Page 1

Número 35 - Junho de 2011

Já conheces a nova biblioteca?

9º ano em Londres Descobre como foi a visita!

Semana da Informática - Semana do Agrupamento - Dia da Criança


Editorial Número 35 - Junho de 2011

Equipa Editor/Coordenador Pedro Amaro

Redacção

Ana Carolina Marques Ana Laura Martins Margarida Campos

Colaboradores

André Bento Diogo Neves Equipa da Biblioteca Escolar

Fotografias

Ana Carolina Marques Ana Laura Martins Isilda Barros Margarida Campos Maria Ester Figueiredo Pedro Amaro

Edição Gráfica Pedro Amaro

E-mail

cjebrsi@gmail.com

Podes ver esta edição on-line em

http://www.issuu.com/cjebrsi/docs/n35

Website do Agrupamento

http://www.aepedrulha.com

Facebook do Clube de Jornalismo http://www.facebook.com/cjebrsi

Estamos na recta final de mais um ano lectivo, que poderás recordar ao folhear o nosso jornal. Foi um ano bastante preenchido, com uma vasta quantidade de eventos: Semana do Agrupamento, Semana da Informática, Dia da Criança, Olimpíadas, concursos, visitas de estudo e muito, muito mais. Mesmo tendo 12 páginas a mais que a edição do ano passado, foi impossível falar de tudo o que aconteceu. No entanto, esperamos ter conseguido capturar uma boa parte da "vida" da nossa escola na secção de actualidade escolar. Neste número irás também encontrar dois artigos muito especiais. O primeiro está relacionado com a nossa nova biblioteca, que mudou por completo ao trocar de instalações. O segundo é o nosso tema de capa: a visita que o 9º ano realizou a Londres. Poderás ficar a saber tudo sobre esta visita através de três relatos dos elementos do Clube de Jornalismo. Como este é o teu jornal, também damos destaque aos teus gostos: cinema, música, televisão, informática, desporto... todos estes elementos fazem parte desta edição. Irás encontrar desde críticas de cinema e televisão até reportagens sobre concertos, passando por notícias sobre jogos, recomendações de sites e entrevistas. Este ano temos também uma novidade: a nossa página no facebook. Quando acabares de ler o jornal, passa por lá - http://www.facebook.com/cjebrsi - e deixa-nos uma mensagem. E, se também fizeres um like, passarás a receber directamente no teu perfil as novidades do Clube de Jornalismo! Para terminar, e já que estamos a falar do Clube de Jornalismo, fica um agradecimento muito especial aos elementos que o compõem pelo fantástico trabalho desenvolvido. O jornal que tens nas tuas mãos é o resultado final desse árduo trabalho, que exigiu muito esforço e dedicação, pelo que estão de parabéns pelo que fizeram. Esperamos contar também com a tua colaboração no próximo número!

Pedro Amaro


6 a 19 20 a 23 24 a 31 32 e 33 34 e 35 36 e 37 38 a 41 42 43 a 45

Actualidade Escolar Aqui estão as principais notícias da actualidade da tua Escola!

Especial

Novo espaço... Nova Biblioteca

A biblioteca mudou este ano. Fica a conhecer melhor as alterações que ocorreram!

Visita a Londres

Tema de Capa

As turmas do 9º ano realizaram uma visita de estudo a Londres. Descobre como foi!

Conversas Rápidas Nesta edição temos dois temas nas nossas conversas curtas. Poderás ficar a saber mais sobre desporto e, também, sobre o Gabinete de Apoio ao Aluno.

Entrevista Entrevistámos os Anaquim, conhecida banda de Coimbra.

Lê aqui a crítica ao filme desta edição: Mr. Nobody.

Cinema

Música

Estivemos presentes em dois fantásticos concertos: 30 Seconds to Mars no Pavilhão Atlântico e U2 no Estádio Cidade de Coimbra!

Televisão

Vê qual a nossa opinião sobre a mais recente série com William Shatner: $#*! my dad says!

Informática Aqui poderás encontrar informação sobre os jogos Minecraft e Portal 2, assim como algumas recomendações de sites para visitares nos teus tempos livres.


TEIP

Um projecto com sentido

Graça Busano Ângelo Coordenadora do TEIP

O

Director do Agrupamento de Escolas da Pedrulha assinou o contrato-programa de TEIP com a Direcção Regional de Educação do Centro em Agosto de 2009.

O comum cidadão poderá perguntar o que é um TEIP. As definições poderiam ser tantas quantos os Territórios a nível nacional ou, simplesmente, plasmarem os normativos legais. Nós, Direcção do Agrupamento, definimos o Território Educativo de Intervenção Prioritária da Pedrulha como a concretização estratégica da eficácia interna do Agrupamento com os meios, as parcerias e os recursos mobilizados para dar resposta às problemáticas. A Concretização estratégica foi veiculada pelo Projecto Educativo e reflecte-se nos resultados académicos dos alunos, na prevenção do absentismo e do abandono, no reforço da educação para a cidadania e na capacitação de pais, professores e técnicos. É de salientar que usufruíram de formação contextualizada, acreditada, oitenta docentes. Em função das necessidades, houve de acréscimo e mais valias: horas de crédito, animadores socioeducativos, uma técnica de serviço social, uma mediadora, recursos materiais e financeiros, tudo meticulosamente colocado em candidatura no ano lectivo de 2008/2009, após rigoroso e aturado diagnóstico. Uma vasta equipa maturou ideias e corporizou-as no Projecto Educativo com uma visão estratégica para dois anos. Porém, toda a vantagem aqui referida não constituiria mais do que uma enumeração, não fora o conjunto magnífico de profissionais que desenvolveu cada acção com a mestria, dedicação e profissionalismo exigíveis para a superação de metas estabelecidas em cada eixo do Projecto Educativo: eixo do sucesso: apoio à melhoria das aprendizagens; eixo da indisciplina/cidadania: prevenção do abandono, insucesso e indisciplina; eixo de intervenção na comunidade: relação escola/família/comunidade e eixo de gestão e organização do Agrupamento do qual fazem parte a auto-avaliação e a respectiva monitorização. Em conformidade, os nossos alunos usufruíram, nestes dois anos lectivos, através do desenvolvimento de cada uma das acções integradas nos eixos anteriormente descritos, de condições ímpares proporcionadas pelo sistema educativo, a saber, Laboratórios de Língua Portuguesa e Matemática, diversificação da oferta educativa como resposta aos ritmos de aprendizagem diferenciados, um Gabinete de Apoio ao Aluno a tempo inteiro, formação formal e informal, por via dos técnicos, Projecto da Educação para a Saúde, Biblioteca e Clubes; um Plano Anual de Actividades que lhes proporcionou momentos culturais, formativos, lúdicos e de fruição inesquecíveis e propicionadores de um aporte de crescimento enquanto cidadãos. O conjunto de imagens que seleccionámos é apenas um apontamento que pretende ilustrar o que foi dito, no entanto, fica muito aquém do que na realidade se construiu. "O homem sonha e a obra nasce." Nós sonhámos, o sistema permitiu e a obra nasceu.

[4]


TEIP

A Biblioteca Escolar (BE) foi requalificada e adquiriram-se mais cerca de 530 novos títulos.

Durante este ano lectivo, no Gabinete de Apoio ao Aluno – GAA, foram efectuados 621 atendimentos (Vertente disciplinar/Apoio ao estudo – 76; Vertente Relações Interpessoais/Educação para a Saúde - 545 atendimentos; 1 9 atendimentos a Pais/Encarregados de Educação).

Actividades lúdico-pedagógicas dinamizadas pela equipa de Animadores do Agrupamento de Escolas da Pedrulha (Cogumelo Mágico e Abraços Grátis)

O projecto de Promoção e Educação para a Saúde em Meio Escolar está a ser implementado em todo o Agrupamento e desenvolve-se com várias parcerias (Centro de Saúde, Cáritas Diocesana de Coimbra, Trampolim, Escola Superior de Enfermagem, empresas da região, CAOJ).

O Agrupamento dinamiza projectos que promovem o envolvimento de toda a comunidade (Projecto inovador “Árvores com Letras^ árvores com Vida!”, “Sarau Medieval”, “Conversas ao fim-de-tarde”, “Café com^”, “Noites na BE e noites de Astronomia”, “Semana do Agrupamento”, “Dia da Criança”, “Inauguração da BE”...

