sempre preterido em relação ao outro que tem interesse em se qualificar, em entender melhor o seu negócio, entender o negócio dos outros. Para ser um bom técnico é importante saber bem o que faz, mas olhar para o lado também. Ver o que o seu colega está fazendo, para entender como funciona o todo. Um dia, se precisarem de um supervisor para cuidar de uma determinada área, vão chamar quem ? Quem conhece a sua área e a dos outros também. Então, é preciso se especializar, mas man-

crescimento em petróleo e gás,

ter uma visão geral.

indiscutivelmente. Passamos por uma crise, preços baixos, falta de investimento, a questão do

na massa’... Tem que botar a

marco regulatório que temos que

mão na massa, sim. Tem que

resolver. Mas não tenho dúvida

arregaçar a manga e trabalhar,

de que o Brasil irá crescer. O

conhecer a fundo a indústria.

mundo é muito dinâmico, e a

O chamado ‘chão de fábrica’ é

todo momento somos surpre-

muito importante. Portanto, tem

endidos. A última surpresa foi o

que começar de baixo, conhecer

xisto americano, que provocou

os processos, entender o traba-

queda no preço do petróleo.

lho de outros profissionais de

O clima também é outro fator

áreas diferentes da sua. Tem que

de vulnerabilidade. A evolução

conhecer bem a indústria, que

da indústria mundial será um

é complexa e tem uma cadeia

reflexo da política ambiental

produtiva muito grande. Quanto

global. A área ambiental está in-

mais conhecer a indústria, me-

timamente ligada à indústria do

lhor o profissional será ”.

petróleo e cada vez mais acompanhada de perto, para evitar

FUTURO – “A indústria ainda

impactos nas comunidades onde

vai gerar muita oportunidade.

as empresas operam, acidentes,

Com o volume de reservas

vazamentos... Ao mesmo tempo,

descobertas e as que ainda

é uma indústria muito técnica,

temos por descobrir, o Brasil se

onde os níveis de segurança são

torna um dos polos mundiais de

incrivelmente altos.

Guia do Estudante TN Petróleo

Alguns querem pular etapas: ‘ah, eu não quero botar a mão


Em termos ambientais,

WALTER LINK – Contratado pela Petrobras na década de 1960, o geólogo americano ficou conhecido no cenário petrolífero nacional pelo seu “Relatório Link”, no qual deu conselhos para a exploração de petróleo no Brasil para a empresa, indicando quais os melhores caminhos a seguir para a extração com sucesso do óleo. Nos documentos, citou, por exemplo, que os investimentos da Petrobras deveriam estar na prospecção no mar e não da terra. Hoje, mais de 80% da produção de petróleo do Brasil vêm do mar.

o grande desafio é o CO2. As

visão errada, nossa imagem

emissões na extração, produção

não é boa. Somos vistos como

e consumo do nosso produto. A

um setor que só busca lucro. E

indústria irá demandar profissio-

não é bem assim... Queremos

nais qualificados para atuar nas

levar o conhecimento dessa in-

áreas de sequestro de carbono,

dústria ao jovem, atrair o maior

e as empresas também vão ter

número de novos profissionais

que se moldar a essas novas

para o setor. Por isso, em todos

exigências ambientais que estão

os eventos que realizamos te-

surgindo.

mos sempre uma janela aberta

Com tantas mudanças, as

para o público mais novo. O

empresas de petróleo de hoje

Profissional do Futuro é uma

provavelmente estarão irreco-

dessas janelas.

nhecíveis daqui a algum tempo.

Em segundo lugar, quere-

Como uma empresa de agora

mos apresentar o IBP como

seria irreconhecível, se compara-

um centro de excelência em

da ao passado. Se você pegasse

formação profissional. Além de

alguns dos pioneiros do petróleo

atuar no desenvolvimento da

no Brasil, um Walter Link ou um

indústria de modo geral, o IBP

Décio Odonne, e os trouxesse

também quer desenvolver as

DÉCIO ODDONE – Em

ao mercado hoje, eles não iriam

pessoas que trabalham nessa

março de 1961, antes da

entender nada...

indústria. Esses são os nossos

saída de Link, foi criado por decisão da diretoria da Petrobras, um grupo de trabalho composto pelos geólogos Pedro de Moura e Décio Oddone, para a reavaliação do Relatório Link.

Guia do Estudante TN Petróleo

conhecida. As pessoas têm uma

A nova geração está mais

pilares. Queremos ser vistos

bem preparada para as mu-

não como o único, mas como

danças que virão. Vivemos em

um dos melhores e mais concei-

um mundo conectado. Grandes

tuados centros de formação.

transformações estão sendo

Para isso, oferecemos cursos

Após a demissão do geólogo nor-

gestadas nesse momento. Coisas

de capacitação, de extensão,

teamericano, Pedro de Moura

inimagináveis, que não podemos

orientação de carreira, pales-

foi empossado como chefe do

prever, irão acontecer nas próxi-

tras. Colocamos profissionais

Departamento de Exploração.

mas décadas”.

experientes em contato direto

Juntamente com Decio Oddone, produziu o Relatório Moura-O-

com os jovens, e oferecemos IBP E FORMAÇÃO PROFIS-

bolsas de mestrado em áreas

SIONAL – Assumi oficialmente a

que consideramos estratégicas

lação ao de Link e poucas con-

presidência em abril, mas minha

para a indústria. Nossa agenda

testações aos resultados deste.

relação com o IBP é antiga.

prioritária destaca temas como

Tem mais de 15 anos. Já fui do

desenvolvimento de conteúdo

conselho, da diretoria, sem falar

local, licenciamento ambiental,

na atuação como palestrante em

multiplicidade de operadores,

eventos e cursos.

leilões e estabilidade regu-

ddone que, em linhas gerais, trazia poucas diferenças em re-

O grande objetivo do IBP

latória. Estamos otimistas e

hoje é chegar ao jovem, apre-

trabalhando muito. Em 2016, a

sentar a indústria a este pú-

palavra-chave do IBP será com-

blico. Nossa indústria é pouco

petitividade”.


Bem-vindo às nossas páginas. Obrigado por escolher a TN Petróleo!

Mais do que apenas informar sobre os novos cenários de petróleo e gás, a TN Petróleo ajuda a mostrar a história de pioneirismo desse mercado e os novos desafios enfrentados pela indústria brasileira do setor. As páginas da revista sempre apresentam aos

investidores – nacionais e estrangeiros – as oportunidades e o imenso potencial de nosso país. A impressão e o papel que seu anúncio merece! Não perca esta oportunidade. ANuNcie AgOrA!

contato

Tels.: +55 21 2224 1349 | 21 3786 8245

www.tnpetroleo.com.br


Mercado de trabalho

Por Mehane Albuquerque

Aquele algo mais que faz a diferença Guia do Estudante TN Petróleo

Enquanto as universidades, a cada semestre, despejam no mercado milhares de recém-formados nas mais diferentes áreas, as empresas, por sua vez, recebem toneladas de currículos de novos candidatos a uma vaga de emprego. Mas como fazem as companhias, os profissionais de RH e headhunters, neste caso, para escolher a pessoa certa para uma determinada colocação, em meio a um verdadeiro oceano de nomes e pessoas?


Guia do Estudante TN Petr贸leo

Foto: Anette Westgard - Statoil

Foto: BP


voluntário, envolvimento em causas sociais, ou participação em atividades culturais, são algumas delas. O tecnólogo em petróleo e gás Victor Alves, de 26 anos, que atualmente cursa engenharia de produção na Universidade Estácio de Sá, tem cursos de extensão em gestão de projetos, perfuração e coaching, e trabalha há 4 anos como coordenador de contratos e serviços da FMC Technologies (veja o perfil na página 26). Para conseguir emprego, porém, o que mais pesou não foi o fato de ter cursos de capacitação na área — o que já é uma premissa para entrar no mercado — mas, sim, ter criado um blog em 2008, o TecnoPeG, com o objetivo de orientar jovens para a carreira no setor. “Eu precisava de uma es-

Guia do Estudante TN Petróleo

tratégia para entrar no merDe acordo com Alessandra

cado. Sabia que precisava ter

Simões, executive search na

foco, inglês e networking. Foco

área de petróleo e gás, sócia

eu já tinha, sabia que queria

da Uphill — e que assina o

trabalhar no segmento de E&P

artigo ‘Como preparar um bom

embarcado, de preferência

currículo’, na página 22 — não

começando pela perfuração.

adianta apenas ter uma boa

O inglês, eu já estava estudan-

formação ou falar outro idio-

do, porém faltava o network-

ma. É preciso ter aquele “algo

ing. A solução encontrada foi

mais” que faz toda a diferença.

construir eu mesmo minha

“O candidato tem que ter

rede de networking. Ao criar o

uma boa história para contar,

TecnoPeG, não sabia direito o

precisa sair da zona de confor-

que iria acontecer, mas tinha

to e mostrar que é capaz de

uma vaga ideia de que iria

fazer mais do que se espera

me gerar alguma coisa boa.

dele”, explica.

E gerou. Todas as ofertas de

Sair da zona de conforto,

emprego que obtive no setor

segundo ela, significa atuar

foram por meio de pessoas

em outras frentes. Trabalho

que conheci através do blog.


Sem contar a oportunidade de participar do Comitê Jovem do IBP, que se interessou por mim justamente pela capacidade empreendedora que mostrei ao criar o TecnoPeG”, conta. Além de capacidade empreendedora, as pessoas passaram a notar em Victor resiliência e superação, por não se acomodar, criando as próprias oportunidades; e perceberam também o seu forte relacionamento interpessoal, aliado à capacidade de expressão. Ponto para ele, que encontrou um jeito diferente de mostrar seu valor, ao mesmo tempo

COMO ESTUDANTE DE ENGENHARIA DE PETRÓLEO E MEMBRO DA SPE, TENHO A POSSIBILIDADE DE ESTAR EM CONTATO COM TODAS AS NOVIDADES ACADÊMICAS E DA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO. ALÉM DE FAZER UM NETWORKING INCRÍVEL. Giselle de Vasconcellos Otoya

em que ajudou outros jovens a trilhar seus próprios caminhos. “Como estudante de enge-

Otoya, de 28 anos, se autode-

nharia de petróleo e membro

fine como “world citizen”. A

da SPE, tenho a possibilidade

cidadã do mundo nasceu no

de estar em contato com to-

Rio de Janeiro, mas já morou

das as novidades acadêmicas

em diferentes lugares: Curiti-

e da indústria do petróleo.

ba, Campina Grande (Paraíba)

Além de fazer um networking

e Buenos Aires (Argentina).

incrível”, conta ela.

Estudou na Inglaterra, em

Mas isso não é tudo. Giselle

Saffron Walden, tem formação

trabalhou como voluntária na

profissional em administração

Rio+20, através do programa

hoteleira e turismo e trabalhou

UN VOLUNTEERS (voluntários

offshore na Royal Caribbean

da Organização das Nações

Cruises, na rota Europa-Es-

Unidas — ONU); e na própria

tados Unidos-Caribe. Fala

SPE participa de várias campa-

fluentemente vários idiomas e

nhas sociais, como arrecada-

atualmente estuda engenharia

ção de alimentos e agasalhos,

do petróleo na Estácio de Sá

entre outras ações. Ela ainda

(UNESA), onde preside o Capí-

joga Petrobowl, uma compe-

tulo SPE naquela universidade.

tição internacional que tem

A SPE (Society Petroleum

formato de quiz, com pergun-

Engineer) foi fundada em

tas em inglês de conhecimento

1957, tem mais de 143 mil

técnico e geopolítico sobre

membros e está presente em

petróleo, e conhecimentos

147 países.

gerais sobre a SPE. Cada

A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (CNUDS), conhecida também como Rio+20, foi uma conferência realizada entre os dias 13 e 22 de junho de 2012 na cidade brasileira do Rio de Janeiro, cujo objetivo era discutir sobre a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável. Considerado o maior evento já realizado pela Nações Unidas, o Rio+20 contou com a participação de chefes de estados de cento e noventa nações que propuseram mudanças, sobretudo, no modo como estão sendo usados os recursos naturais do planeta.

