Page 15

sim há mais de um século. A sardinha é a rainha das conservas, mas há novos produtos que surpreendem qualquer boca que gosta de comer e um chef que goste de desafios. A enguia, o carapau, as ovas de sardinha, o polvo, a truta de Aveiro em vinho branco, a muxama de atum do Algarve ou o peixe-espada preto de Sesimbra e a lista não termina tão cedo. Empratam-se como um produto natural e saudável, pois não tem corantes nem conservantes e está pronto-a-comer, directamente da lata, se não houver preconceito. As marcas são muitas e a qualidade também varia. Não é o preço que garante a escolha acertada. Há muitas marcas, há muitas conservas e eu (ain-

da!) não conheço nem metade do que existe no mercado. Marcas portuguesas há pelo menos uma dezena e todas são boas. O desafio é provar as conservas, não ligar aos preços ou ao design das embalagens que também é atraente, e há para todos os gostos, moderno ou vintage, mas não será pela embalagem que as conservas saltam da prateleira, no caso, as aparências podem iludir, e como sempre foi, é o interior que merece o melhor destaque. d

Para conservar é preciso comer e que seja por muito mais tempo. 15

Mutante 16  

Zaha Hadid • Adriana Barreto • Bloco 103 • Tiago Mourão • Ana Tecedeiro • Opera House (Austrália) • Made in Portugal • Conserva • Palácio da...

Mutante 16  

Zaha Hadid • Adriana Barreto • Bloco 103 • Tiago Mourão • Ana Tecedeiro • Opera House (Austrália) • Made in Portugal • Conserva • Palácio da...

Advertisement