Nos laboratórios de Língua Portuguesa e Matemática promove-se o treino da competência comunicativa oral e escrita, desenvolve-se o gosto pela aprendizagem da Matemática, entre outras, com o objectivo de proporcionar sucesso na sequencialidade do ensino.

[5]


Actualidade Escolar

Comemorações do

25 de Abril O

25 de Abril constituiu uma viragem na História do país. Uma abertura para o mundo, para a realidade. Finalmente deixámos de estar “orgulhosamente sós” e isso é esplendoroso. Como é facilmente perceptível, a conquista da liberdade não era de todo fácil mas a vontade de mudar foi mais forte... Durante mais de um ano, um grupo de militares vai planear uma forma de depor o regime fascista. Após reuniões secretas em diferentes pontos do país e arriscando a vida, na noite de 24 de Abril de 1 974 as tropas avançam sobre Lisboa de forma meticulosamente preparada. Não havia forma de tornar... Os capitães de Abril estavam em acção. Graças ao sangue frio daqueles homens e nomeadamente de Salgueiro Maia, este Golpe de Estado que mais tarde se transformou em Revolução (isto acontece quando civis se juntam à luta e se aliam às tropas) é considerado dos mais pacíficos do mundo. Embora considerem que apenas fizeram o que era preciso fazer dado que não podia sustentar-se o insustentável, estes homens são sem dúvida heróis!

[6]


Actualidade Escolar

Arriscaram a vida em prole de um povo, de um país! Isso é de louvar dado que é preciso ter uma coragem inimaginável. No dia 27 de Abril de 2011 tivemos na nossa escola uma pessoa de quem, enquanto portugueses, nos devemos orgulhar, o general Augusto Valente que participou na Revolução dos Cravos! Num clima descontraído e informal contou-nos a sua experiência e revelou pormenores pouco falados mas que na verdade foram essenciais. Explicou-nos como tudo se passou, as reuniões, os medos, os contratempos que tudo podiam comprometer. Por exemplo, um capitão deixou esquecida na sua secretária a lista de alguns envolvidos... e isso chegou às mãos dos superiores. Ali, o sonho podia ter

terminado, mas felizmente isso não aconteceu. Falou sobre a organização, os códigos, as senhas, a ocupação das rádios, tudo com um sorriso nos lábios e uma grande simplicidade. É genial poder usufruir de um momento destes! Uma sensação inexplicável.

devíamos ouvir o que este herói que diz não o ser tem para dizer. 25 de Abril sempre! Fascismo nunca mais! ● Ana Laura Martins

Foi sem dúvida um privilégio poder ter feito parte da plateia que encheu a B6 naquela manhã. Um motivo de orgulho pois para mim, o 25 de Abril é uma data de que gosto bastante mesmo não sendo do tempo em que este texto teria que ser aprovado para ser publicado. A liberdade é dos tesouros mais valiosos que temos e o pior é que não lhe damos importância pois estamos habituados a tê-la sempre presente. A palestra foi muito interessante e penso sinceramente que todos

[7]


Actualidade Escolar

Festa de Natal N

o fim do período realizaram-se na nossa escola não uma, mas duas grandes festas de Natal. A primeira, na noite de 1 5 de Dezembro de 201 0, no pavilhão, transformado em auditório. Foram postas cadeiras e um palco. O serão foi guiado por dois alunos do 9º ano, Ana Laura Martins (também representando a Assembleia de delegados) e Tiago Batista. Este evento esteve associado também ao lançamento do CD do 2º ciclo e, por isso, os nossos talentosos colegas actuaram, mostrando parte do seu reportório. Houve ainda espaço para uma demonstração do clube de Yoga feita pelos seus frequentadores com a orientação da professora de Educação Visual, Isabel Dias, espaço para a entrega de prémios aos alunos mais novos, vencedores das Olimpíadas de matemática, espaço para a professora Ester Mateus dar a conhecer o novo espaço da biblioteca (que é agora muito maior e melhor) a toda a comunidade educativa através de uma apresentação, comparando-o com o antigo, e ainda para os frequentadores do clube de teatro no ano

[8]

lectivo passado falarem do que foi a sua experiência, enquanto em fundo passavam imagens da apresentação da peça “O Gato e a Andorinha: uma revoluçãozinha”, uma adaptação da obra “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá” de Jorge Amado. Tiveram a palavra ainda a professora Augusta Ramos de História e também os seus alunos, que ganharam não um, mas dois prémios a nível nacional muito importantes e entregues pelo Presidente da República. Era óbvio o orgulho e a emoção que os seus rostos deixavam transparecer ou não fosse este um acontecimento muito importante e que os marcará para sempre! A fechar a noite, tivemos uma mesa bem recheada para recarregar baterias. O aspecto menos conseguido foi, e falo agora em nome pessoal, o som e a acústica do espectáculo. Embora a aparelhagem fosse potente, o pavilhão não oferece as condições ideias dado o eco que produz. Consequentemente, nem sempre foi possível compreender tudo o que foi dito. Porém, o saldo geral foi


Actualidade Escolar

extremamente positivo. No último dia de aulas do 1 º Período houve então a 2ª festa de Natal, agora durante a manhã. Esta era vocacionada para os alunos e animada por eles e, claro, pelas animadoras socioculturais que ao longo do ano tanto nos têm ajudado a concretizar todos os projectos que queremos fazer. Sem elas não teríamos conseguido fazer tantas actividades ao longo do ano com a mesma dinâmica.

mostra de talentos diversos dos alunos que se quiseram inscrever. Desde música a dança e muito mais! Após a conclusão desta actividade, o pavilhão foi transformado numa autêntica discoteca, com DJ e tudo! Foi também uma festa em grande, mais descontraída

e informal que a primeira, mas e repito, com igual qualidade! Dois momentos altos do ano transformados num só, ainda maior! ● Ana Laura Martins

A festa foi apresentada mais uma vez por alunas do 9º ano, ambas em representação da Assembleia de Delegados. A Ana Santos e mais uma vez, a Ana Laura Martins. O plano de actividades teve como principal foco, uma

[9]


Actualidade Escolar

Concurso Nacional do PNL

P

ela primeira vez a nossa escola foi participar no concurso nacional de leitura do PNL.

Primeiramente, foi pedido aos alunos que voluntariamente se inscreveram neste concurso que lessem as obras “O Rapaz do Pijama às riscas” da autoria de John Boyne (que aborda o atentado nazi contra os judeus e a forma como “o feitiço se volta contra o feiticeiro”) e ainda “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”, de Jorge Amado (cuja mensagem se baseia na tónica de que o amor é mais forte que o que quer que seja que nos diferencia e sempre prevalecerá), assim como a biografia dos seus autores, e depois realizou-se uma selecção. Os vencedores, neste caso, as vencedoras, Ana Laura Martins e Beatriz Ferreira, foram representar a escola à Figueira da Foz no passado dia 27 de Abril de 201 0 e chegaram mesmo a ser abordadas no directo que a RTP fez no acontecimento. Para esta prova tiveram que ler “Graças e desgraças na Corte de el-Rei Tadinho” de Alice Vieira e “As aventuras de João Sem Medo” de José Gomes Ferreira.

[ 10 ]

Estes projectos têm como principal intuito o incentivo à leitura, um hábito muito saudável mas que infelizmente está a cair em desuso. Está provado que ler desenvolve o cérebro e que é um exercício mental muito importante que ajuda a retardar o aparecimento de algumas doenças. É preciso mostrar aos jovens o que é o prazer de ler. Se eles realmente conseguirem descobri-lo não vão querer parar. O único aspecto negativo que aponto a este concurso foi a escolha da primeira obra mencionada, pois embora pertença à lista do Plano Nacional de Leitura, PNL, é indicada para o terceiro ano de escolaridade e o concurso destinava-se a alunos do 3º ciclo. Embora este livro possua uma mensagem que devemos tentar interpretar além do mundo fantástico de el-Rei Tadinho, considero, sinceramente, uma escolha um pouco infeliz para o tipo de prova que é. Saliento apenas que quem se encarregou da escolha dos títulos foi a própria organização, sendo portanto algo independente da escola. ● Ana Laura Martins