Guia do Estudante TN Petróleo

Giselle de Vasconcellos


Capítulo da SPE tem um time com 5 jogadores. “O UNESA Petrobolw Team

to estudo, já que na indústria de petróleo e gás, a tecnologia

entre 200 universidades do

se torna ultrapassada em seis

Cerca de 77% dos empregadores hoje acredita que

as habilidades relacionadas à personalidade são tão importantes quanto as competências técnicas de um profissional. A conclusão é de uma pesquisa realizada pelo site de recrutamento norte-americano CarrerBuilder, que analisou respostas de 2.1 mil gestores e profissionais

fomos disputar a final (ATCE) em

meses”, observa. Outra estudante de engenharia de petróleo igualmente

Amsterdã, por falta

envolvida com

de patrocínio”, la-

a SPE é Alba

menta. Este ano, pela

Granja, de 26 anos, presiden-

primeira vez, a

te do Capítulo

qualificatória das

UFRJ. Equa-

seções Latino-ame-

toriana, ela

ricana e do Caribe

começou a se

foi sediada no Rio

interessar pelo Brasil quando fez

de RH nos EUA. A pesquisa mostrou que, para

de Janeiro e segun-

um curso de língua portuguesa.

16% dos entrevistados, as soft skills são até mais

do Giselle, foi um

Mas até conseguir vir estudar

Petrobowl de alto

aqui e ser aprovada para uma

nível nas perguntas

faculdade pelo MEC, dois anos

e também das equi-

se passaram. Enquanto isso,

pes participantes.

não teve dúvida: começou a

importantes do que a formação profissional. E para a maioria, o ideal é a conjugação dos dois fatores: a capacidade técnica e a personalidade certa para o cargo.

Quando inda-

Em uma entrevista de trabalho é importante salientar soft skills que transmitam a ideia do quanto um profissional é capaz de se adaptar, de resolver problemas, o quanto é confiável e se pode liderar e motivar os colegas. Mas não basta apenas falar. É preciso mostrar exemplos

Guia do Estudante TN Petróleo

será apenas o começo de mui-

qualificou-se em 15º lugar mundo, mas não

Soft skills

“Acredito que a graduação

práticos das situações que conseguiu resolver.

cursar engenharia do petróleo

gada se a SPE e o

em seu próprio país, caso não

Petrobolw podem

conseguisse aprovação para fa-

ajudá-la a conse-

zer o curso no Brasil. Isso foi em

guir um emprego

2007, quando só se falava em

no setor, ela conta

pré-sal, o que aumentou ainda

que não pensa

mais o desejo dela de fazer a

nisso. Seu maior

graduação em terra brasileira.

objetivo é o crescimento profissional.

Como presidente do Capítulo SPE/UFRJ, Alba tem várias

O que poderá surgir partir

missões, entre elas, aproximar

disso, será uma espécie de

a indústria da comunidade

“bônus” para a estudante,

acadêmica através de palestras,

que pretende fazer mestrado

cursos e também a realização

no Canadá, sempre buscando

da SPEtro (semana do petróleo).

a excelência em inovação,

“Tentamos viabilizar proces-

e nas soft skills (habilidades

sos seletivos de empresas da

relacionadas a aspectos da

indústria dentro da faculdade e

personalidade), que hoje são

também ajudamos economica-

muito levadas em conta por

mente aqueles alunos que vão

empresas na hora de escolher

apresentar seus trabalhos em

um profissional.

congressos”, explica.


Alba faz estágio no SAGE (laboratório da faculdade), dá aulas na escola dominical da igreja que frequenta, e atualmente organiza o próximo encontro de capítulos no LACPEC 2015 (Latin American and Caribbean Petroleum Engineering Conference), que será realizado em Quito. Ela também é voluntária da SPE no programa Energy4me, onde organiza palestras relacionadas à

Conheça as 10 “soft skills” mais valorizadas pelas empresas, de acordo com a pesquisa 1- Candidato tem fortes princípios éticos no trabalho................... 73% 2- Ser de confiança........................................................................ 73% 3- Ter atitude positiva.................................................................... 72% 4- Motivado.................................................................................... 66% 5- Com foco no trabalho em equipe............................................... 60% 6- Organização e gerenciamento de múltiplas prioridades................ 57% 7- Trabalhar bem sob pressão........................................................ 57% 8- Comunicador efetivo.................................................................. 56% 9- Flexibilidade............................................................................... 51% 10- Confiante e seguro de si.......................................................... 46%

indústria energética. Se antes pretendia começar a trabalhar logo depois de terminar a faculdade, agora mestrado em geologia. Mesmo assim, considera que sua participação na SPE será decisiva na hora de tentar uma vaga em empresas. “Com certeza é um diferencial forte, pois o envolvimento com o Capítulo nos possibilita fazer vários cursos online gratuitos, e isso nos ajuda a melhorar a competência técnica. Também oferece em sua nuvem, a OnePetro, uma ampla gama de artigos apresentados ao redor do mundo, que servem de fonte de pesquisa para vários trabalhos. E tem ainda os eventos que participamos, que ajudam no nosso networking. Meu objetivo, quando planejei minha carreira, era trabalhar embarcada, mas agora, com todas essas mudanças no setor, tudo vai depender do mercado. De qualquer modo, estou preparada para me adaptar a essas transformações”, avalia.

DICA DO GUIA DO ESTUDANTE – Seu currículo

está preparado para ser lido no celular? Uma pesquisa recente encomendada ao Ibope pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República mostrou que o acesso à internet via smartphone cresceu 65% em 2014, o que significa que o seu currículo poderá vir a ser visualizado por um empregador ou headhunter a partir de um dispositivo móvel. Sendo assim, ao elaborar o currículo tenha as seguintes coisas em mente: • Simplicidade: evite colunas, gráficos, imagens, cores e formatos diferentes. Menos é mais nesse caso, e o melhor é usar uma fonte tradicional – como a Arial – que facilitará a visualização do texto e tornará o conteúdo leve, facilitando o download. Sendo assim, evite artifícios que possam deixar o documento pesado. • Objetividade: textos longos não funcionam no celular. Seja curto e objetivo, e coloque o principal (conquistas e habilidades) no topo. O ideal é facilitar a leitura. Quanto menos for necessário rolar a página mais e mais abaixo para ler, melhor. • Interatividade: use hyperlinks. Faça isso, por exemplo, com seu e-mail e telefone de contato. • Antes de enviar, mande para você mesmo e verifique como o documento aparece na tela do celular. Se possível, faça o teste em dispositivos diferentes – iPhone e Android. Isso vai garantir que nada sairá errado.

Guia do Estudante TN Petróleo

pensa diferente. Quer fazer


IBP e Jovens Profissionais

Novos formatos

Novos tempos, novos temas,

INTERNET, REDES SOCIAIS,

sentido, pois a indústria preci-

dispositivos móveis, comunica-

sa constantemente se renovar.

ção instantânea e direta. Um

Só que antes, trabalhava com

mundo em constantes mu-

uma equipe mais reduzida. A

danças tecnológicas é o palco

criação da Gerência Executi-

onde os jovens interagem o

va de Relações Institucionais

tempo todo. Para acompanhar

— que abrange as áreas de

tantas transformações na

assessoria de imprensa, comu-

comunicação em tão pouco

nicação digital, comunicação e

tempo, e também para abrir

marketing, gestão do relacio-

mais canais de diálogo com

namento e relações governa-

estudantes e profissionais em

mentais — tornou nosso traba-

início de carreira, o IBP vem

lho mais ágil e mais adequado

adotando novas formas de se

ao momento atual, com a

relacionar com estes públicos.

entrada de novos profissionais

Guia do Estudante TN Petróleo

A formação e a capacitação

na equipe, e com a criação de

profissional de jovens para a

um novo pro-

indústria sempre foi um dos

jeto de comu-

focos do IBP, e uma de suas

nicação para

atribuições, além do desen-

os jovens,

volvimento do setor como um

que leva em

todo. Porém, para continuar

conta todas

a realizar sua tarefa na área de educação em sintonia com

essas transformações”, conta Rosângela

os novos tempos, algumas

Nucara, gerente executiva de

mudanças internas precisaram

Relações Institucionais.

ser feitas. “O IBP sempre entendeu

“Queremos nos aproximar ainda mais deste público e fazer

que o jovem é muito impor-

da nossa relação uma via de

tante e sempre atuou nesse

duas mãos. Queremos mostrar


que a indústria do petróleo é in-

Estar mais presente nas

teressante, que é uma indústria

universidades, levando pales-

altamente tecnológica, que não

tras aos campi e participando

é meramente poluidora, e que,

dos eventos que realizam —

ao contrário do que se pensa,

como as semanas de enge-

muitos esforços vêm sendo fei-

nharia, congressos e feiras

tos para mudar isso. E também

— é outro objetivo do IBP, que

queremos ouvir o que eles têm

também oferece palestras e

a nos dizer”, complementa.

cursos em sua sede, e mantém

Rosângela conta que a in-

um Comitê Jovem. Formado

ciativa de tornar mais interativa

por profissionais em início de

essa relação com os jovens foi

carreira, o comitê foi criado em

tomada a partir de conversas

2007, seguindo a iniciativa do

com os próprios estudantes,

Conselho Mundial de Petróleo

que falaram de seus desejos e

(WPC na sigla em inglês), com

expectativas. Nesse aspecto,

o objetivo de preparar jovens

dentro do projeto de comu-

para a indústria brasileira.

OTC BRASIL 2015 27-29 de outubro

nicação criado pela Gerência WPC Future Leaders Fo-

cionais, o primeiro passo foi a

rum 2016 – Outra iniciativa

reformulação do site do IBP.

importante do IBP foi a defesa

“Quando o primeiro website

da candidatura do Brasil para

do instituto entrou no ar não

sede da próxima edição do

existiam redes sociais e o Goo-

WPC Future Leaders Forum. O

gle estava apenas começando.

país foi escolhido pelo Conselho

Isso, em 2003”, ressalta ela.

Mundial de Petróleo e o evento,

Além de reformular o site,

voltado para jovens profissio-

tornando-o mais dinâmico, uma

nais em início de carreira, será

página no Facebook foi criada,

no Rio de Janeiro, junto à Rio

para o profissional do futuro,

Oil & Gas, nos dias 26 e 27 de

com o objetivo de facilitar mais

outubro de 2016. O tema será

ainda o acesso dos jovens às

“Futuros líderes: garantindo

informações, e também para

sustentabilidade para a indús-

divulgar fotos, vídeos e novi-

tria de energia”.

dades sobre eventos e ações,

“Nosso objetivo, ao reali-

INVESTIR EM EDUCAÇÃO CONTINUADA É MAIS UMA LINHA DE TRABALHO DO IBP, QUE OFERECE BOLSAS DE MESTRADO, DENTRO DAS ÁREAS DE INTERESSE DO

utilizando uma linguagem mais

zar o fórum juntamente com a

adequada a este público e às

maior conferência de petróleo e

SETOR, A ESTUDANTES COM

novas mídias.

gás na América Latina [a Rio Oil

ATÉ 30 ANOS. O PROGRAMA

O Profissional do Futuro

& Gas], é aproveitar a sinergia

também ganhou um formato

que os dois eventos podem ge-

diferente nos eventos, abrindo

rar”, afirmam os organizadores.

espaço para a interação mais

O WPC Future Leaders

EXISTE DESDE 2007 E ESTÁ EM SEU 9º CICLO, SOMAN-

direta entre os jovens e os

Forum acontece em diferentes

DO ATÉ AGORA 55 BOLSAS

convidados, que falam de suas

países, sempre em paralelo a

carreiras e da indústria.

grandes eventos da área de

CONCEDIDAS.

Guia do Estudante TN Petróleo

Executiva de Relações Institu-


petróleo. Contribuir para a

sionais em início de carreira e

sustentabilidade da indústria,

200 estudantes, abaixo dos 30

melhorar a imagem atual do

anos. Os temas que norteiam a

setor, gerar debates e re-

conferência são: liderança, ne-

flexão, atrair e reter jovens

tworking, sustentabilidade, tec-

profissionais, mostrar novas

nologia e inovação. Segundo o

tecnologias, além de oportu-

WPC, os jovens com este perfil

nidades de aprendizagem e

buscam participação em gran-

negócios, são os principais

des projetos, querem encarar

objetivos.

desafios, conhecer lideranças,

Guia do Estudante TN Petróleo

A expectativa de público é de 1 mil jovens: 800 profis-

Programa Bolsas de Mestrado IBP

promover mudanças e ganhar reconhecimento.

