Page 54

recursos humanos

É A ÁREA DA ENGENHARIA QUE cuida do projeto, da construção e da manutenção de embarcações e seus equipamentos. O engenheiro naval projeta a estrutura, os motores e os demais componentes de navios. Para isso, considera o uso a ser dado à embarcação, a quantidade de carga ou de passageiros a ser transportada, a distância a ser percorrida e o local de operação, se em rios, lagos, mares ou oceanos. Na construção, supervisiona os técnicos e os operários, verifica a qualidade da matéria-prima e os métodos de trabalho e acompanha toda a fabricação. Pode também gerenciar o transporte marítimo e fluvial, controlando o tráfego de embarcações e os serviços de comunicação. Outras áreas de atuação para esse profissional são lazer e esportes náuticos, a criação de animais marinhos e a exploração de recursos minerais do oceano, sobretudo o petróleo. MERCADO DE TRABALHO – O mercado voltou a crescer nos últimos três anos e existe demanda pelo profissional em todo o país. As melhores vagas se encontram em empresas de exploração de petróleo, como a Petrobras, que abre concursos para especialistas em gerenciamento de projetos. Para os próximos cinco anos, espera-se por novos navios e estaleiros no Brasil. Isso pode resultar na contratação do profissional para atuar em projetos, supervisão, inspeção, planejamento e gestão de operação. Firmas de engenharia offshore, consultorias e os setores logístico e militar também requisitam o bacharel. Os recém-formados encontram oportunidades em escritórios de projetos e classificadoras – empresas que certificam se as construções estão ou não de acordo com as normas internacionais. Além dos estaleiros, esses escritórios são os melhores empregadores do profissional. Salário médio inicial – R$ 3.000,00 O CURSO – O primeiro ano começa com as disciplinas básicas das engenharias, entre elas física, matemática e informática. A partir do terceiro têm início as matérias específicas, como tecnologia de construção e de materiais, hidrodinâmica, mecânica de fluidos e teoria do projeto de embarcações e sistemas oceânicos. Em aulas práticas de laboratório, o aluno constrói e testa 52

TN Petróleo Estudante

Foto: Banco de Imagens Woodgroup

Engenharia Naval

modelos e maquetes estruturais, não só de embarcações tradicionais como também de submarinos e robôs subaquáticos. O estágio no fim do curso é obrigatório. Duração média – cinco anos. O engenheiro naval é o profissional que desenvolve técnicas de execução que possibilitam a montagem, manutenção e reparo de embarcações, dos equipamentos e das instalações projetadas. As funções são próximas às do engenheiro mecânico, relacionadas com a indústria naval. É o responsável por projetos e construção de máquinas marítimas, motores e equipamentos mecânicos para embarcações. Pesquisa novas técnicas de manuseio de cargas de navios e guindastes, e técnicas de proteção e fortalecimento dos cascos dos navios contra impactos em sua estrutura. CURRÍCULO BÁSICO – Matemática, Física, Cálculo, Hidrodinâmica, Estrutura do Navio e Plataformas Oceânicas, Projeto do Navio, Tecnologia da Construção Naval. APTIDÕES DESEJÁVEIS – É necessária aptidão mecânica e numérica. ESPECIALIZAÕES POSSÍVEIS – Embarcações, Maquinário marítimo. CAMPOS DE ATUAÇÃO – Companhias de Navegação Fluvial ou Marítima, Estaleiros, Indústria Naval, Marinha.

TN Petroleo Guia do Estudante 2008  

Suplento da Revista Brasileira de Tecnologia e Negócios de Petróleo, Gás, Petroquímica, Química Fina e Biocombustíveis

TN Petroleo Guia do Estudante 2008  

Suplento da Revista Brasileira de Tecnologia e Negócios de Petróleo, Gás, Petroquímica, Química Fina e Biocombustíveis

Advertisement