Olimpíadas A

o longo de todo o ano lectivo realizaram-se diversas Olimpíadas relacionadas com as diferentes áreas para ambos os ciclos presentes na escola. Tiveram todas lugar no segundo período, exceptuando as do Ambiente que foram ainda em Dezembro. Como já vai sendo praxe, houve Olimpíadas de Inglês destinadas a todos os anos. Dois alunos de cada turma, em representação da mesma, realizaram em equipa uma prova com a duração de 60 a 90 minutos, que exigia acima de tudo conhecimentos básicos da cultura inglesa e americana. Obviamente, era também exigido um domínio mínimo desta língua dado que a prova não podia ser respondida em português. Uma semana depois, os alunos do 3º ciclo tiveram Olimpíadas de Francês (dado que no segundo ciclo esta língua não constitui uma opção). Esta encontravase organizada da mesma forma que a anterior, se bem que exigia também uma composição final. Estas duas Olimpíadas foram realizadas a nível de escola e avaliadas, consequentemente, por professores de cá. São sempre enriquecedoras estas experiências dado que permitem adquirir novos conhecimentos sobre a cultura de países que não o nosso. Para além disso, sendo que não conta para a avaliação individual do participante, é apenas uma forma de aprender mais, representar a turma e, acima de tudo, um divertimento. Participei em ambas e gostei bastante. A meu ver estavam bem organizadas e apelativas. Decorreram ainda as Olimpíadas de Química Júnior na Universidade de Coimbra, mais especificamente, na faculdade de Química. Pôde ir apenas uma equipa constituída por 3 alunas do 9ºB da nossa escola (Ana Carolina Santos, Ana Laura Martins e Beatriz Ferreira) em sua representação. A acompanhar a equipa foi o professor de Físico-Química, Dr. Paulo Carvalho. As provas decorreram num Sábado de manhã. Existiam 2 tipos de provas, uma teórica com a duração de 20 minutos e registar os resultados. Seguiu-se o almoço e, enquanto se aguardavam os resultados das mais de 30 escolas presentes, decorreu uma palestra que envolveu a química e a medicina. Quanto a resultados... “ficámos em 4º” é tudo o que podemos dizer. As aspas justificamse pelo facto de apenas serem divulgados os primeiros 3 lugares.

Actualidade Escolar

Olimpíadas do Ambiente No dia 16 de Dezembro de 2010 realizaramse na nossa escola as Olimpíadas do Ambiente, coordenadas pelos professores de Ciências. Foram provas essencialmente de cultural geral, mas também eram necessários alguns conhecimentos das aulas. Foram provas com cerca de cinquenta minutos, realizadas por escalões e não por anos (por exemplo, o 9ºano e o 8ºano realizaram a mesma prova ao mesmo tempo). São provas que todos os alunos do 7ºano até ao 12 º ano podem e devem participar, pois são interessantes e contribuem para o enriquecimento do nosso currículo escolar. Margarida Campos Acima de tudo achei uma experiência muito gratificante dado que permitiu que contactássemos com a química de uma forma mais prática (mesmo que se realizem actividades experimentais em sala de aula) assim como nos deu a possibilidade de “trabalhar” num laboratório mais e melhor apetrechado que o da nossa A11 . Penso que é uma forma de cativar os alunos e levá-los a enveredar pelo ramo científico de uma forma mais apelativa, tocando directamente os jovens. A EB Rainha Santa Isabel participou pela segunda vez e as opiniões foram sempre favoráveis. Houve ainda Olimpíadas de Matemática. Aqui realizouse uma prova escrita com a duração de 90 minutos com 4 problemas. Este ano, e à semelhança do ano anterior, tivemos uma aluna do 9º ano apurada para a fase seguinte! É um orgulho! Realizaram-se também Olimpíadas de Física a que também era suposto irem alunos da nossa escola, porém, devido a imprevistos de última hora, tal não foi possível. Estas iniciativas são importantes para mostrar um outro lado das diferentes disciplinas que, quando bem organizadas, proporcionam bons momentos. ● Ana Laura Martins

[ 11 ]


Actualidade Escolar

2011

Ano Internacional das Florestas Árvores com letrasC árvores com vida! Para comemorar 2011 - Ano Internacional das Florestas, o Agrupamento de Escolas da Pedrulha elaborou um projecto a que chamou “Árvores com letras^ árvores com vida!” que teve honras de exposição no Fórum Coimbra durante 1 5 dias. Nasceu de uma ideia dos Jardins-de-infância e foi crescendo^ em tamanho e em ideias. Articulou disciplinas e todos os níveis de ensino permitindo o envolvimento de todos os alunos e docentes do Agrupamento. Com base na leitura criaram-se árvores, árvores com sonhos produzidas em materiais reciclados. Mas também se aprendeu como era a floresta nativa em Portugal e, recriou-se a superfície de Portugal continental assinalando as principais cadeias montanhosas e os rios mais caudalosos, localizando as principais árvores da nossa floresta, os carvalhos, o sobreiro, a azinheira, o castanheiro, ^ “fabricados ” com uma mistura de materiais naturais e reciclados. Nem as principais formações rochosas foram esquecidas. A exposição foi inaugurada no dia 21 de Março e aos fins-desemana, nos corredores do Fórum, os alunos do agrupamento

[ 12 ]


Actualidade Escolar

dinamizaram momentos musicais relativos às árvores, ao livro e à leitura. No âmbito desta parceria, fomos convidados pelo Fórum, a repetir projectos desta natureza.

Plantação das árvores Até o Diário de Coimbra nos convidou para comemorar o aniversário dos seus 81 anos. No dia 24 de Maio, os alunos do 6.º Ano das seis turmas da escola rumaram ao Choupal e plantaram ^ 81 carvalhos. O Choupal ficou mais rico em oxigénio, em sombra, em habitat para a bicharada e, todos nós também. Os alunos adubaram, plantaram as árvores e no fim cantaram. Cantaram para o Director do Diário de Coimbra, para o Presidente da Câmara Municipal de Coimbra e até para o André Sardet que também lá esteve. As árvores forma plantadas enquanto “o diabo esfrega o olho” e os alunos deram a todos uma lição de vida. Muitos sabiam como plantar uma árvore e todos conhecem a importância da floresta. Esta foi uma grande prova oral aos nossos alunos e eles passaram todos com distinção. Parabéns! ● Biblioteca Escolar

[ 13 ]


Actualidade Escolar

Dia da Criança N

o dia 1 de Junho convidaram-se EB1 e Jardins-de-Infância para vir participar em actividades na Escola sede. Envolveram-se na preparação e nas actividades muitos docentes e várias turmas dos alunos do 2.º e 3.º CEB que realizaram actividades para os mais novos. Cantaram, tocaram, dramatizaram a lenda do Milagre das Rosas e fizeram danças do Panda. Organizaram-se ateliês de jogos, experiências e de expressão plástica, tudo isto sobre o mote da leitura, dos conto tradicionais e dos mais modernos. Também a este propósito, foi inaugurada uma exposição de maquetas de contos tradicionais realizadas pelos 1 0 Jardins-de-Infância do Agrupamento no âmbito da actividade “Contos Antigos ^ Contos Sentidos!”. Cada Jardim-deInfância seleccionou um conto e criou

[ 14 ]

uma maqueta. Foram realizadas maquetas dos contos “A galinha ruiva” (JI de Torre de Vilela), “O coelhinho branco” (JI de Vil de Matos), “Cinderela” (JI de Ingote), “O macaco de rabo cortado” (JI de Souselas); “Branca de Neve e os sete anões (JI de Trouxemil), “A galinha dos ovos de ouro” (JI de Pedrulha), “O capuchinho vermelho” (JI de Eiras), “O lobo e os sete cabritinhos” (JI de Larçã), “Os três porquinhos” (JI de Santa Apolónia) e “A carochinha” (JI de Brasfemes). A tarde terminou com a dramatização do conto “O lobo e os sete cabritinhos” realizada pelos Encarregados de educação do JI de Brasfemes. Visitem a exposição que está fantástica. ● Biblioteca Escolar