ATUALMENTE, TRÊS ESTUDANTES de mestrado desenvolvem trabalhos com auxílio do programa de bolsas do IBP. Na área de subsea, são dois estudos: desenvolvimento de sensor óptico para digitalização de formas 3D em ambiente submarino, de um aluno da UFSC; e pistas perceptivas para mapeamento e localização de robôs móveis em ambientes subaquáticos, de um aluno da FURG. Na área da agenda prioritária e de logística, um mestrando da UFRJ trabalha em um mecanismo que aumenta a eficiência propulsiva nas embarcações de transporte de óleo e gás.


Profissional do Futuro falta dessa proximidade. Recebiam

apenas “falar a mesma língua” que

sobre a indústria, mas tinham dúvi-

o mercado de trabalho, não basta eles. É preciso lhes dar voz para entender como pensam, o que

querem, quais são suas grandes

dúvidas e anseios. Por isso, o Profissional do Futuro está de cara nova. O objetivo da proposta continua o

empreendedor ou jovem profisio-

das. Agora, com o novo formato,

um caminho além dos concursos

eles poderão bater papo com

os profissionais, eliminando a

distância e tornando o contato mais informal”.

O primeiro narrador será sempre

mesmo, porém, o evento perde o

um executivo de carreira em alguma

ares de sala de aula, com os lugares

setor evoluir ao longo do tempo e

conceito de palestra formal e ganha dispostos em forma de arena, e onde os participantes podem, a

qualquer momento, interferir para esclarecer alguma dúvida.

Cada sessão tem agora três

convidados. Profissionais experientes em suas áreas, que irão falar de vivências e trajetórias. Quem

explica melhor é Bruna Baitello, coordenadora de Gestão do Relacionamento do IBP:

“Os convidados farão o que

chamamos de narrativas curtas, que duram 18 minutos. Queremos criar

grande empresa. Alguém que viu o

que tem muitas histórias para contar. Neste momento, em especial, ele

públicos, enquanto outros de-

monstram os desafios e oportunidades no início de carreira na

indústria. E que o empreendedo-

rismo, além de ser mais uma porta de acesso ao mercado, oferece

muitas possibilidades, especialmente para aqueles de espírito independente.

E o terceiro narrador, segundo

Bruna, será um profissional da área

“A crise não vai durar para

tará de assuntos relativos à carreira,

dades que o setor enfrenta.

sempre. Com o excesso de

informação na

mídia, os jovens

acabam forman-

de Recursos Humanas (RH), que tradará dicas de mercado e mostrará o caminho das pedras para quem quer conseguir um emprego.

“Eles orientarão os jovens

do uma ideia

sobre como se preparar para

está acontecen-

cias bastante específicas; a bus-

limitada do que do, e perdendo a visão de que

se trata apenas de um momento

sobre suas experiências. Os jovens

essa mensagem que esse profis-

do Profissional do Futuro sentiam

nal. Algumas narrativas apontarão

também falará de crise e das dificul-

um ambiente de conversa, onde os narradores falam em tom pessoal

O segundo narrador, será um

sempre muito material informativo

desafiador, porém, passageiro. É sional irá levar”, afirma Bruna.

essa indústria, que tem exigên-

car oportunidades na internet e

nas redes sociais, otimizando as ferramentas virtuais existentes; e a se posicionar em relação às mudanças cíclicas do setor e à crise atual”.

Guia do Estudante TN Petróleo

PARA EDUCAR OS JOVENS para


Foto: Freeimages

Como preparar um

perfeito O Curriculum Vitae, CV, em Latim quer dizer: “História de uma vida”. O CV, fazendo de uma longa história curta, tem como objetivo apresentar a experiência do profissional para

Guia do Estudante TN Petróleo

um empregador e/ou recrutador de forma a despertar o interesse do recrutador em conhecer mais sobre o perfil do profissional apresentado no CV.

Alessandra Simões é sócia-fundadora da consultoria UpHill Executive Search, formada em Engenharia Civil com ênfase em Produção e mestre em Engenharia de Produção pela PUC-Rio.

QUANDO O TEMA É elabo-

páginas deve ter, como se

ração de um bom currículo,

deve descrever as experiên-

seja ele de um profissional

cias pessoais, o que deve ser

muito experiente ou de um

mencionado etc. O número

recém formado, surgem mui-

de incertezas é proporcional

tas perguntas a respeito. To-

a quantidade de sugestões

dos querem saber o que deve

de modelos de currículo vitae

constar, quais as informações

que podem ser encontradas

mais relevantes, quantas

no mercado.


gum padrão ou modelo a ser se-

posição que você gostaria de

ria das pessoas acredita que

No íntimo, a grande maio-

guido para se ter um CV melhor?

ocupar e, da mesma forma,

seu CV poderia ser melhor do

Não, não existe! Existem algu-

dando menos importância

que é, melhor formatado, no

mas sugestões de modelo, mas

àqueles projetos que con-

padrão mais atual, com infor­

não existe o certo ou o errado.

tribuiriam pouco para o seu

mações mais recentes ou até

Há alguns modelos que são mais

próximo desafio de carreira.

mesmo com informações mais

utilizados e os outros modelos

relevante. Resumo da ópera:

que não são tão comuns.

se isso serve de algum confor-

Lembro que o mais impor-

Dado que não existe uma regra sobre como deve ser um bom CV, em seguida

to, você não é o único a estar

tante no CV é apresentar sua

forneço algumas dicas que

insatisfeito com o seu CV.

experiência de forma clara e

podem tornar seu CV mais

objetiva, destacando os proje-

interessante para o mercado

tos de maior relevância para a

de trabalho, são elas:

Dito isto, a mais importante pergunta talvez seja: existe al-

Pensar no conteúdo Dica 1:

Antes de começar a descrever suas experiências, invista um pouco de tempo para pensar como você quer que as pessoas percebam você. Relembre com calma as principais passagens de sua vida profissional, quais foram as mais relevantes e quais te proporcionaram maior aprendizado.

Não deixe de pensar também na posição que você gostaria de ocupar. A pergunta é: para esta posição, que informações seriam mais importantes e deveriam estar em destaque no seu CV? Depois de investir um tempo refletindo sobre suas experiências e como elas podem ser correlacionadas aos futuros desafios, tente elaborar uma lista com as informações que não podem ficar de fora do seu CV. Caso você ainda não tenha tido nenhuma experiência profissional, descreva as atividades extracurriculares que você participou, trabalhos voluntários que liderou, eventos que organizou etc. Tente apresentar por meio de exemplos quais as competências que você tem, especialmente aquelas que são as mais marcantes no seu perfil. O CV basicamente deve ser composto por 5 tópicos, são eles: Cabeçalho – No cabeçalho devem constar informações pessoais e de contato, ou seja, nome, telefone, email, endereço, data de nascimento, estado civil e nacionalidade.

Pode parecer óbvio mas não custa nada lembrar que é muito importante ter essas informações claras e mantê-las sempre atualizadas. Experiência profissional – Descreva os principais projetos que participou e qual foi o seu papel nestes projetos. Lembre-se de dar maior destaque as experiências que podem contribuir mais para posição que você deseja ocupar. Formação Acadêmica – Cite a instituição de ensino, o curso e a data de finalização da graduação ou outro curso de especialização. Não é relevante colocar informações sobre outas formações que não sejam graduação ou segundo grau técnico.

Guia do Estudante TN Petróleo

Organize o conteúdo Dica 2:


Cursos – Cite apenas os cursos que você julgue relevante para a posição a qual deseja ocupar. Idiomas – Mencione o idioma e seu nível de fluência naquela língua.

Alguns modelos sugerem ainda itens como: resumo da qualificação, cargo pretendido, softwares conhecidos etc. Outra dica ainda sobre organização do conteúdo é que usualmente as informações em um CV são sempre organizadas de forma que a informação mais importante venha primeiro que a informação menos importante.

Dicas gerais Dica 3:

Evite fazer CV em excel ou power point, assim como evite formatar seu CV tipo tabela; Atenção ao colocar foto no seu CV. Coloque sempre uma foto com pose profissional, evite fotos em festas ou com roupas muito informais;

Não há necessidade de colocar no CV a remuneração atual nem a pretensão salarial; Da mesma forma, não é necessário colocar referencias profissionais no CV; O CV não precisa ter necessariamente 2 páginas, se você entender que não tem informação relevante para encher 2 páginas coloque em 1 página. O mais importante é a informação ser apresentada de forma clara e objetiva!

Manter o CV sempre atualizado e disponível Dica 4:

Revisão ortográfica

Guia do Estudante TN Petróleo

Dica 5:

Essa dica parece óbvia mas não é menos importante que as outras, às vezes, o tempo de envio do CV pode ser um diferencial em um processo seletivo.

Como CV é um documento importante e conta um pouco sobre como você é, é importante que ele não tenha exemplos de falta de atenção ou falta de capricho com o material apresentado.

É importante enfatizar tam-

nal, trabalho voluntário ou em

Procure ser claro, verda-

bém que o CV deve retratar a

uma empresa júnir, iniciação

deiro, preciso e direto. Afinal,

realidade. Não adianta tentar

científica ou qualquer outra vi-

como já foi dito, as caracte-

contar uma história mais boni-

vência profissional que mereça

rísticas de um bom CV muitas

ta que a realidade apenas para

destaque, coloque no seu CV

vezes se confundem com as

ser chamado para a entrevis-

apenas sua formação acadêmi-

características de um bom

ta. Na entrevista a realidade

ca e faça uma breve apresen-

profissional e são, na essência,

aparecerá. Um bom CV retrata

tação sobre você.

aquilo que você deve transmi-

a realidade, ou seja, o profis-

Para terminar, é importante

sional é tão bom quanto o CV o

dizer que tempo é um recurso

descreve!

cada vez mais escasso nas em-

Se, por acaso, você ainda

tir para alguém de quem você espera conseguir um emprego. Agora que você já sabe

presas. Use bem o tempo de

fazer um bom CV. Mãos a obra

não teve oportunidade de ter

quem vai ler o seu CV! Menos

e boa sorte no seu próximo

alguma experiência profissio-

é mais, na maioria das vezes.

processo seletivo!


Profissional capacitado

a chave do desenvolvimento da indústria

APESAR DO ACHATAMENTO dos

companhias e não devem sair da

tras variáveis internas, a posição de

A capacidade produtiva da sua

preços do barril do petróleo e de ou-

pauta das demais empresas.

destaque do Brasil no que diz respeito

força de trabalho, o seu conhecimen-

ploratório não é, em nada, afetada.

numa concorrência ou no desenvol-

a suas reservas e a seu potencial ex-

to específico, é o que irá diferenciá-la

Para que se alcance a produção

vimento de um processo ou produto

total da fronteira do pré-sal, que hoje

inovador. O mesmo acontece quando

um profissional é avaliado. Será mais Foto: Coresia Senai

de barris de óleo equivalente em

reservas, serão necessários, além

dos projetos já existentes, mais de

USS 1 trilhão em investimentos e

bem avaliado aquele com um perfil mais atraente, que agregou novas competências em sua formação.

Outra característica altamente

muito desenvolvimento tecnológico

produção, mas em todo o entorno,

restritiva dessa indústria é a necessi-

Por esses motivos, o Brasil se

balho que torna possível a realização

sitos de segurança além das especi-

ancorados em megaprojetos.

mantém entre um dos principais des-

tinos desse jogo, apesar de, nesse momento, carecer de um arranjo

como, por exemplo, para fazer o trade uma Rodada de Licitações com sucesso e assertividade.

As oportunidades são para profis-

regulatório mais favorável ao inves-

sionais de diferentes carreiras, sejam

em volume de reservas provadas,

rizadas nessa indústria, como: segu-

timento externo. Somos o 15º país o que atrai qualquer economia que tenha carência desse recurso.

Dessa forma, a capacitação dos

nossos profissionais é fundamental para que possamos dar conta das atividades que serão demandadas

no planejamento, gestão e acom-

panhamento dos projetos que vão

elas de formação técnica - bem valorança do trabalho, elétrica, ambiental, mecânica, metalurgia, entre outros;

sejam elas de graduação, como: geofísicos, geólogos, engenheiros - de diversas especialidades, advogados,

da língua inglesa para disciplinas e

negociações. Os profissionais são a chave para o desenvolvimento desse mercado e devem alcançar alta

capacitação em gestão de projetos e contratos, se desejarem atingir posições de chefia ou direção.

Por isso, não pare! Siga adiante!

