Page 57

É O RAMO DA ENGENHARIA que gerencia os recursos humanos, financeiros e materiais para aumentar a produtividade de uma empresa. O engenheiro de produção é peça fundamental em empresas de quase todos os setores. Ele une conhecimentos de administração, economia e engenharia para racionalizar o trabalho, aperfeiçoar técnicas de produção e ordenar as atividades financeiras, logísticas e comerciais de uma organização. Define como integrar mão-de-obra, equipamentos e matéria-prima de forma a melhorar a qualidade e a aumentar a produtividade. Por atuar como elo entre o setor técnico e o administrativo, seu campo de trabalho ultrapassa os limites da indústria. O especialista em economia empresarial, por exemplo, costuma ser contratado por bancos para montar carteiras de investimentos. Esse profissional é requisitado, também, por empresas prestadoras de serviços para gerenciar a seleção de pessoal, definir funções e planejar escalas de trabalho. MERCADO DE TRABALHO – O mercado é promissor porque esse engenheiro é procurado por empresas de todos os setores, que visam a garantir a qualidade de seus produtos. Indústrias de bebidas, cigarros, automobilística e eletrônica, entre outras de grande porte, têm requisitado o engenheiro de produção para atuar no setor de logística, que inclui a distribuição de produtos e o suprimento de compras. Isso também ocorre cada vez mais em empresas do setor varejista e na agroindústria, que abre vagas em regiões interioranas. Na área de serviços, os bancos são os que mais contratam. Lá, os profissionais atuam no gerenciamento de carteira, na análise de investimentos e no mercado de ações. Com a descentralização industrial, o engenheiro de produção tem chances de colocação em todo o país, mas as melhores oportunidades estão no Sudeste e no Sul. Nas concessionárias que administram rodovias há boas chances. No Nordeste, o destaque é o pólo têxtil do Ceará. Salário médio inicial – R$ 2.000,00 O QUE VOCÊ PODE FAZER – O curso de engenharia de produção capacita o profissional

Foto: Banco de Imagens Petrobras

Engenharia de Produção

para atuar na organização, controle e aumento da eficiência e da qualidade dos processos. Assim como os profissionais das outras engenharias, o engenheiro de produção projeta, implanta, melhora e mantém os sistemas produtivos. A diferença está na abordagem sistêmica: a engenharia de produção lida com sistemas integrados de homens, equipamentos e materiais e não, com tecnologias ou com produtos, isoladamente. Um engenheiro de produção pode atuar em diversas organizações produtivas: empresas industriais e de serviços; indústrias dos ramos automotivo, da construção civil e de processos contínuos em geral, além de outras específicas, como mineração, siderurgia, cimento e química. Pode, ainda, desempenhar atividades na administração pública e na análise de investimentos, bem como atuar na organização, na logística e na gestão de serviços de apoio a eventos, esportivos ou artísticos. O CURSO – No começo, o curso enfoca as disciplinas básicas da engenharia, com bastante cálculo, como matemática, física, química e informática. Depois entram as matérias específicas de produção. Nos últimos anos acrescentamse administração e economia. Na etapa final, o aluno começa o estudo específico da habilitação escolhida. Além de manipular dados estatísticos, o aluno tem de aprender a calcular custos e a fazer orçamentos. Várias escolas oferecem o curso voltado para alguma habilitação específica, como mecânica ou civil. O curso tem duração média de quatro a cinco anos. TN Petróleo Estudante

55

TN Petroleo Guia do Estudante 2008  

Suplento da Revista Brasileira de Tecnologia e Negócios de Petróleo, Gás, Petroquímica, Química Fina e Biocombustíveis

TN Petroleo Guia do Estudante 2008  

Suplento da Revista Brasileira de Tecnologia e Negócios de Petróleo, Gás, Petroquímica, Química Fina e Biocombustíveis

Advertisement