Actualidade Escolar

Semana da N

Informática

os dias 4 a 8 de Abril ocorreu um evento chamado "Semana da Informática" na nossa Escola, que consisitiu em mostrar aos alunos o que são as novas tecnologias, os perigos delas, entre outras coisas. O evento foi organizado pela minha turma (9ºE), não esquecendo também as ajudas de alguns professores (professor Pedro Amaro e professor Telmo Lopes). Do meu ponto de vista acho que o evento foi bom para todos, porque aprendemos um pouco sobre as novas tecnologias, sobre software e muitas outras coisas. O primeiro dia do evento (4 de Abril) foi para falar sobre desenvolvimento de software. Foram feitas duas apresentações: uma sobre "Desenvolvimento de Jogos" apresentada pelo professor Pedro Amaro e outra sobre "Desenvolvimento de software para telemóveis" pelo Engenheiro Telmo Amaro. No dia 5 de Abril o tema escolhido foi "Segurança na Internet". Foram feitas duas apresen-

tações: uma para os alunos da primária e outra para os alunos dos 2º e 3º ciclos, ambas pelo professor Pedro Amaro. Quarta-feira, dia 6 de Abril, foi dia de jogos. A minha turma organizou um toneio de GLTron que contou com 96 participantes. A turma do 9ºD organizou um torneio de Trackmania. No dia 7 de Abril o tema "Desenvolvimento de Jogos" foi novamente escolhido, com uma apresentação do Doutor Licínio Roque. No último dia do evento, 8 de Abril, o encerramento foi realizado com uma apresentação feita pelo Engenheiro Ricardo Ruivo, sobre a rede informática do Departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra. Esta sessão contou com a presença de uma turma de CEF do centro de formação Rumos de Coimbra a assistir. ● Diogo Neves

[ 15 ]


Actualidade Escolar

Autor do Mês

A divulgação dos “Autores do Mês” da BE foi diversificada. A escolha dos escritores foi feita a pensar na faixa etária dos utilizadores, alunos dos 6 aos 1 7 anos. Parabéns a quem participou (do 4º ao 9º ano). Parabéns a quem ficou apurado e a quem não ficou apurado. Objectivos cumpridos. Muitos autores, muitos livros e muitas leituras que aqui relembramos.

● Biblioteca Escolar

No dia 1 8 de Março realizou-se a visita à exposição "Futurália". Foi uma visita promovida para os alunos do 9º ano pela nossa escola, com o fundamento de ficarmos informados e com algumas ideias para a nossa vida futura, pois agora com a passagem para o secundário chega já uma pequena grande decisão, que define um pouco do nosso futuro.

Visita à Futurália

Este foi um evento interessante, porque de certa forma informou-nos dos muitos estabelecimentos do ensino superior existentes no nosso país. Também observámos a parte prática de algumas profissões que nos possam despertar interesse e entusiasmo. É uma exposição bastante recheada com jogos, demostrações, tendas de várias universidades, cursos muito variados e muita informação. Acho que é uma exposição bem formulada, contudo não pareceu surpreender os alunos e motivá-los tanto como esperavam. Não por ser uma má exposição, de todo isso, pois como já referi a exposição estava bastante agradável. O que de certo modo falhou foi a sua adequação à nossa faixa etária como alunos do 9º ano. Talvez fosse mais adequada para alunos do 1 2º ano que irão para o ensino superior porque nós, como alunos do 9º ano, ainda só vamos para o Ensino secundário e a exposição era maioritariamente de estabelecimentos universitários, o que desperta algum do nosso entusiasmo mas é um entusiasmo ainda muito pequeno porque as nossas ideias ainda não estão bem definidas para o que vamos seguir após o 1 2º ano. Ainda assim, o saber não ocupa lugar. ● Ana Carolina Marques

Redemat

A matemática chega agora às novas tecnologias através do concurso Redemat. Este concurso permite a todos os alunos jogar num desafio que testa os seus conhecimentos de matemática. O concurso foi realizado na escola D.Dinis e consiste em provas para alunos do ensino básico e secundário. Como é habitual, a nossa escola não podia deixar de participar, com alunos do 2º e 3º ciclos. Para além da nossa escola também participaram outras escolas básicas e secundárias do centro de Coimbra. O concurso consiste em perguntas de verdadeiro e falso, com 20 níveis, onde não podemos errar mais que 2 vezes por pergunta. No fim do concurso é oferecido a todos os alunos participantes um lanche. ● André Bento

[ 16 ]


Actualidade Escolar

Oficinas de escrita N

a quinta-feira, 05 de Maio de 2011 houve uma Acção de Formação CEL e escrita no NPPEB, orientada por António José Vilas-Boas. Esta sessão teve em vista principalmente conteúdos que serão abordados no primeiro ano de entrada em vigor do NPPEB no 2º Ciclo e no 7º ano. O formador orientou uma oficina de escrita na presença dos professores e com uma turma de 7º ano. Tratou-se de uma sessão muito prática na qual os professores reflectiram sobre a didactização de conteúdos do CEL através de exercícios que fizeram construídos na perspectiva dos alunos. As restantes turmas de 7.ºAno tiveram também oficinas de poesia dinamizadas pela BE em articulação com o Centro de Estudos Sociais da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. As formadoras Conceição Riachos e Gisele Wolkoff descobriram veias poéticas em alguns dos nossos alunos. Afinal escrever poesia não é uma tarefa assim tão difícil. ● Biblioteca Escolar

[ 17 ]


Actualidade Escolar

Semana do Agrupamento N

a semana do Agrupamento várias foram as actividades realizadas ao longo dos diferentes dias. No primeiro dia decorreu um workshop de cinema, dirigido pelo realizador Nuno Portugal, que apresentou o seu mais recente trabalho, “Voo da Papoila”, uma curta-metragem que constitui o segundo capítulo da triologia iniciada com o premiado internacionalmente “Deus não quis”. Além de detalhes mais técnicos sobre como realizar este tipo de projectos, foi ainda diferenciado o processo de realização de um filme e de um videoclip. Uma actividade deveras interessante. Houve ainda uma demonstração no campo exterior da escola de cães, levada a cabo pela GNR. Os “agentes de 4 patas” descobriram desde explosivos até drogas e presentearam-nos ainda com uma demonstração de habilidades percorrendo um circuito de obstáculos. Bravo! Na sala B6 realizaram-se sessões de cinema. A esta actividade compareceram todas as turmas consoante um horário previamente estabelecido.

[ 18 ]


Actualidade Escolar

E porque não podíamos ficar por aqui, houve ainda um dia em que os alunos puderam realizar escalada e slide de uma forma segura e controlada pelo exército. O único aspecto negativo foi que esta actividade decorreu em apenas um dia, impossibilitando que todos as experimentássemos... Quem diz estas, diz ainda mais coisas dado que o programa foi ainda extenso.

uniram e onde era possível comprar uns maravilhosos crepes! Como já é habitual, o funcionários deram a sua mão, tendo uma tendinha própria e onde podíamos adquirir comida tipicamente portuguesa (desde broa a arroz doce, a bifanas, pastéis de Tentúgal, etc).

Salienta-se porém a quinta-feira, dia 1 2 de Maio de 2011 , em que não houve aulas e em que foram feitas barraquinhas para que todos pudéssemos ter uma festa mais animada, apetrechada de ainda mais cultura.

A Assembleia de delegados, com o enorme contributo das animadoras e assistente social, asseguraram a “Barraquinha da pipoca” onde podia comprar-se pipocas com a particularidade de que o preço era feito pelo próprio comprador ao invés do vendedor.

O Departamento de Línguas encarregou-se de barraquinhas gastronómicas: a de Inglês, onde se vendiam panquecas, waffles e cachorros, a de Português e Francês que se

Durante a tarde, a EB Rainha Santa Isabel recebeu todas as escolas que pertencem ao agrupamento, mostrando tudo o que temos de melhor para oferecer.