Nesse ambiente, o conhecimen-

Profissionais bem preparados e

manutenção e o fortalecimento da

somente para as atividades fins de

Também é importante o domínio

muitas outras formações.

to e a preparação são vitais para

qualificados não serão necessários

ficidades requeridas pela indústria.

economistas, administradores, entre

surgir com a exploração e produção desses campos.

dade de cumprir determinados requi-

agregar valor ao profissional. A capacitação da mão-de-obra são preocupações constantes das grandes

Karine Fragoso é gerente de Estratégias de Mercado de Petróleo e Gás do Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro).

Guia do Estudante TN Petróleo

está estimada em mais de 80 bilhões


Perfil VICTOR COUTO ALVES 26 anos

Guia do Estudante TN Petróleo

Jovem profissional de

SUCESSO COMO INGRESSOU NA ÁREA DE PETRÓLEO Estava concluindo o ensino médio, em 2006, e já se falava bastante do COMPERJ, que seria instalado em Itaboraí e beneficiaria bastante a

financeiro. Assim, consegui 100% de bolsa pelo PROUNI, na Estácio.

PLANEJAMENTO DE CARREIRA

Nunca planejei de manei-

população de São Gonçalo,

ra formal minha trajetória

onde eu morava. Incentivado

na área de petróleo e gás.

pela minha mãe, quando fiz

Pensava, inicialmente, em

o ENEM, optei por essa área,

passar por todas as áreas

com perspectiva de retorno

dentro de E&P, perfuração,


FORMAÇÃO – Tecnólogo em Petróleo e Gás. Atualmente cursando Engenharia de Produção na Universidade Estácio de Sá. Tem cursos de extensão em Gestão de Projetos, Perfuração e Coaching PROFISSÃO – Coordenador de Contratos e Serviços O QUE FAZ – Responsável pelo suporte às operações do cliente no segmento de Surface, coordenando de forma eficiente os recursos (pessoal e material) necessários para as operações em campo e em terra — desde o planejamento até a cobrança dos serviços realizados — garantindo o cumprimento das normas aplicáveis (compliance) e do contrato EMPRESA – FMC Technologies TEMPO DE SERVIÇO – quatro anos OUTRAS ATRIBUIÇÕES – Coordenador do Comitê Jovem do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e blogueiro produção, subsea, etc. De

para o meu ativismo dentro

preferência offshore, para ter

do setor de Petróleo e Gás no

a tão falada experiência de

Brasil.

em ter a perspectiva do fornecedor e do cliente, para entender as necessidades e

PREPARAÇÃO PARA O MERCADO Observei estrategicamente

desafios de cada um. Com

o que era necessário para

esta experiência, poderia

entrar na área de petróleo

enfim passar o conhecimento

e poder crescer nela. Em

para os outros, e ser um pro-

primeiro lugar, procurei aper-

fissional de destaque na in-

feiçoar meu inglês, pois sabia

dústria. Desse meu planeja-

que era importante. Já na

mento, vejo que já passei por

faculdade, identifiquei que

algumas áreas dentro de E&P

o networking era fundamen-

(construção e montagem,

tal. Logo, busquei construir

perfuração, completação),

redes de relacionamento

e atualmente tenho atuado

que poderiam ser benéficas.

ativamente em importantes

Em paralelo a isso, estava

associações do setor, como

sempre pesquisando e lendo

IBP e SPE, contribuindo assim

sobre o setor, bem como

Guia do Estudante TN Petróleo

campo. Pensava, também,


procurando cursos de es-

conheci pessoas, que por sua

trabalhar numa área como a

pecialização, para ser mais

vez me ajudaram a dar os

de suporte ao cliente, onde

fácil me recolocar, visto

primeiros passos na indús-

é necessário executar cada

que minha graduação era

tria. A partir dai, fui galgando

operação de forma perfeita,

genérica. O resultado dessa

meu espaço.

sabendo que o nosso pessoal

busca por conhecimento foi a criação do Tecnopeg (http:// tecnopeg.net/), um blog especializado na indústria do

Minha primeira experiência

retorna em segurança pra casa, é muito gratificante.

OBJETIVO PRINCIPAL OU META FINAL

petróleo, no qual usava para

foi offshore, cerca de um

compartilhar todo conteúdo

ano e meio atuando na UTC

útil que encontrasse sobre

e na Transocean. O fato de

a meta final, ainda mais

o setor e minha profissão, e

ter trabalhado embarcado

no mundo atual, onde as

que foi um grande divisor de

me ajudou a conhecer as

mudanças são constantes.

águas na minha carreira.

operações em uma platafor-

Na sociedade contemporâ-

ma. Com seis meses traba-

nea, onde a única certeza

lhando embarcado na FMC

que temos é a mudança,

OPORTUNIDADE DE TRABALHO

Guia do Estudante TN Petróleo

TRAJETÓRIA PROFISSIONAL

É difícil afirmar qual seria

Technologies, meu gerente

eu diria que meu objetivo

Definitivamente não foi

identificou uma oportunidade

principal é me tornar um

fácil encontrar um emprego.

no suporte a operações, pois

ser humano melhor e um

Primeiramente porque não

tenho formação em gestão

profissional mais desenvol-

se achava vagas específicas

e é difícil encontrar profis-

vido a cada dia. E repassar

para Tecnólogo em Petróleo

sionais que tenham conheci-

o que sei a outras pessoas.

e Gás, pois até hoje não é

mento técnico e habilidades

Um dos objetivos tangíveis

uma profissão regulamen-

em gestão. Desde então,

que tenho é o de me tornar

tada. Ainda mais porque a

com humildade, vontade de

um CLO/CKO (Chief Lear-

Petrobras não a aceitava em

aprender e espírito colabo-

ning Officer/ Chief Knowle-

seus concursos, como até

rativo, tenho assumido cada

dge Officer) de uma grande

hoje. Logo, se naquela época

vez mais responsabilidades.

multinacional, além de

você fosse procurar uma

Hoje, sou responsável pela

consultor especializado em

vaga para Tecnólogo, dificil-

área de suporte ao cliente,

energia. Também pretendo

mente encontraria. E quando

coordenando a equipe de

ser conferencista interna-

encontrava, pedia uma certa

campo e respondendo pelos

cional, professor e atuar

experiência, que na época

resultados.

junto ao governo nas ques-

não tinha. A solução encontrada por mim foi entender o mercado e onde eu, como Tecnólogo em Petróleo e Gás,

SATISFAÇÃO NO TRABALHO

Sou definitivamente apaixo-

tões relativas à energia.

COMITÊ JOVEM DO IBP

Sou coordenador desde 2013.

poderia trabalhar, não se

nado pelo que faço. Trabalhar

Estamos passando por uma

limitando ao que a Univer-

numa área onde diversas

reformulação com o intui-

sidade e o mercado dizia.

habilidades e conhecimen-

to de expandir a atuação,

Em resumo, eu diria que eu

tos multidisciplinares são

envolvendo mais pessoas e

busquei a minha oportuni-

exigidos, me obriga a estar

empresas. O comitê tem hoje

dade. Criei o blog, busquei e

sempre melhorando e isso é

15 membros atuantes. Jovens

compartilhei as informações,

fascinante. Além disso, poder

que se destacam em suas


xonados pelo que fazem, e estão na indústria do petróleo e energia não somente pelos

MENSAGEM PARA ESTUDANTES DE NÍVEL MÉDIO O estudante precisa ter

salários, mas porque se preo-

FIN: FOCO, INGLÊS e NE-

cupam com sua continuidade,

TWORKING. FOCO, pois ele

e entendem a importância

precisa saber onde quer

dela para o desenvolvimento

atuar e ser determinado pra

do país e do mundo.

conquistar seus objetivos.

“O ESTUDANTE PRECISA

Numa área tão vasta e mul-

TER FIN: FOCO, INGLÊS E

O QUE É E O QUE FAZ

tidisciplinar como a nossa,

O Comitê Jovem do IBP é

é necessário se especializar

NETWORKING. FOCO POIS ELE

uma comissão de jovens

em algo e se dedicar para

profissionais do setor, criado

se destacar nesse assun-

PRECISA SABER ONDE QUER

no Brasil em 2007 pelo WPC,

to. Afinal, sem experiência

ATUAR E SER DETERMINADO

com o objetivo de desen-

profissional, você só tem seu

volver e preparar novos

conhecimento. Ao entrar,

PRA CONQUISTAR SEUS

profissionais para assumir

com o passar do tempo, você

a indústria. Dentre nossas

vai vendo onde melhor se

atividades, destaco o plane-

adapta e pode vir até a mu-

jamento de eventos e ações,

dar de área ou se aprofundar

com objetivo de estimular o

na que está. INGLÊS, pois é a

desenvolvimento da carreira

primeira língua da indústria.

não tem experiência profissio-

e o interesse pela indústria

Hoje é impensável desejar

nal, é necessário se destacar

de petróleo dos participan-

trabalhar numa ou para uma

de alguma forma. Seja tendo

tes, buscando sempre a sus-

multinacional, e não ter a

um ótimo CR, seja se dedi-

tentabilidade do setor. Como

mínima compreensão da

cando e se especializando

resultado de nossas ações,

língua inglesa. NETWORKING,

em uma área ou disciplina

já levamos mais de 2,5 mil

pois como em qualquer

específica da sua faculdade,

jovens estudantes para as

outra área da nossa vida, ter

escrevendo artigos sobre isso

edições do programa Pro-

bons contatos é fundamen-

por exemplo. Ou participando

fissional do Futuro, desde

tal. Eu diria que eles podem

de grupos e associações estu-

2008; e aproximadamente

encurtar distâncias e remo-

dantis que sejam relevantes,

1 mil profissionais em even-

ver barreiras. Podem ser a

e tenham a ver com a área

tos de networking e pales-

ponte para sua tão sonhada

profissional que você deseja

tras, desde 2007. No ano

vaga no setor. Porém, não se

atuar. Exemplos: SPE, AIE-

que vem, organizaremos

engane, um bom networking

SEC, Empresas Juniors, ONGs.

o Future Leaders Fórum,

não é puxar saco das pes-

Experiências como essas

evento internacional para

soas, nem conhecer mil

fazem o estudante da gradu-

jovens profissionais do setor

pessoas. É uma via de mão-

ação desenvolver habilidades

de petróleo e energia, que

dupla: da mesma forma que

importantes para o futuro

tem por objetivo discutir

espera que as pessoas lhe

profissional, tais como lide-

questões do setor e o papel

ajudem, ajude-as também.

rança, trabalho em equipe,

dos jovens na construção do

Seja relevante para sua rede

trabalho sob pressão, escrita,

futuro da indústria.

de relacionamento.

colaboração e ética.

OBJETIVOS. [...]” DICA PARA QUEM ESTÁ NA GRADUAÇÃO Quem está na graduação e

Guia do Estudante TN Petróleo

áreas profissionais, são apai-


Carreira

Você planeja sua carreira? Sabe exatamente o que fazer para alcançar suas metas? O que é mais importante nos dias de hoje: planejar a carreira ou garantir um emprego? Como se posicionar em relação à crise?

Planejamento, preparo e determinação

SÃO ESSENCIAIS

AS DÚVIDAS, PARA quem não tem ex-

objetivos aumenta,

entrevista, deixe claro sua expectati-

o mercado, são muitas. A boa notícia

Cadorin, gerente

manter a calma durante a conversa,

periência e se prepara para enfrentar é que é possível construir uma car-

reira sólida, apesar das incertezas, se o jovem estiver bem preparado,

da Hays, empresa

de recrutamento e

seleção. Mas as or-

se tiver determinação e se souber

ganizações querem outras coisas,

Elaine Saad, vice-presidente da

de também é levada em conta

exatamente o que quer. Associação Brasileira

Guia do Estudante TN Petróleo

segundo Caroline

de Recursos Huma-

nos (ABRH-Nacional), diz que é preciso começar a planejar antes da graduação, e

destaca a importância da chamada

além de boa formação. “A atitu-

quando se avalia o potencial de um candidato que ainda não tem

experiência, além do perfil com-

va de fazer parte do projeto. E tente

pois o nervosismo pode atrapalhar a avaliação do recrutador”, orienta.

Elen Souza, assessora de carreiras da Catho, empresa de consultoria em RH, afirma que

o profissional precisa ser “dono de sua

própria carreira”. Isso

portamental, pois para cada em-

significa tomar as rédeas da situação

se encaixa”, diz Caroline.

em mente que emprego e carreira

presa existe um perfil que melhor Ela aconselha que o jovem conhe-

para construir o próprio futuro, tendo

podem ter significados e impactos

“visão de helicóptero”.

ça a empresa onde quer ingressar,

de onde possa enxergar mais am-

e sobre a cultura da organização.

pregos que culmina com a realiza-

conexões entre seus conhecimentos

capacidade acabam se acomodando

“O jovem tem que olhar de cima,

plamente, e não se fixar apenas naquele momento específico que está vivendo”, ensina.

Se o profissional for bem pre-

parado, a chance de atingir seus

colete informações sobre projetos “Durante a entrevista, busque fazer

(ainda que teóricos) com o que você

identificou em suas buscas. Mostre-se interessado, questione, participe da

diferentes na vida de cada um.

“A carreira é uma série de em-

ção maior. Profissionais com grande

em empresas onde não são felizes, cumprindo horários para conseguir pagar contas no fim do mês”, observa


“Trace caminhos para chegar

reconheçam nos colaboradores o

tabeleça metas: fazer cursos de gra-

maior. Só assim, irão compreen-

coach e diretora da

onde quer dentro da organização. Es-

Em momentos de

duação e especialização; aprender

Outliers Careers.

crise, trocar o sonho de uma carreira por

um emprego qualquer, que garanta

segurança imediata, pode acontecer. “Nesse caso, é preciso parar e se perguntar: o que aconteceu com

meus sonhos? E não desistir de tentar”, afirma Madalena.

Segundo ela, muitos se acomo-

dam e deixam os planos para trás. Entretanto, só percebem que possuem um emprego, e que não estão

investindo em carreira, depois de muito tempo. “Quando você para

de se sentir desafiado, e é recom-

um idioma; participar de palestras e de atividades de aprimoramento

profissional. Fique atento sobre o que a empresa tem a oferecer. As empresas hoje buscam profissionais

que demonstrem responsabilidade

em relação à carreira, oferecendo boas oportunidades de trabalho,

mesmo frente ao cenário competitivo de agora. Vista a camisa e dê

o melhor de si, apresentando bons

resultados, demonstrando foco e força de vontade para se desenvolver”, diz Elen Souza, da Catho.

No caso das empresas, o que

pensado por fazer nada além do

precisam fazer para investir melhor

você tem um emprego, não uma

a satisfação profissional de seus

que lhe pediram, tenha certeza: carreira”, garante.

Segundo ela, não se deve aban-

donar o desejo de uma carreira sa-

em capital humano, contemplando funcionários? Na opinião de Elen, é fundamental que as organizações

capital intelectual, que é seu bem

der a importância de um plano de carreira. “O papel da área de

Recursos Humanos e dos líderes é fundamental para o sucesso do

plano de carreira. Eles devem motivar e orientar os colaboradores.

O profissional que possui um plano

de carreira bem estruturado é mais focado em seus objetivos: age mais rápido, é mais dedicado, busca novos conhecimentos, trabalha bem

em equipe, desenvolve atividades

com mais qualidade e agrega valor ao negócio. E organizações que contribuem para o crescimento profissional de seus colaboradores, fazem

com que eles fiquem mais felizes e

motivados, reduzem riscos e custos

com rotatividade, retêm talentos, aumentam produtividade, qualidade dos serviços e ganhos financeiros”.

tisfatória, por mais que a situação

Crise e oportunidade

“você é feliz no seu trabalho? Afi-

É possível transformar crise em

crise que virá. Mas quem espera

emprego?”

Robson Profeta afirma que sim e dá

COPOS: “Dois copos estão com

MEDO: “O medo imobiliza a deci-

enxergá-los meio cheios ou meio

esteja ruim. E propõe uma reflexão: nal, você tem uma carreira ou um

Plano de carreira – Quem consegue entender exatamente o que

quer da carreira é mais feliz. É o que diz um levantamento da Consultoria Etalent, em parceira com a Catho. Segundo o estudo, o RH ou o capital

humano das empresas têm o papel de ajudar e orientar os funcionários

oportunidade? O coach financeiro algumas dicas:

são ao enfrentar a crise. Não cabe

ao governo ou ao seu chefe tomar uma decisão por você. Uma das

oportunidade, encontra”.

água pela metade. Você pode vazios. Ou seja, a perspectiva de

crise ou oportunidade está na sua perspectiva de ver as coisas”.

coisas que ajuda a minimizar o

O LOBO E O CORDEIRO: “A

pois auxilia na tomada de decisão.

o lobo e o cordeiro. O vencedor

medo é a busca pela informação,

Use a crise como válvula propulso-

crise e a oportunidade são como

será aquele que você alimentar”.

ra na busca de informação e, con-

LÍDERES: “Os grandes líderes

possuem plano de carreira. Se, de

DESEJO: “Como bem disse Scott

pois são exatamente eles que

organizações, de outro também falta

seja, pois você pode acabar por

nesse processo. O estudo mostra que 70,7% das empresas brasileiras não

um lado, falta visão por parte das protagonismo nos profissionais.

sequentemente, de oportunidade”.

Flanagan: ‘cuidado com o que de-

conseguir’. Se esperar crise, é

aparecem em momento de crise, trazem as boas novas, encontrando soluções nos lugares mais improváveis”.

Guia do Estudante TN Petróleo

Madalena Feliciano,


Gerir pessoas

Gestão

é gerir o ativo mais importante de uma empresa

Quando nos pergun-

INDEPENDENTEMENTE

tam qual é o principal

em qual ramo de atividade

ativo de uma empre-

a empresa atue, a Gestão

sa, não podemos ter

mordial para o bom anda-

dúvida sobre a res-

de Pessoas é um tema primento dos projetos, processos e relacionamentos, não

posta, pois ela sempre

estando, desse modo, res-

será uma: as pessoas.

de Petróleo e Gás. Assim,

É a gestão desse ativo

Guia do Estudante TN Petróleo

de onde esteja situada ou

trita somente ao mercado

primeiramente, devemos deixar claro que a função

que hoje se destaca,

de gerir pessoas dentro da

tanto no meio acadê-

mente à área de Recursos

empresa não se limita so-

mico quanto no cor-

Humanos - RH, mas se estende a to-

comumente baseado em pesquisas

porativo.

coordenação de equipes, os gestores.

clima e as de mercado.

dos os colaboradores que atuam na

A diferença entre o gestor e o

Atrelado aos objetivos estra-

RH é que o segundo deve focar na

tégicos da organização, a Gestão

manos. Essa linha de atuação é o

maximização das forças e da pro-

gestão das políticas de recursos huque hoje chamamos de “RH Estratégico”, que se caracteriza pelo entendimento, por parte da área, sobre a Alexandre dos Reis é superintendente Sesi, diretor regional do Senai e diretor executivo de Operações

diversas como, por exemplo, as de

razão de ser da empresa e, a partir disso, traçar um modelo mental de

desenvolvimento destas políticas,

de Pessoas precisa estar focada na

dutividade e na minimização dos problemas e das fraquezas. Além

disso, é muito importante que os gestores propiciem um ambiente

favorável à motivação dos colabora-

dores para que estes possam exercer


e eficácia.

Quando falamos em Petróleo e

Gás, ressaltamos a multidisciplinari-

ambiente de trabalho, novos desa-

a meta é a redução de gastos. As

oportunidade de capacitação.

e os investimentos, como um todo,

fios, equilíbrio com a vida pessoal e Nesse sentido, o olhar do gestor

dade na formação das equipes que

e da organização sobre os gastos

fundamental garantir a aproxima-

to deve ser visto como investimento

atuam nos projetos. Neste caso, é

ção e a atuação harmônica desses profissionais. Tendo como mote o

planejamento estratégico do capital humano, o gestor deve estar atento

para possibilitar a interação e a troca de experiências entre colaboradores, guiando para a necessidade

com treinamentos e desenvolvimen-

a retenção dos talentos. Os esforços para isso devem ser iniciados desde

a contratação, proporcionando um

São em momentos de restrição

como modo de manter a motivação

termo, deve-se investir em pessoas, já que o que se espera é um retorno maior para a empresa.

Assim como todo investimento,

no. Normalmente, os indicadores

pessoal, tendo como pano de fundo

de Pessoas.

a partir da definição econômica do

profissionais.

O papel da Gestão de Pessoas

esquecer a importância de Gestão

que algumas ações no gerenciamen-

um custo de folha salarial. Derivando

é fundamental que sejam criadas

engloba planejamento estratégico de

realizados com maior precisão, sem

em seu capital humano, e não como

de mudança de comportamento, de integração e da capacitação desses

prioridades devem ser bem definidas

métricas para apurar o seu retorutilizados serão relacionados com

o aumento de produtividade do colaborador e com o consequente

aumento da competitividade da empresa no mercado.

Na indústria de Petróleo e Gás

to de pessoas podem ser priorizadas

dos colaboradores. Inicialmente, é importante dar o devido valor e reconhecimento ao desempenho do

profissional, o que não se traduz em um feedback no final do ano, e sim

na atenção do gestor ao longo de

todo o período. Além disso, pode ser uma boa estratégia deixar claro para o colaborador que ele faz parte do planejamento estratégico da

empresa, além de manter o diálogo aberto e transparente.

Principalmente quando passa-

ambiente favorável ao desenvolvi-

existem necessidades e especifici-

mos por alguma crise, é importante

mantenham motivados e produzindo.

sionais desta área precisem de cons-

ciamento de conflitos. Ter capaci-

mento para que os profissionais se Essas ações visam a garantir o acúmulo de conhecimento e experiência

para o funcionário e, consequentemente, uma curva de aprendizado para a empresa.

Essa ideia vale ainda mais para

a área de Petróleo e Gás, em que os profissionais são altamente especializados e recebem uma remuneração acima da média. O ganho salarial,

no entanto, não deve ser o único

ponto considerado para a mudança ou permanência na empresa.

Desse modo, é importante que

sejam oferecidos benefícios diferen-

dades que fazem com que os profistante atualização. Estas questões não são diferentes para as micro e

pequenas empresas. Porém, como os recursos costumam ser mais limitados, os esforços devem ser realizados com maior cautela. Assim,

a aplicação de recursos deve ser

voltada para o desenvolvimento de

um problema interno é primordial

para manter o ambiente motivacional favorável para a equipe, procurando diminuir as inseguranças e mantendo a competição em níveis saudáveis.

Por fim, para que a Gestão de

Pessoas na organização seja bem

a qualidade de vida e os de mentoria

consonância entre os gestores e a

a melhorar o ambiente de trabalho e

e coaching, além de investimentos em treinamentos e em certificação dos funcionários.

No geral, todas estas ações são

mais fáceis de serem implantadas

bém da empresa para o profissio-

como no cenário atual, principalmen-

nal. Destacam-se a qualidade do

dade para atuar na resolução de

programas motivacionais que visem

ciados e alinhados às expectativas

do profissional na empresa e tam-

ressaltar a competência de geren-

em momentos de pujança. Contudo, te no mercado de Petróleo e Gás,

sucedida, é importante que haja

área de RH da empresa, para que o

capital humano seja tratado como

principal ativo e que aqueles responsáveis pela gestão direta sejam

capacitados para tal, garantindo o

reconhecimento de talentos que, por hora, podem estar sob a sombra de uma má gestão.