Já no palco principal, montado em frente ao bloco A (a seguir às tendas), houve música e animação durante todo o dia. O momento alto foi talvez o desfile intitulado de “Passerelle écologique”. As peças eram da autoria de Ana Santos e foram elaboradas a partir de materiais reciclados. “Une idée ecologique”. Esta semana foi um sucesso, provando que a nossa escola está repleta de valor e capacidades. Foi uma ideia já utilizada noutros anos, e sempre bem sucedida. ● Ana Laura Martins ● Margarida Campos

[ 19 ]


Especial

Novo espaço... Nova Biblioteca N

ão sei porquê, mas sempre que penso em bibliotecas sinto o cheiro a mofo! Será? Nada disso! Hoje em dia, os espaços das BEs foram ou estão a ser remodelados e o novo conceito de decoração, de ocupação é completamente novo e... mais, muito mais atraente à vista! É o caso da biblioteca da nossa escola. A Rainha Santa Isabel está bem decorada, com cores jovens, muito coloridas, cores “Benetton” que ajudam a atrair os mais distraídos... e a fazer com que os nossos alunos nos visitem mais vezes. Sim! E visitam-nos “ bué” de vezes, tantas que a determinadas horas não há mãos a medir^ Temos mais visitantes, sim senhor! Seja pelo fundo documental, seja pelas cadeiras ^ seja lá pelo que for... Os professores e principalmente os alunos gostam muito de cá vir. Deve ser, também, pela simpatia de quem cá trabalha^ ● Biblioteca Escolar

[ 20 ]


Especial deviam ? m a m r i v ra i V e não sas”, do textoO S ? ? E m B o “ Vira a no ssa “ Lenda das r a inédito ”, da. d o ã ç na o em u ra da

a inau g ramatizaç ão fru to ”, “ O p prec iso para sado e m a r i V A d rvo res de ia não fo i ! o do p en t s i v ter ivro s são á … O Lafér pretaç ão … tu as fo to s… as “ Os l rainha c o o l” ário , a inter ejam algu m Rap da ário s, o vestur c o rte”. V s c o la r E Os c en de “ qu alqu e si… a c e t B iblio digno s falam po r imagen

[ 21 ]


Especial Observação Astronómica Durante o segundo período foram realizadas duas observações astronómicas, que contaram com a presença de alunos do ensino nocturno e diurno, nomeadamente do 7º ano, pais, funcionários, professores e familiares destes. Todos tiveram a oportunidade de observar através de telescópios a Lua, a cor de algumas estrelas e Saturno, astro que poderá ser observado este ano desde a Primavera até ao final de Verão. Os participantes puderam ainda aprender a orientar-se através do céu nocturno e identificar algumas estrelas e constelações mais conhecidas. Foi com muito entusiasmo que todos os presentes participaram nesta actividade, prevendo-se a realização de outras observações astronómicas no próximo ano lectivo, a realizar às terças-feiras à noite, dia em que a Biblioteca da escola se encontra aberta para dinamizar uma série de actividades.

Sabiam qu e a B

E está aberta à

s 3 ª feiras à noit e?

Ao “ S o m d a s p Leitu ra Exp ress alavras” lá se deu “ Vo z à vo z” ap arec eu e tam iva de p o emas e lengalengas, … “ Dar vo z à vo z” fo i o mo te bém p artic ip o u … Fo i no dia 5 p artilhada p o r qu em lá ap arec p ara u ma sessão de de Abril. eu . E o Sr. Dire “Ao so m das p a c to r la v r a s” , c o m de M aio , c o nhec a esc rito ra Co n c eiç ão Riac ho s e m o s a v id a e de esc rita. Do is e G isele Wo lko ff o b r a d a e sc r it o exemp lo s de du as ac tividades rra, e o s alu no s EFA tiveram d , no s dias 1 0 e 1 7 ireito a u ma o fi ealizadas… o u tr So b o p retexto a c ina s m a is p o r c erto virão ! : a n o s d a p r o fesso ra Ana L Uma festa su r ú efeito ) c o m fo top resa c o m u m bo lo de aniverc ia, a Terç a-feira, dia 7 fo i d sá s da aniversaria nte, fez o delíriorio e u m filme (realizado espe festa e animaç ão . ec ialmente p ar … M ais u ma vez ao a B E a p r o v e it u tilizado res, me smo em o c asiãoo u a o p o rtu nidade de traba lhar no vas lite festiva. rac ias c o m o s seu s B iblio tec a Esc o la

[ 22 ]

r


Especial

o iv t a r o b la o c o Trabalh

uitas as m o sã , e o d a z ri lo trabalho dseesvleas continuam a percorrer“aà u se o ia d ra a p s vêem deudeianinguém lhes dá valor. Moaa novos saberes. O amor Os professqore eq nos rumlho continua… vezes em duae, pcaorencduzindo os seus aalu aba a sua estra sobrepõe-se às “ más-língu s” e o tr u e se faz aqu i n q o v ti ra o b la o camisola” C lar do Trabalho

e fa alho , deixem-m b a tr e d to si ó p A p ro u tilizado res, Santa Isabel… e a d h in o a çã R a ca rm te fo o li , bib cia na té à segu rança mo ção da litera a ro , p o , çã o a lh a rm b a fo a tr in u do , o u q se ento da ação do iz m tu n ta a e a u rg q tr o e a eu o e E ã d . cç a es le D de p esqu isa, setr u ita co isa é fequite não so u da geração Web, já m s… o lh a b a co mp etências re e sentação d go sto do qu e vejo . Até eu , p a e et n r te in digo -vo s qu e tu do , o bservos… no vas! de falar dele. s o a m is te co te i n d n le re ce p ex a lente! E p o r ser ce ex é o d za li a re tá a ser Flo rbela Pinto O trabalho qu e es

[ 23 ]


Tema de Capa

Visita

Os alunos do 9º ano, no passado mês de Março tiveram uma visita de estudo inesquecível, uma ida a Londres. Organizada pela professora Ângela Rafael, que cumpriu a promessa que nos havia feito no 7º ano: “se tudo correr bem, no nono ano levo-vos a Londres”. Se bem pensou, melhor o fez. Este acontecimento decorreu de 1 1 a 1 4 de Março.

A

balámos para o aeroporto ainda o Sol dormia profundamente (às 3h da manhã). A emoção era imensa e inexplicável. Esperava-se um dia longo e cansativo.

“excuse me (desculpe)” caso houvesse o mais singelo contacto entre pessoas. Isto pode parecer um cenário pouco provável no nosso país mas ali era algo banal e óbvio.

Aterrámos e após cerca de uma hora de caminho chegámos ao hotel, “Confort Inn Vauxhall”, que, ironia do destino, tinha como recepcionista uma senhora Portuguesa. Fizemos o reconhecimento das áreas envolventes e almoçámos num restaurante português o típico frango de churrasco. Apenas à tarde se iniciou uma maratona de 3 dias a tentar ver o máximo possível da cosmopolita cidade Londrina.

Atrevo-me a afirmar que “corremos a cidade de uma ponta à outra”, tendo visitado todos os seus ex-líbris em tempo recorde. Desde a imponente London Eye que proporciona uma vista panorâmica da cidade, à Tower of London, ao Big Ben, no exterior até ao Shakespeare Globe Theatre, tendo passado pelo Hard Rock Cafe London, em que foi possível apreciar relíquias como a guitarra de Bob Dylan ou um manuscrito dos Beatles ou mesmo uma guitarra e um fato de Jimmy Hendrix e ainda os famosos óculos de sol e a guitarra de Kurt Cobain. Um sonho tornado realidade para os amantes de música, como por exemplo eu.

Um outro mundo, uma azáfama, uma correria louca já esperada. Uma sociedade diferente, “politicamente correcta”, em que as regras de civismo eram respeitadas. Por exemplo apenas usar o lado direito das escadas rolantes se quiser ir parado e usar o esquerdo para ultrapassar ou mesmo o frequente

[ 24 ]

Não podíamos passar ao lado do Underground sem utilizar. Diga-se inclusive que foi graças a


Tema de Capa

Lon d r e s a ele que nos deslocámos, intervalando com longas caminhadas.

Enfim, uma infinidade de lugares, uma infinidade de recordações.

Houve também espaço para museus como a National Gallery, Science Museum em que pudemos ver, entre muito mais, uma exposição nova que aborda linguagem corporal, o Natural History Museum, famoso por deter esqueletos de dinossauros e onde foi rodado “À noite no museu”. Estivemos em frente a uma das mais conhecidas salas de espectáculos do mundo, Royal Albert Hall. Assistimos ao render da guarda, passeámos em Picadilly Circus e em Convent Garden, onde voltámos a cruzarnos com um português. A fechar a viagem, como não podia deixar de ser, marcámos presença nos glamorosos armazéns Harrods, no Madame Tussauds (ou museu da cera) onde pudemos tirar fotos junto de figuras desde Robert Pattinson até a Elvis, Beatles, Obama, Fidel Castro, entre muitos, muitos mais.

O cansaço era muito, mas a alegria e a vontade de conhecer foi ainda maior. Num clima descontraído, as três sortudas turmas (9ºA, 9ºB e 9ºC) estiveram em perfeita sintonia, o que permitiu a criação de laços mais fortes entre todos e possibilitou que todos se conhecessem melhor, o que é extremamente positivo. Realmente um grande esforço da professora Ângela que organizou tudo e nos orientou com as suas antenas de joaninha e a capa amarela, tendo sido transformada numa espécie de Abelha Maia, mas também das professoras que nos acompanharam e falo da professora Isabel Castelo-Branco, Cristina Almeida, Irene Maria, Sílvia e Carla Diogo, que nos acompanharam e se divertiram connosco. Numa palavra apenas: memorável!!!