Guia do Estudante TN Petróleo

suas atividades com maior eficiência


ESSE É O PAÍS! A NORUEGA NÃO É apenas o

bui-se por mais de 150 mil ilhas,

país dos Vikings, do bacalhau e

enquanto outra parte da área

do sol da meia-noite. É um dos

continental tem topografia de-

grandes líderes em produção

senhada por montanhas, platôs

de petróleo offshore do mundo,

e fiordes.

um exemplo para o Brasil nessa

Como foi, então, que a No-

atividade, além de um grande

ruega conseguiu chegar a esse

parceiro da nossa indústria. Mas

patamar tão alto na escala socio-

não é só isso. Por várias razões,

econômica, com uma população

e os números comprovam, a No-

tão pequena, um território redu-

ruega é um país impressionante.

zido e acidentado, tendo ainda

Possui hoje o maior Índice de

como agravante o clima gelado

Desenvolvimento Humano (IDH)

do norte europeu? A resposta

mado em êxito, caso o país não

do planeta — de 0,944 — e os-

está no fundo do mar.

houvesse adotado as políticas

tenta o título há alguns anos. A

Guia do Estudante TN Petróleo

Capital: Oslo Área: 385 155 km² População: 5 milhões Densidade: 12 hab./km² IDH (2011): 0,944 PIB: US$ 515 bilhões Renda per capita: US$ 63.9 mil Alfabetização: 99,0% Moeda: Coroa norueguesa Site oficial: www.regjeringen.no Principais indústrias: petróleo e gás natural, processamento de alimentos, construção naval, produtos de madeira e polpa, metais, produtos químicos, madeira, mineração, têxteis, pesca.

certas: dirigismo discricionário

expectativa de vida é de 81,5

Petróleo – A Noruega era um

(planejamento das atividades

anos, e a média de escolaridade,

país de pouca influência no ce-

pelo estado, com liberdade de

de 12,6 anos. A renda nacional

nário econômico mundial. Sua

escolha); eficiência; baixíssimo

bruta per capita é alta: de US$

economia se baseava em expor-

índice de corrupção; evolução

63.9 mil por ano. E o PIB (Produ-

tações de peixes enlatados e de

do protecionismo local para a

to Interno Bruto) está na casa

minérios de baixo valor. O país

competitividade internacional;

dos US$ 515 bilhões. O índice de

figurava entre os mais pobres da

produção com respeito ao meio

desemprego é de 3,7% (2014),

Europa. Porém, tudo isso mudou

ambiente; e poupança do dinhei-

um dos mais baixos do mundo.

no final dos anos 1960, quando

ro arrecadado, em vez de gastos.

A inflação ficou em 2,8% (2013).

grandes reservas de petróleo

O modelo de exploração no-

Hoje, a Noruega figura em 24ª

foram descobertas no Mar do

rueguês é levado a cabo pela

posição no ranking da economia

Norte, a começar por Ekofisk, a

Statoil — estatal presente em 34

mundial.

primeira jazida a ser explorada

países, empregado mais de 23 mil

Sua população é de pouco

na plataforma continental no-

pessoas — que faz parcerias com

mais de 5 milhões de habitan-

rueguesa, em 1969. Hoje, o país

empresas privadas na operação

tes e seu território tem 385.178

produz cerca de 2 milhões de

e partilha lucros, mas fica com

quilômetros quadrados — me-

barris de petróleo por dia, na pla-

78% sobre a margem líquida: 28%

nor que o estado da Bahia, com

taforma continental norueguesa.

em imposto de renda, e 50% na

567.295 quilômetros quadrados

Possuir tais reservas, no

forma de imposto especial sobre

de extensão. Parte disso distri-

entanto, não teria se transfor-

a produção de petróleo.


Petoro, também estatal, que ad-

a venda de óleo em época de pouca rentabilidade. A Noruega tem gerenciado,

licitações e distrubiu os dividen-

ao longo desses anos, uma re-

dos, de acordo com as demandas

serva de cerca de 20 bilhões de

do país, viabilizando altos inves-

barris, que hoje está em cerca

timentos estratégicos em desen-

de 8 bilhões. O país criou um

volvimento tecnológico, saúde e

Fundo Soberano, que recebe os

educação. O marco regulatório

recursos do petróleo e os inves-

permite que a Petoro aumente

te para garantir o futuro da na-

ou diminua o ritmo de exploração

ção quando o petróleo acabar.

dos campos, conforme os preços

Esse fundo tem hoje cerca de

internacionais. Com isso, evita

US$ 800 bilhões.

Oportunidades para estudantes na Noruega

senvolvimento em instituições

ao aproveitamento dos 40 par-

como de professores visitan-

em cinco grupos multidiscipli-

PÓS GRADUAÇÃO – Um acor-

em universidades nacionais

do firmado entre o Programa Ciência sem Fronteiras (CsF)

e a Statoil prevê a concessão

de ensino estrangeiras, bem

tes, de instituições estrangei-

ras, que tenham interesse em desenvolver projetos de P&D na modalidade Pesquisador Visitante Especial (PVE).

Além desta parceria, a

de bolsas de pós-graduação

Statoil apoia projetos de P&D

tem investimento total de R$

brasileiras e centros de pes-

no exterior. O acordo que

15 milhões, foi assinado em

agosto de 2013 e consiste em

duas fases de implementação. A primeira vai financiar até 62

bolsas em Doutorado Pleno no

Exterior (GDE), Doutorado Sanduíche no Exterior (SWE), Pósdoutorado no Exterior (PDE) e Desenvolvimento Tecnológico

no Exterior (DTE) nas áreas de

em parceria com universidades

de projetos de pesquisa e de-

desenvolver soluções ligadas

aos cinco desafios propostos:

“Integrated Operations”, “Lean Solutions for Deep Water”, “WikiWhat portal to Geology”, “WikiHow portal Petec” and “Wiki and beyond”.

Alocados em três centros

os estudantes participaram de

milhões em P&D e inovação,

para cumprimento da cláusula de pesquisa e desenvolvimen-

to dos contratos de exploração e produção de petróleo e gás no Brasil.

da Statoil na Noruega, reali-

tes brasileiros que participam

sadores da companhia, para

investiu em torno de R$ 20

Somente em 2012, a empresa

durante quatro anos, para

estudos oferecidas a estudan-

nares, orientados por pesqui-

de pesquisa na Noruega – Tron-

ESTÁGIO – O Summer Intern-

cofinanciamento de bolsas de

ticipantes, que foram divididos

quisa tecnológica de parceiros.

petróleo e gás.

A segunda fase ocorrerá

Foto: Harald Pettersen - Statoil

ministra os campos, realiza as

ship Project, estágio de verão

zado pela primeira vez para estudantes brasileiros, terminou

em julho. O programa teve um retorno positivo com relação

dheim, Bergen e Stavanger –, reuniões periódicas por vídeo e fizeram algumas visitas

programadas em Bergen, um

modelo de cooperação remota muito utilizado na Statoil. Du-

rante seis semanas de estágio, eles tiveram oportunidade de

assistir a palestras ministradas por especialistas da Statoil,

conhecendo um pouco mais

sobre a experiência da companhia no setor de óleo e gás; e

de visitar a plataforma onshore em Ågotnes.

Guia do Estudante TN Petróleo

As receitas são geridas pela


Por dentro de uma

FPSO é a sigla para “Unidade Flutuante de Produção, Armazenamento e Transferência” (em inglês: Floating Production Storage and Offloading). É um tipo de plataforma em formato de navio, utilizado pela indústria petrolífera para produção, armazenamento de petróleo e gás natural, e escoamento da produção através navios aliviadores.

Fotos: Agência Petrobras

Guia do Estudante TN Petróleo

Por Mehane Albuquerque


UMA FPSO PODE SER feita a partir da conversão de um antigo petroleiro, ou ter um casco construído especificamente para esta função. São utilizados em locais de produção distantes da costa e em águas ultraprofundas, com inviabilidade de ligação por oleodutos. Neste caso, o óleo precisa ser armazenado. A capacidade de armazenamento elimina a necessidade de presença do navio-tanque ao longo da produção. Nesse caso, o navio-tanque só é requisitado quando o óleo produzido é suficiente para abastecê-lo por completo. A estrutura em forma de navio-tanque ou de barcaça-tanque tem módulos de processamento no convés. Esses módulos são limitados a, no máximo, 20m de comprimento, com base na boca do navio de pelo menos 45m. São divididos em: e-house (planta de utilidades), módulo de geração, módulo de processos, módulo de compressão e flare.

5

4

3 2

1

Características técnicas da FPSO P-54 Dimensões..................... 337 m comp. x 110 m larg. Lâmina d’água..............................................1400 m Peso total................................................. 73 mil ton. Acomodações............. capacidade para 160 pessoas Capacidade de óleo............................... 180 mil bpd Capacidade de gás......................... 6 milhões de m³ Capacidade de injeção de água........... 39 mil m³/dia Vida útil........................................................ 25 anos Localização.........................Campo de Roncador, BC

6

1) Módulo E-House (Utilidades): é

3) Módulo de processos: é consti-

necessária tanto para a reinjeção do gás

e baixa voltagem que auxiliam na que-

tratamento do óleo, tratamento do

vidade, ou para queima do gás no flare.

bra de circuitos para eventuais reparos e manutenção; transformadores, inversores de frequência e equipamentos para gerenciamento de energia. São

instalados em containers ventilados

projetados especialmente. Pesam de 420 a 740 toneladas, com comprimento

e largura variando de 13 a 20 metros. 2) Módulo de geração de energia: produz energia necessária para funcionamento de todos os módulos que constituem os topsides do FPSO. Logo,

é de vital importância para os processos ocorridos na planta do navio.

tuído por segmentos de separação, gás, tratamento da água, injeção de

no poço, para aumento de sua produti-

gás e injeção de água.

5) Flare: é constituído por uma torre

mistura de óleo, gás e óleo e neces-

do navio, destinada a queima do ex-

O fluido produzido pelo FPSO é uma

sitam ser separados, antes do tratamento. No caso do óleo, é tratado e

alta, geralmente posicionada na proa cesso de gás produzido pelo FPSO.

armazenado para futuro offloading.

6) Ancoragem: o FPSO tem ainda um

jetados novamente no poço ou elimi-

em seu local de produção. Existem

Já o gás ou a água produzida são innados. Neste segundo caso, a água

é tratada e descarregada no mar. Já o gás é queimado no flare.

4) Módulo de Compressão: faz a

compressão do gás retirado do poço,

sistema de ancoragem, para fixá-lo diferentes tipos de sistemas de ancoragem — turrent interno, turrent externo ou ancoragem distribuída, entre

outros — e sua utilização dependerá de avaliação prévia das condições de cada local.

Guia do Estudante TN Petróleo

composto por equipamentos de média


Como é trabalhar em uma FPSO? Quem responde é Mario

Jorge dos Santos, presidente da Navium, empresa de engenharia de instalação marítima e navegação, que fez recentemente a instalação da FPSO Cidade de Mangaratiba, no campo de Lula, na área Iracema Sul, no pré-sal da Bacia de Santos, e está agora na instalação das FPSOs Cidade de Itaguaí e Cidade de Caraguatatuba. “É uma experiência que reúne a oportunidade de conhe-

Foto: Cortesia Navium

expectativa de participar da

ria e, ao mesmo tempo, de um

e vazamento de gases, seja

navio petroleiro, pois a FPSO

onshore ou offshore. Mario

é resultado da transformação

lembra que há ainda o risco

de um antigo petroleiro, com a

de vazamento de óleo no mar

adição de uma planta de refino

e de danos ambientais. Porém,

primário em seu convés”.

ressalta que a preocupação

Segundo ele, trabalham a

com segurança em uma FPSO

bordo de 40 a 60 pessoas,

é maior do que em uma plata-

em função da capacidade de

forma convencional.

produção. Quando indagado

“Para trabalhar embarcado

se os riscos em uma FPSO são

em plataforma, seja do tipo

mais altos que em plataformas

que for, o profissional tem de

tradicionais, em função, princi-

fazer cursos específicos para

palmente do armazenamento,

situações de emergência,

ele explica que toda a unida-

como o abandono da unidade

de de refino de petróleo tem

em embarcações salva-vidas

riscos de explosão, incêndio

ou em helicópteros”.

Foto: Agência Petrobras

Guia do Estudante TN Petróleo

cer a operação de uma refina-


Fatores Humanos,

QSMS

o novo desafio do

A área de qualidade, saúde, segurança e meio ambiente (QSMS) vem crescendo em termos de visibilidade para o mercado e importância para as organizações no Brasil nas últimas décadas. Nesta época os certifica-

zação da economia fez com

dos ISO 9001 (Qualidade), ISO

quem as organizações se

14001 (Meio Ambiente) e OH-

deparassem com novos de-

SAS 18001 (Segurança e Saú-

safios, como novos requisitos

de Ocupacional) se populariza-

legais, mercados mais exi-

ram no país. Segundo dados da

gentes e competitivos. Nesta

ISO (Organização Internacional

nova realidade, a excelência

para Normalização), no ano

em qualidade, saúde, segu-

de 2013 o Brasil foi o décimo

rança e meio ambiente passa

país a emitir mais certificados

a ser uma meta estratégica

ISO 9001 no mundo, conforme

para as organizações.

mostra o quadro ao lado.