Pessoalmente adorei a viagem, tendo sido até agora a melhor visita de estudo da minha vida. Foi cautelosamente organizada o que permitiu que tudo corresse pelo melhor, sem incidentes maiores. Contribuiu para o enriquecimento cultural de todos os que foram dado que contactámos com um mundo diferente e isso foi espectacular!

O meu top 3 é algo que tenho dificuldade em encontrar dado que adorei todos os lugares, mas talvez o Hard Rock Cafe London, o Madame Tussauds e talvez o Hyde Park ou a Tower of London. Constituiu para mim uma experiência inesquecível e é sem dúvida uma cidade onde quero voltar. Adorei! London, I love you!!! ● Ana Laura Martins

[ 25 ]


Tema de Capa

A

partida teve inicio no dia 11 de Março, pelas três horas da manhã. Fomos acompanhados por seis professoras maravilhosas, Dr.ª Ângela Rafael, professora de Inglês, Dr.ª Isabel Castelo Branco, professora de Francês, Dr.ª Cristina Almeida, professora de Ciências, Dr.ª Irene Maria de Português e Francês, Dr.ª Carla Diogo, professora de Moral e por fim a Dr.ª Sílvia, de Português. Deslocámo-nos até ao Aeroporto no Porto para apanharmos o avião com destino a Londres, a ansiedade era muita e o sonho também! Chegámos a Londres perto das sete e trinta da manhã e seguimos até ao Hotel Confort Inn Vauxhall, um Hotel acolhedor e confortável, onde pudemos descansar no fim do percurso de cada dia passado em Londres. Bem, Londres era totalmente o oposto de Portugal, era tudo diferente, nada daquilo que imaginávamos, sem duvida um mundo novo! Nós nem acreditávamos!

[ 26 ]

No primeiro dia fomos almoçar a um Restaurante tipicamente português, passeámos na London Eye, onde vimos um filme em 4D e onde também cantámos a “Vaca Leiteira" e o “Sapo”, Londres visto lá de cima é tão sensacional! Fomos até ao Trafalgar Square e à National Gallery, onde todos queriam tirar fotos para mais tarde recordar, estivemos em frente ao ao Royal Albert Hall, fomos até Picadilly Circus, até que chegámos ao tão conhecido Big Ben, caminhámos até ao Parlamento e até à Abadia de Westminster. Por fim estivemos no Cavalry Museum, um museu interessante. No fim do dia, fomos jantar ao McDonald’s. Depois daí fomos para o Hotel já cansados, mas cheios de energia para o dia seguinte! No segundo dia a alegria era muita, e era já visível a certeza de que estávamos em Londres. Começámos por seguir até à Galeria Tate Modern, onde grandes foram as obras


Tema de Capa

que vimos, de seguida fomos ao Globe Theatre onde pudemos conhecer mais pormenorizadamente a sua história. Fomos almoçar ao famoso Hard Rock, uma comida e um ambiente excelente, tirámos imensas fotografias, todo ele era espectacular! Bem, depois seguimos até à sua loja, onde pudemos fazer algumas compras, e visitar uma sala, onde havia muitas histórias de cantores escondidas, como o “corpete” da Madonna, a guitarra do Kurt Cobain dos “Nirvana”, e os respectivos óculos de sol, a letra de uma das muitas músicas de Jonh Lennon dos “The Beatles”e muitos outros. De tarde visitámos St. Paul´s Cathedral, a Tower Bridge, a Tower of London, e à noite fomos jantar à

Pizza Hut. No terceiro dia, saímos de manha cedo até ao Hyde Park, e fomos até St James´s Park passear e conhecer. Depois fomos até ao Buckingham Palace onde visitámos a Rainha Isabel II, almoçámos num restaurante tipicamente Londrino, onde muitos comeram “Fish and Chips”, batatas fritas com peixe, um almoço bem saboroso e nada utilizado pelos portugueses. Seguimos caminho até lojas, para compras e recordações, e depois para Oxford Street. À noite fomos a um restaurante onde se vendiam pizzas, do qual não sabemos o nome, recomendado por um rapaz português, muito simpático, que trabalhava lá.

No quarto e último dia, a tristeza era muita por deixar Londres, as saudades começavam a chegar mesmo antes de partirmos. Fomos aos famosos Armazéns Harrods, onde fizemos algumas compras. E por fim chegámos ao ponto alto da visita, Madame Tussaud`s, o célebre museu de cera, onde tirámos imensas fotografias com os nossos ídolos, visitámos também a câmara dos horrores, onde os susto e os gritos eram muitos. Depois daqui partimos para Portugal, com um sorriso de orelha a orelha, e ainda com o sonho de que estávamos em Londres! Para mim esta viagem foi a melhor de todas até agora! London <3 ● Margarida Campos

[ 27 ]


Tema de Capa

A

partida teve lugar na nossa escola , no dia 11 de Março pelas 3h00. Nunca uma viagem de autocarro tinha sido tão rápida. A euforia era tal que nem se sentia o tempo passar. Chegada ao aeroporto Sá Carneiro, estava fascinada. Esta seria, para mim e para muitos outros dos meus colegas, a primeira viagem de avião. Tudo aquilo para mim era novo. Eu não sentia medo nem nervosismo, só e apenas ansiedade para chegar a Londres . Passou-se a viagem de avião, chegámos a Londres. Na ida de autocarro tivemos o prazer de ver algumas paisagens de Londres. Chegámos ao hotel , fomos recebidos muito bem, por sinal por uma recepcionista Portuguesa. As nossas malas ficaram guardadas e fomos almoçar. Um almoço tipicamente português num restaurante madeirense. Estava bem agradável. À tarde fomos a alguns pontos bem fomosos de Londres, como o Big Ben, o London Eye, Abadia de Westminster, Trafalgar Square e Piccadilly

[ 28 ]


Tema de Capa Circus. Chegávamos a todo o lado num abrir e fechar de olhos, claro íamos de metro, era rapidíssimo . Houve algo que me fascinou profundamente que foi o facto de as pessoas serem tão civilizadas. Toda a gente sabia o seu caminho. Londres é uma cidade muito movimentada, de grande azáfama, onde andamos sempre no meio da multidão. Ainda assim ninguém se esquece que tem que ter respeito pelo que está a rodeá-lo. A uma pequena coisa pedem desculpa , no metro sabem que primeiro saiem e depois é que se entra. Pormenores que fazem a diferença e que na nossa cultura estão completamente apagados. O primeiro jantar foi em Piccadilly Circus e foi muito bom, comemos fast food devido ao elevado preço da comida em Londres. Fomos à loja Cool Britania onde me apetecia meter a loja na mala e trazer toda, porque tinha tudo típico de Londres que era um encanto para a vista. Chegámos ao hotel com um cansaço enorme, fomos descansar e ao outro dia esperava-nos um enorme pequeno-almoço. O hotel era de 3 estrelas mas para mim parecia de 5 estrelas, quartos belissimos, pessoas simpáticas e um bom pequeno-almoço. Lá partimos para mais um dia. Foram quatro dias numa cidade magnifica. Para além de termos passado pelos locais referidos também tivemos a oportunidade de estar no Buckingham Palace, onde vive a rainha de Inglaterra, e apesar da chuva pudemos assistir ao

famoso render da guarda. Estivemos em Globe Theatre, Hard Rock Cafe, Hyde Park, London Eye, Madame Tussaud’s, Museu da Ciência, Museu da História Natural, National Gallery, St. Paul Cathedral, Tate Modern Gallery, Tower Bridge e Tower of London. Estes foram os locais por onde passámos e cada um deles tem uma história. Eu no primeiro dia dizia constantemente que estava noutra dimensão e estava mesmo. Os meus lugares de eleição foram o London Eye, o Hard Rock Cafe, o Madame Tussaud’s, Piccadily Circus e Oxford. As ruas londrinas são fascinantes, ali vive-se a arte, temos vários artistas de rua. Eu lá apetecia-me dançar e cantar. Para mim é um lugar único e para mais os ingleses são muito simpáticos e recebem muito bem os turistas. Muitas das pessoas vestem-se de maneiras muito diferentes e ninguém olha nem comenta. Chegado o dia 1 4, o último dia, fomos ao Madame Tussaud’s e depois aos famosos armazéns do Harrod’s. Era hora do almoço e não

havia tempo para uma paragem no restaurante. Então comemos uma sandes e fomos colocar as nossas malas no autocarro e partir. Não queria nada partir, queria lá ficar, gostei mesmo daquele local e aquilo estava-me a custar imenso. Vivi momentos por lá que nunca esquecerei, apesar de ser muito cansativo e fazer doer muito os pés, a alegria fazia esquecer isso. Nós podíamos estar mortos de cansaço mas queríamos ir até mais longe. Acho que devem continuar a apostar nestas visitas de estudo que enriquecem muitos os nossos alunos. O que escrevi foi um mínimo relato do que se passou por lá, mas antes de mais um muito obrigado a todas as professoras que estiveram dispostas a acompanhar-nos e a realizar este nosso sonho. Só posso dizer: Adorei! Quero voltar! Londres deu-me um bemestar óptimo! ● Ana Carolina Marques

[ 29 ]


Tema de Capa

[ 30 ]


Tema de Capa

[ 31 ]


Conversas Rápidas O que é Taekwondo?