Muitas empresas, a partir

A certificação dos sistemas

da década de 90, intensifi-

de gestão, é apenas um pri-

caram os investimentos em

meiro passo nesta busca pela

QSMS, contrataram profissio-

excelência, os procedimentos

nais e consultorias especiali-

e práticas definidos, os pro-

zadas, investiram em treina-

cessos da organização devem

mento da equipe, estruturaram

ser avaliados, repensados e

departamentos específicos

melhorados continuamente.

e iniciaram seus processos

Top 10 - Número de certificados/país ISO 9001 emitidos em 2013 1

China

337.033

2

Itália

160.966

3

Alemanha

56.303

4

Japão

45.990

5

Reino Unido

44.585

6

Espanha

42.632

7

India

40.848

8

EUA

34.869

9

França

29.598

Brasil

22.128

10

Fonte: ISO SURVEY 2013 – Site http://www.iso.org/

Na indústria de óleo e gás,

de certificação de qualidade,

por exemplo, um fator que

saúde, e meio ambiente, como

contribui para a busca perma-

forma de otimizar seus proces-

nente da excelência em QSMS

sos, garantindo a qualidade

é o risco da ocorrência de

requerida pelo cliente, saúde e

acidentes graves, os chamados

segurança aos seus trabalha-

“acidentes maiores”, como os

dores e compromisso com o

ocorridos nas últimas décadas,

meio ambiente.

dentre os quais podemos citar:

Fabiana Roseira é gerente de QSMS na Doris Engenharia, engenheira de Petróleo e Gás, gestora Ambiental e Pós Graduanda em Engenharia de Segurança do Trabalho, atuando há 19 anos na área de Qualidade, saúde, segurança e meio ambiente.

Guia do Estudante TN Petróleo

O PROCESSO DE globali-


Estudos desenvolvidos por entidades tais como IOGP (International Association of Oil & Gas Producers) e API (American Petroleum Institute) apontam para as falhas humanas como principal causa dos acidentes na indústria de petróleo e gás.

a explosão da plataforma Piper

tendem a atingir um patamar

Alpha no Mar do Norte em 1988

onde, para que continuem de-

com 167 mortos; vazamento de

crescendo, há necessidade de

óleo do navio petroleiro Exxon

esforços extras, ou seja, novas

Valdez no Alasca em 1989 quan-

ações devem ser pensadas e

do centenas de milhares de

implementadas. Mas, em que

animais morreram nos meses

direção? Onde devem ser con-

seguintes ao vazamento; vaza-

centrados estes esforços?

mento de 1,3 milhões de litros

Estudos desenvolvidos

de óleo da Refinaria de Duque

por entidades tais como IOGP

de Caxias (Reduc) na Bahia de

(International Association of

Guanabara em 2000, explosão

Oil & Gas Producers) e API

e naufrágio da plataforma P-36

(American Petroleum Institute)

na Bacia de Campos com 11

apontam para as falhas huma-

mortos.

nas como principal causa dos

Estes acidentes, devido à

tróleo e gás. Um levantamento

danos ambientais causados,

realizado pelo HSE ( Health &

tiveram repercussão mundial,

Safety Executive) entre 2001

gerando para as empresas,

e 2002, concluiu que o erro

além do impacto financeiro

humano representa 28% das

com multas, indenizações e

causas raízes dos acidentes na

outros gastos, o prejuízo de

indústria offshore.

imagem, reputação da empre-

E não poderia ser diferente,

sa, perante seus colaborado-

o homem está no centro do

res, o mercado e a sociedade

processo de trabalho, seja ele

como um todo.

simples ou complexo, manual

Para evitar a ocorrência

Guia do Estudante TN Petróleo

acidentes na indústria de pe-

perda de vidas humanas e aos

ou automatizado, sua ope-

destes acidentes, a indústria

ração, manutenção, ou pelo

do petróleo e gás vem inves-

menos o gerenciamento do

tindo na busca da melhoria do

processo será feito por um ser

desempenho em QSMS atra-

humano. E, como já diz o velho

vés de melhorias técnicas nos

ditado, “errar é humano”, não

processos produtivos, definição

se pode negligenciar que o

de exigências de QSMS cada

erro é uma possibilidade em

vez mais restritivas e proces-

qualquer atividade com inter-

sos de avaliação e qualificação

ferência humana.

de fornecedores e terceiros

Então o caminho dos siste-

com base no desempenho em

mas de gestão de QSMS hoje,

qualidade, saúde, segurança e

na busca da melhoria contínua,

meio ambiente.

está na incorporação dos “fa-

Estes esforços tem se tra-

tores humanos” aos processos

duzido em uma redução nas

de trabalho. O termo fatores

taxas de acidentes nas últimas

humanos refere-se aos fatores

décadas. Porém estes índices

ambientais, organizacionais e


,e

LA

s internacion ais, nac i on ais

RE

NTE

• Capacidade

• Tarefas • Instruções de trabalho • Pressões no trabalho • Exposições e controles • Ambiente de trabalho

(física e mental) • Personalidade • Competência • Atitudes • Percepção do risco • Saúde (física e psicológica) • Habilidades e conhecimento

unicipais

AMBIE

Trabalho

em

Fatores humanos na segurança e saúde ocupacional

Indivíduo

ais du sta

GU

: IO R TÓ

nismo a g Or

Organização • Estrutura organizacional • Padrões de trabalho • Papéis e responsabilidades • Recursos • Força de trabalho • Conflitos e lideranças • Cultura • Lições aprendidas • Comunicação • Sistemas de gestão

do trabalho e às características do indivíduo que influenciam o comportamento no trabalho. O investimento em pessoas é geralmente associado aos procientização e aos investimentos

O desafio das organiza-

em saúde ocupacional, mas é

ções e dos gestores de QSMS

preciso mais que isso, a integra-

atualmente está em planejar

ção dos fatores humanos aos

os sistemas, considerando,

sistemas de gestão de QSMS

em todas as etapas, os fato-

deve ser um objetivo estraté-

res humanos e todos os seus

gico e um compromisso para o

domínios, conciliar a gestão

sucesso da organização. Quan-

dos processos e das pessoas.

do falamos em fatores humanos

Este deve ser um objetivo

é preciso considerar estes três

estratégico para a organização

aspectos: o trabalho, os indiví-

que deseja realmente forne-

duos e a organização, ou seja,

cer produtos que atendam as

as características do trabalho,

expectativas de seus clientes,

as tarefas a serem executadas,

reduzir índices de acidentes e

as características individuais,

impactos ambiental de suas

competências, habilidades, ex-

atividades, atingindo a me-

periências, as características do

lhoria contínua, um ambiente

ambiente de trabalho, estrutura

seguro e saudável e compro-

organizacional e como estes

metido com o meio ambiente.

fatores influenciam na execução

Adaptando um pouco o ditado,

do trabalho no dia a dia.

errar é humano, mas insistir no

(Gráfico no alto)

erro é prejuízo!

Fonte: Catalogue of OSD and HID Offshore Research by Key Human Factor Elements – Revisão 2002 Health & Safety Executive (HSE) Site http://www.hse.gov.uk/

Guia do Estudante TN Petróleo

gramas de treinamento e cons-


Aplicativos facilitam a vida dos profissionais

Guia do Estudante TN Petróleo

Foto: Agência Petrobras

e ajudam a poupar tempo

EM UM MUNDO CADA vez mais

sempre é gratuito, mas também

conectado, os aplicativos (Apps)

nem sempre custa caro — e usar.

ajudam profissionais de diferen-

Um destes Apps é o Dicio-

tes áreas e atividades a poupar

nário de Exploração e Produção

tempo e aumentar eficiência. As

Petróleo e Gás para países de

facilidades estão na palma da mão

língua portuguesa. O programa

e na indústria do petróleo, o uso

foi desenvolvido pela Paraferna-

destas ferramentas vem se popu-

lia Interactive para a Petrobras, e

larizando bastante, especialmente

está disponível para compra no

entre profissionais da área de en-

App Store e Google Play.

genharia. Pelo celular, é possível

O conteúdo foi criado por

organizar agendas, lembrar datas

uma equipe de profissionais do

e reuniões com antecedência, fa-

Brasil, Portugal e Angola — da

zer cálculos e avaliar gráficos em

indústria e da academia — com o

qualquer lugar, verificar níveis de

objetivo de uniformizar os termos

segurança em operações, ou con-

técnicos do setor, facilitando a

trolar tarefas à distância, em tem-

comunicação entre países lusó-

po real, entre outras coisas. Basta

fonos produtores de petróleo.

baixar o programa mais adequado

A obra foi organizada por Eloi

a suas necessidades — que nem

Fernández y Fernández,


Oswaldo A. Pedrosa Junior e

Além do dicionário, o Guia do

António Correia de Pinho, e re-

Estudante testou e listou outros

conhece as eventuais diferenças

aplicativos que podem ser uma

existentes nas três culturas para

mão na roda para os jovens pro-

um determinado verbete. O apli-

fissionais. Entre os gratuitos, des-

cativo traz ainda um “siglário”,

tacamos alguns dos mais usados

que exibe o teor completo de

por engenheiros e estudantes de

todas as siglas usadas no texto.

engenharia. Confira:

MyScript Calculator – Calculadora com texto escrito à mão Muito útil para contas complexa que precisam ser rápidas. Basta escrever com o dedo a expressão na tela, que o App automaticamente reconhece, transforma em texto e resolve de forma intuitiva. Suporta diversos tipos de operações, dentre elas: +, -, x, ÷, + / -, 1 / x, Diversos.!%, v, x, | X |, e x, xy, x2, cos, sin, tan, acos, asin, atan, LN, LOG, p, e, Phi.

Tamanho: 12.4 MB Compatível com iOS e Android Desenvolvedor(a): MyScript Disponível na App Store e Google Play

Autodesk ForceEffect Um tipo de “tool mobile”, simples, rápido e intuitivo. Além do uso profissional, serve para ajudar nos estudos de isostática, mecânica dos fluídos, teoria das estruturas e em outras disciplinas. Permite o desenho de estruturas a mão livre, o posicionamento de apoios móveis, fixos e engastes, cargas pontuais e distribuídas, gera os diagramas de esforços solicitantes das estruturas, além de muitas outras funções.

Tamanho: 35.3 MB Compatível com iOS e Android Desenvolvedor(a): Autodesk Inc. Disponível na App Store e Google play

Com ele é possível visualizar todos os poços ativos (perfurando e completando), ver os funcionários ativos, obter informações atualizadas diretamente pelos operadores de campo, controlar custos diários dos campos e obter um resumo das atividades diárias.

Tamanho: 5.8 MB Compatível com iOS e Android Desenvolvedor(a): WellEz Information Management Disponível na App Storegoogle play

Dicionário de Exploração e Produção Petróleo e Gás Trata-se de uma obra abrangente, produzida com a participação de mais de uma centena de profissionais atuantes na Indústria e/ou na Academia e de amplo prestígio no segmento de E&P, e composta por 8.742 verbetes distribuídos pelas áreas de: Tecnologia de reservatório | coord. Dr. Antonio Cláudio Corrêa e França; Geologia e geofísica | coord. Dr. Ciro Jorge Appi; Tecnologia de produção | coord. Dr. Elisio Caetano Filho; Regulação e contratos | coord. Jean Paul Prates; Tecnologia de poço | coord. Dr. João Carlos Ribeiro Plácido. A obra reconhece as eventuais diferenças existentes no Brasil, Portugal e Angola para um dado verbete e apresenta ainda um Siglário que exibe o teor completo de todas as siglas usadas no texto.

Tamanho: 7,2 MB Compatível com iOS e Android Desenvolvedor: Parafernália Interativa Disponível na App Store e Google Play

Guia do Estudante TN Petróleo

WellEz Mobile


Comportamento

out-company SE VOCÊ GOSTA DE praticar

rança, superação e cooperação

esportes, mas acha que a vida

são trabalhados nesta atividade

profissional vai consumir toda

esportiva, que também rende

a sua energia e lhe tornar um

altos dividendos em saúde.