Taekwondo é uma arte marcial de origem Coreana e actualmente modalidade olímpica. Distingue-se pela ênfase no treino das suas técnicas de pontapés altos e em salto.

Taekwondo é adequado para que idades?

O Taekwondo é para toda a vida. Pode começar a ser praticado correctamente partir dos 6 anos e a sua pratica pode ser mantida mesmo na terceira idade.

Telmo Amaro, treinador de Taekwondo

Qualquer um pode praticar?

Sim, há praticantes de Taekwondo de ambos os sexos, de todas as idades e em alguns casos até mesmo com alguma incapacidade física. Cada um pode praticar o Taekwondo por um ou

mais objectivos: bem-estar físico e mental, defesa pessoal ou competição desportiva.

Onde podemos praticar?

Actualmente ensino Taekwondo no ginásio Nexgym (Clube da Arregaça) em Coimbra, junto ao Parque Verde. Os treinos vão interromper a 25 de Junho e reiniciar a 1 5 de Setembro. O horário da próxima época será Segundas e Quartas-Feiras das 1 8h45 às 20h1 5 e Sábados das 1 0h às 1 2h. Fica desde já o convite para experimentarem um treino agora nesta última semana de Junho ou depois no início de época em Setembro. ● Ana Carolina Marques

Desporto Vladyslav Kryvonosyuk, campeão regional de atletismo Como é que decorreu o teu dia?

Foi um dia particularmente diferente, conheci pessoas novas e também tive a oportunidade de competir com atletas que também são muito bons e fiquei orgulhoso de subir ao pódio no primeiro lugar.

Qual foi o tipo de competição? 80 metros, planos.

Qual o desporto que praticas na escola? Atletismo.

Como foi ser campeão regional?

Senti-me muito feliz. Não esperava chegar onde cheguei, não sonhei nem me passou pela cabeça ser

[ 32 ]

campeão regional, mas sim que iria sair dali apenas como mais um aluno participante sem grande mérito. Senti um orgulho imenso viver aquele momento, para mim foi muito gratificante.

Tiveste de treinar muito para esta competição?

Como sou jogador de futebol, só treinava algumas quartas-feiras, mas após ser campeão dediquei-me mais ao atletismo mas nunca deixando o futebol.

Presentemente estás em algum clube? Sim, o ADREP.

● André Bento ● Ana Carolina Marques


Conversas Rápidas

Waldir Monteiro, aluno Há quanto tempo frequentas o GAA (Gabinete de Apoio ao Aluno)?

Eu comecei a frequentar o GAA no segundo período.

O que fazes no GAA?

Vou lá com os meus colegas desabafar quando tenho problemas.

O GAA ajudou-te a ultrapassar as dificuldades? Ajudou muito.

Gostaste dos professores que te ajudaram? Sim, foram muito simpáticos.

Aconselhas o GAA aos teus colegas?

Aconselho, porque a professor Marina dá-nos bolachas (risos). Agora a sério, é um espaço onde há pessoas que nos podem ajudar nos nossos problemas.

O que achas do espaço do GAA?

Acho que é acolhedor e confortável. ● Pedro Amaro

Marisa Santos, animadora O que é o GAA?

É um gabinete de apoio ao aluno, que apoia os alunos desta escola a vários níveis: disciplinar, educação para a saúde, relacionamento interpessoal, autoconhecimento e presta apoio social.

Para que serve o GAA?

Serve para receber os alunos em casos de indisciplina em sala de aula e recreio. Os alunos podem também vir de forma espontânea, conversar e tirar dúvidas com os professores e técnicas do GAA. No GAA também se realizam reuniões de sensibilização de educação para a saúde com as enfermeiras estagiárias da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e Centro de Saúde de

Gabinete de Apoio ao Aluno Eiras. Neste espaço também se realizam tutorias pedagógicas e comportamentais.

Como podemos frequentar o GAA?

Todos os alunos podem vir ao GAA. Tem um horário flexível de Segunda a Sexta, das 8h30 às 1 6h30.

Quem nos pode ajudar?

A equipa do GAA é formada por professores, entre eles a professora Marina Quintela, coordenadora do GAA, e por técnicos, entre eles duas psicólogas, uma técnica de serviço social e duas animadoras socio-culturais. ● Diogo Neves

[ 33 ]


Entrevista

A

Anaquim

naquim, banda natural da nossa cidade, Coimbra, com o seu primeiro álbum intitulado “As vidas dos outros”, já lançado, deu uma entrevista ao Bazófias. Mais conhecidos por músicas como “Os Lusíadas” e “Violino no telhado”, já para não esquecer da homónima do CD (A Vida dos outros). Nas letras podemos encontrar uma crítica à sociedade em geral muito inteligente e bem estruturada. No passado dia 27 de Maio, estiveram na nossa escola, mais concretamente no 9ºB, para contar um pouco das suas experiências enquanto músicos, assim como das barreiras que foi e é preciso ultrapassar. Concluímos que não é de todo fácil ingressar neste mundo, e mais difícil ainda no nosso país.

A sua presença esteve no âmbito do projecto que se veio a desenvolver ao longo de todo ano, na disciplina de Área de Projecto, denominado “Despertares”. Pretende informar os alunos finalistas das várias opções de futuro e das metas que será preciso atingir.

A música é uma aventura... Se não fossem músicos, que estariam a fazer? Em Portu-

[ 34 ]

gal é fácil seguir por este ramo?

Não, não é de todo fácil, e a prová-lo está o facto de que todos temos “dois empregos”. Entre carreiras em investigação científica, gestão, análises clínicas, técnicos especializados e empresários (agora descubram quem é quem), a música em Portugal começa por evoluir em geral como hobby, e só se arranca para uma carreira exclusiva na música quando se atingiu um certo renome. Mas é uma aventura, isso sim!

A vossa música transmite uma mensagem forte, uma crítica à sociedade muito boa. Como é/tem sido a reacção do público?

A reacção do público tem sido muito boa. Pensar que o público não liga às mensagens que se passam nas canções é um erro, e são tantos os que nos dão os parabéns pelas músicas como pelas letras.

Quais são as vossas influências, inspirações?

Musicalmente, é de tudo um pouco, e é daí que vem a versatilidade do nosso som, mas especialmente ritmos marcados como o jazz manouche, os ritmos balcânicos, o country ou o dixie. Para as letras inspiramo-nos na vida e


Entrevista no quotidiano, que é uma fonte que nunca se esgota.

Qual a vossa opinião em relação à liberdade de expressão? Condicionada ou não?

turalmente se passa no país, boa vontade e boa gestão de recursos. Poderia porventura resultar^

O espírito da Queima ainda é o mesmo?

Hoje em dia? Está muito pouco condicionada, especialmente com a Internet em constante crescimento.

Provavelmente não, mas também não seria de esperar que fosse. Os tempos são outros e o espírito mudará também. Mas a força e vontade dos estudantes de Coimbra para ajudar a mudar o que não gostam ainda está lá.

Vocês cantam em português, porém está “na moda” cantar sempre em inglês... Qual a vossa opinião em relação a isso?

Que memórias guardam dos concertos?

Penso que é uma questão de contexto e não de modas. Se eu for cantar rock se calhar é natural cantar em inglês, se for fado será mais expectável o português. Cada um escolherá a forma que mais achará adequada para se expressar e conjugar os seus temas com o espectro musical em que se insere.

Partes que correm muito bem ou muito mal. O que corre de acordo com o plano geralmente não fica para ser contado.