Foto: Divulgação BL3

Guia do Estudante TN Petróleo

sedentário estressado, pode

Desde 2005 a BL3 trabalha

estar totalmente enganado.

com empresas. De lá para cá,

De olho na saúde e na qualida-

executivos e funcionários de

de de vida dos funcionários, as

mais de 100 organizações, de

empresas estão incentivando,

diferentes segmentos da indús-

cada vez mais, a prática de

tria, vestiram o colete salva-vi-

atividades esportivas fora do

das e embarcaram em veleiros

local de trabalho — as chama-

de oceano para participar das

das atividades out-door ou out-

regatas. CPFL, Duke Energy,

company — e em modalidades

DuPont, Braskem, Natura, Volvo,

onde a superação dos próprios

Bosch, Alcoa, Microsoft

limites é o mais importante.

e Votorantim são algumas delas.

Os benefícios são muitos,

As provas são disputadas

de acordo com Pedro Rodri-

em barcos de 34 pés, com

gues, um dos sócios da BL3,

equipes de seis pessoas orien-

escola de vela com sede em

tadas por um skipper (Mestre

Ilhabela, no litoral de São Paulo,

da embarcação). Antes de ir

especializada em regatas cor-

para a raia (local demarcado

porativas. Aspectos como lide-

por boias onde acontece a

Foto: Divulgação BL3

Empresas incentivam esportes


disputa), os tripulantes passam por aulas teóricas, que incluem noções de navegação e de segurança a bordo, e por aulas

pequenas regatas entre si, que duram em média 15 minutos. “Depois das provas, reunimos as equipes em terra e fazemos a analogia da atividade

da experiência todos ficaram

esportiva com o dia-a-dia nas

mais motivados.

organizações. A conclusão que

peso e ganhar saúde. “Com a facilidade de ter uma academia disponível no

chegam é que todos os dias no

Corridas de rua – As corridas

local de trabalho e o incentivo

trabalho eles estão disputando

de rua estão no topo da prefe-

para praticar esportes, muitos

regatas”, diz Pedro.

rência das empresas quando

funcionários alteraram seu

se trata de esportes out-com-

perfil sedentário, iniciaram ou

Entre empresas da área de petróleo, a Honeywell pela pri-

pany. Hoje são várias as que

aumentaram a

meira vez formou um time com

enviam equipes ou que apoiam

frequência de

13 executivos de áreas distin-

funcionários-corredores, se-

atividades físi-

tas para praticar iatismo.

gundo Rodrigo Isaac, dono da

cas, passando

Speed, empresa de treinamen-

inclusive a

uma nova organização regio-

“Acabamos de implantar

to que também trabalha com

participar das

nal para a América Latina e

grupos corporativos e funcio-

fizemos um evento de team-

nários que praticam o esporte

Flávio Andreatta, gerente de

building com as lideranças.

com apoio das organizações

Relações de Trabalho e Remu-

Como parte deste evento de

onde trabalham, várias delas

neração da Ipiranga.

integração, incluímos as rega-

do setor de petróleo de gás.

tas para estimular os execu-

“Os atletas não estão pre-

corridas”, diz

Segundo ele, apenas aqueles que são alunos regulares

tivos a competir entre si, e

ocupados com a colocação na

da academia podem partici-

para que percebam como é

prova. Para alguns, só o fato de

par. Mas precisam apresentar

importante o trabalho em gru-

praticar uma atividade física,

condições de saúde atestadas

po. Se não houver integração,

de sair do sedentarismo, ou de

por um cardiologista e por um

companheirismo e alinha-

conseguir completar uma pro-

médico do desporto. Atualmen-

mento, as coisas se perdem.

va já representa uma grande

te, uma média de 40 atletas-

Realmente, a dinâmica das

vitória”, diz ele.

funcionários da Ipiranga se

regatas nos remete muito ao

Entre empresas de petró-

inscreve nas corridas.

nosso dia a dia de trabalho,

leo, a Ipiranga há mais de 10

mas decidimos fazer isso tam-

anos apoia a participação dos

apenas como uma ferramenta

“Acreditamos no esporte não

bém para que se divertissem

funcionários em cinco provas

de promoção de saúde e de sa-

um pouco”, explica Patricia

de rua ao longo do ano, e

tisfação pessoal, mas também

Oliveira, gerente de recursos

ainda mantém uma academia

como forma de lazer, integra-

humanos da Honeywell Indus-

de ginástica na sede, em São

ção e assimilação de valores

trial Safety para a América

Cristóvão, no Rio, para que

positivos, como coletividade e

Latina. Segundo ela, depois

eles possam “malhar”, perder

bem-estar”, afirma Flávio.

Guia do Estudante TN Petróleo

estão prontas para correr três

Foto: Cortesia Ipiranga

práticas. Só a partir daí é que


Profissões em alta

LEIS, NORMAS, REGULAÇÕES, ACORDOS E CONTRATOS. O NÃO CUMPRIMENTO DE COMPROMISSOS ASSUMIDOS SEMPRE TRAZ PREJUÍZO ÀS EMPRESAS. PREJUÍZO Guia do Estudante TN Petróleo

FINANCEIRO, COM O PAGAMENTO DE MULTAS E OUTROS TIPOS DE PENALIDADES LEGAIS. E PREJUÍZO À REPUTAÇÃO, QUE SEMPRE SE TRADUZ EM PERDA FINANCEIRA. COM OS RECENTES EPISÓDIOS DE CORRUPÇÃO NO BRASIL, E TAMBÉM DEPOIS DE OUTROS CASOS QUE ENVOLVERAM EMPRESAS DE GRANDE PORTE EM OUTROS PAÍSES, O PROFISSIONAL DE COMPLIANCE ESTÁ EM ALTA NO MERCADO. NÃO APENAS NO SETOR DE PETRÓLEO, TORNOU-SE INDISPENSÁVEL A TODAS AS ORGANIZAÇÕES QUE QUEREM A SUSTENTABILIDADE DE SEUS NEGÓCIOS. O GUIA DO ESTUDANTE ENTREVISTOU O DIRETOR DE COMPLIANCE DA CHEMTECH, REYNALDO GOTO, PARA SABER MAIS SOBRE A ATUAÇÃO DESTE PROFISSIONAL DENTRO DE UMA EMPRESA.


Compliance é parte integral de nossos negócios. É estar

em conformidade com as leis

e regulamentos vigentes. Para a nossa empresa, além das regras a que estamos sub-

metidos, temos um Código

de Conduta Profissional, onde estão contidos os princípios fundamentais e as políticas de governança sobre como

devemos agir dentro da companhia, nas relações com os

nossos parceiros de negócio e com o público em geral.

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS QUANDO A EMPRESA TEM UMA ÁREA ESTRUTURADA DE COMPLIANCE? A empresa quando tem a

consciência dos riscos aos quais está exposta e con-

segue se prevenir, detectar irregularidades e respon-

der corretamente, garante

sua sustentabilidade, além de influenciar positiva-

mente outras empresas a

seguir o mesmo caminho. Internacionalmente, as

exigências de Compliance

sobre as empresas já estão muito bem estabelecidas. Recentemente no Brasil a

publicação de novas regulamentações deixou clara a obrigatoriedade de se

estruturar um sistema de

Compliance, inclusive com

atenuantes das penalidades

se os programas forem comprovados como eficientes.

O QUE FAZ UM PROFISSIONAL DE COMPLIANCE E COMO ATUA DENTRO DE UMA EMPRESA?

O profissional de Compliance é aquela pessoa que detém o conhecimento das regras

e das leis e, acima de tudo, possui um perfil analítico e crítico para identificar

riscos e propor medidas para sua mitigação. Ele tam-

bém auxilia os funcionários em eventuais questões de

conflitos de interesses entre a empresa e os parceiros

de negócios. Nossa equipe

está preparada para ajudar os colaboradores seguindo os três pilares – “Prevenir” (prevenção de incidentes

com treinamentos e infor-

mações, utilizando os canais de comunicação existentes), “Detectar” (reconhecimento antecipado de incidentes) e “Responder” (assegurar

resposta adequada a qualquer violação ao código

de conduta da empresa).

Conseguir transparência nos

negócios parece algo simples de ser realizado. E realmente é, se todos participarem e

estiverem engajados, a partir de atitudes pequenas. Cada colaborador é importante neste sistema.

A QUAIS ÁREAS ESTÁ SUBORDINADO? Essa questão varia de empresa para empresa, mas

normalmente, o Compliance responde diretamente ao

conselho da administração, o que dá total autonomia para tomar as medidas necessá-

rias, independente de qualquer ligação hierárquica.

QUAL A IMPORTÂNCIA DESTE PROFISSIONAL PARA O SETOR DE PETRÓLEO E GÁS, QUE É DE ALTO RISCO?

Para qualquer setor é importante ter um profissional de Compliance. Fazer a escolha certa deve ser a regra

essencial na condução dos negócios.

QUAL O PERFIL DE UM BOM PROFISSIONAL NESSA ÁREA? Integridade sempre é um requisito fundamental. O

profissional de Complian-

ce tem três características principais:

1. Especialista: deve

conhecer profundamente

as normativas e legislações vigentes e oferecer reco-

mendações para as áreas de negócios. Deve entender as necessidades das áreas de

negócios e colaborar para o

estabelecimento de negócios sustentáveis da empresa;

2. Facilitador: deve se en-

volver nas fases mais iniciais dos negócios, identificando

e minimizando os riscos rela-

cionados à compliance. Deve

achar soluções viáveis de ne-

gócios dentro das normativas definidas pela empresa;

3. Guardião: deve cons-

Guia do Estudante TN Petróleo

O QUE É COMPLIANCE?


tantemente monitorar o

cumprimento das normativas internas e leis locais. Deve

atuar de forma independente seguindo os mais altos padrões de integridade.

A CHEMTECH TEM ALGUM DIFERENCIAL EM COMPLIANCE?

Podemos dizer que nossa estrutura de Compliance

da forma como é composta hoje, já é um diferencial.

Temos à disposição de nossos colaboradores, profis-

sionais de várias áreas tais como engenheiros, administradores, profissionais

de marketing e de comunicação e, advogados, pois

acreditamos que ninguém

melhor do que o comprador para identificar os riscos

relacionados à atividade de compras, assim como não há ninguém melhor que o profissional de marketing

e comunicação para elaborar campanhas internas de

Guia do Estudante TN Petróleo

engajamento envolvendo

todas as camadas da organização.

COM AS LEIS E ACORDOS INTERNACIONAIS QUE EXISTEM HOJE CONTRA A CORRUPÇÃO, E TAMBÉM DEPOIS DOS CASOS RECENTES NO BRASIL, O PROFISSIONAL DE COMPLIANCE GANHOU MAIS EVIDÊNCIA? A PROFISSÃO ESTÁ MAIS VALORIZADA E REQUISITADA

DENTRO DAS EMPRESAS DE PETRÓLEO?

No Brasil e em outros países, o Compliance tem se tornado uma área essencial para

as organizações. Existe uma

tendência natural de grande procura por esses profis-

sionais nesse momento em função das grandes mobili-

zações nacionais, bem como os seguidos escândalos veiculados pela grande mídia.

Muitas empresas brasileiras não estavam e ainda não

estão adequadas para essa nova realidade, porém os

novos padrões demandam

uma maior atenção da em-

presa para esses temas. Os grandes questionamentos

são relacionados à sustentabilidade dos negócios,

No Brasil e em outros países, o Compliance tem se tornado uma área essencial para as organizações. Existe uma tendência natural de grande procura por esses profissionais nesse momento em função das grandes mobilizações nacionais, bem como os seguidos escândalos veiculados pela grande mídia.

principalmente quando os mesmos estão vinculados

a problemas de corrupção,

entre elas. Obviamente as

ro. As empresas sérias tem

sempre terão algum tipo de

cartel ou lavagem de dinheigrande interesse em evitar tais problemas e segura-

mente irão implantar programas de Compliance em suas empresas.

UMA EMPRESA COM UM BOM COMPLIANCE E COM PROFISSIONAIS CAPACITADOS TEM ALGUMA VANTAGEM EM RELAÇÃO ÀS DEMAIS? Em um breve espaço de tem-

po a implantação de um sistema de Compliance será uma

condição de sobrevivência das empresas, não um diferencial

empresas que se anteciparem vantagem, porém espera-se um novo patamar de inte-

gridade no mercado após a

adequação das empresas à nova realidade.

QUAL A FORMAÇÃO IDEAL PARA QUEM QUER SER UM BOM PROFISSIONAL DE COMPLIANCE? Não há formação específica, o mais importante é o profissio-

nal saber identificar riscos em suas atividades e propor me-

didas para mitigá-los, seja ele um advogado, administrador, contador, engenheiro, etc.


Guia do Estudante 2015  
Advertisement