Não é uma pergunta muito fácil, mas qual a vossa música favorita dos Anaquim?

Acham que os jovens de Hoje se Consideram que seriam melhor interessam pelo que se passa à sucedidos se cantassem em sua volta? Por exemplo, em Os inglês? Lusíadas, vocês falam nos Não, mas menos gente reparava problemas do país. Consideram quando eu me engano nas letras. que os mais novos estão desperAcham que há investimento na tos para estes assuntos? Sim, das poucas coisas boas que a cultura em Portugal? Porquê? Há algum, poderia haver mais (com menos esbanjamento), mas diga-se também que vivemos um clima de austeridade extrema e provavelmente não é a melhor altura para reivindicar tudo e mais alguma coisa. Ir-se-ão conquistando melhores condições aos poucos

“crise” trouxe, é que as pessoas, com especial destaque para os jovens, estão mais atentas ao que se passa à sua volta e às consequências das medidas que todos os dias se tomam

Vocês estiveram este ano na Queima das Fitas. Como foi? As eleições legislativas realiza- Qual a sensação? Qual a vossa ram-se muito recentemente. Que opinião em relação às actuais é que gostavam de propor ao festas da Academia? futuro governo para a área da É uma sensação indescritível. Coimbra tem um ambiente acadécultura? Simplesmente atenção ao que cul-

caem um pouco no exagero, e é importante não deixar que a Queima de Coimbra se torne “só num festival”.

É a que acabámos de compor ou aquela que vamos compor a seguir!

Como é ouvirem as vossas próprias músicas na rádio?

É uma sensação de reconhecimento de um trabalho bem feito. E também é um pouco estranho^ da primeira vez julguei que tinha o CD no leitor por engano.

Para quando um novo álbum? Este reservará grandes surpresas? Em princípio para o início do ano que vem. Surpresas? De certeza, até para nós!

São realmente uma banda que demonstram que em Portugal é possível fazer-se boa música. ● Ana Laura Martins

mico único. Actualmente as festas

[ 35 ]


Cinema

M

r. Nobody, do realizador belga Jaco Van Dormael, estreou em 201 0 em França e na Bélgica, porém nunca chegou ao nosso país. Uma obra pouco falada, pouco comercial, mas que rodou por festivais da 7ª arte como a 66ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza em 2009 (onde Van Dormael foi nomeado para o Leão de Ouro), o Festival Internacional de Cinema de Toronto (onde obteve críticas bastante positivas) e o Festival de Cinema de Karlovy Vary em 201 0. Sagrou-se vencedor do prémio People’s Choice Awards 201 0 na 23ª Edição dos Prémios de Cinema Europeus (European Film Awards). O argumento do filme remete o espectador para um cenário futurista, em 2092, onde o protagonista, Nemo Nobody, é o último humano mortal existente, dado que a sociedade de então é imortal. É-lhe pedido por um jovem repórter que fale sobre a vida nos seus tempos de juventude, que conte a sua história. Um enredo que nos leva a concluir que não existem escolhas “boas” ou “más”, apenas escolhas que influenciarão toda a nossa vida. No fundo “o que acontece se escolhermos este e não aquele caminho”. Tudo começa quando Nemo, ainda criança, perante o divórcio dos pais é obrigado a escolher com qual quer ficar. Uma escolha nada fácil. A mãe iria mudar de cidade portanto, escolhendo qualquer um dos progenitores, afastar-se-ia do outro, para já não falar da mudança drástica no rumo do seu futuro (embora o nosso pequeno Ninguém ainda não tivesse essa consciência).

[ 36 ]


Cinema

O entrevistado contará as duas versões da história, facto que deixa o jornalista deveras confuso. Depois, seguindo simultaneamente estes dois rumos, Nemo recordará os seus tempos de adolescente e contará o que foi apaixonar-se (algo, que podemos perceber pelas entrelinhas que não acontecerá no futuro) e o que um “sim” ou um “não” podem mudar uma vida... Uma história a 2 ou uma distância descomunal... Mais uma vez, o repórter não acompanha a narrativa... E para finalizar, Mr. Nobody, com 34 anos vivendo o resultado das suas escolhas que podem passar por um grande amor reencontrado passados vários anos, um casamento com uma rapariga desequilibrada, temperamental, que acaba por colocar entraves à felicidade tendo que lidar com os filhos sendo um pai dedicado e derretido (que sem dúvida era), apoiando sempre a mulher e assim por vezes sujeitando-se a duros e injustos insultos que magoam mas que acaba por perdoar, dado que apenas quer a família feliz, ou ainda, uma vida de sonho, com tudo o que pudesse alguma vez ter imaginado, mas terá de partilhá-la com alguém que não era propriamente o seu grande amor... Num misto de teorias científicas que englobam desde o Big-bang até à mais pequena partícula, com dimensões de diferentes naturezas, universos paralelos... “Porque é que um cigarro já fumado não pode voltar a ser um

cigarro?” “O que leva o tempo a correr sempre na mesma direcção” até à mais elementar mas que nem por isso menos curiosa “será que nós realmente existimos?” Uma narrativa subjectiva rodeada de ficção científica e que demonstra que há sempre uma alternativa forte e completamente oposta à vida que temos mas, mais uma vez, não há escolhas certas ou erradas... há decisões que têm que ser tomadas em instantes e que mudam a nossa vida para sempre. Para melhor ou pior...? Talvez até nos conduzam para o mesmo fim... ou então não. Falando agora a um nível pessoal, gostei bastante deste filme dado que faz pensar e analisar a vida sob diferentes perspectivas. Um filme pouco falado mas que merecia um maior reconhecimento do público em geral. É pena que não tenha estreado em Portugal. Daqueles que não queremos que acabem pois não são previsíveis e em que, aliás, só percebemos qual foi a real vida do protagonista praticamente no final. É algo que hoje em dia é

raro e talvez por isso, tão bom. Um guião original, uma história fora do comum e com performances igualmente boas. Saliento o desempenho de, Thomas Byrne que interpreta o Mr. Nobody com apenas 9 anos de idade e que, sendo um actor ainda jovem, revelou grandes capacidades, Toby Regbo, a mesma personagem, agora com 1 5 anos, Juno Temple, que interpreta Anna com 1 5 anos, Natasha Little, e por último, mas de todo o pior, Jared Leto, que interpreta Nemo com 34 e também com 11 7 anos. Este mais conhecido no mundo do cinema pelo filme “Requiem for a dream” (2000), conseguiu prender-me à história durante todo o filme graças a uma interpretação fiel e realista, tal como já é seu hábito. Um filme que recomendo vivamente a todos que gostem de ficção científica, mas não só. Vale a pena. ● Ana Laura Martins

[ 37 ]


Música

F

oi a 1 6 de Dezembro de 201 0 que os 30 Seconds to Mars pisaram pela terceira vez um palco português, pela segunda o Pavilhão Atlântico. Tinham estado em solo luso em Fevereiro e Maio de 2008 na Tour anterior. Este terceiro foi sem dúvida um concerto memorável que ficará para sempre na memória das mais de dezoito mil e quinhentas pessoas que se deslocaram de todo o país e do estrangeiro para presenciar. As filas para as diferentes portas (bancadas, plateia em pé, rampas...) eram de perder de vista. O dia estava frio, mas tal não impediu nada dado que começaram a chegar pessoas às 1 0h da manhã. Por exemplo nós chegámos 4 horas antes do começo do espectáculo e, por essa altura, já a nossa fila, que conduzia à plateia em pé, dava uma grande volta à estrada. Vivia-se um clima intenso em que todos partilhávamos o mesmo espírito. Enquanto aguardávamos a tão desejada entrada, íamos ouvindo o som que saía do interior do edifício enquanto decorria o sound-check, trauteando as músicas para conferir se estava “tudo na ponta da língua”, apenas intervalando com a confirmação de que os bilhetes estavam mesmo na mochila (fizemo-lo mais de 8 vezes, sem exagero). Pelas 1 9h, as afamadas portas abriram ao som de um grande aplauso. Passámos a segurança e entrámos apressados para garantir um lugar na frente e conseguimos a 3ª fila (sendo que, no decorrer do concerto, conseguimos chegar às grades. A sala Atlântico encheu num piscar de olhos. A abrir a noite, às 20h, actuaram os portugueses “More than a Thousand”, num estilo eloquente e enérgico. Dentro do seu género, um pouco mais Heavy, muito bom dado o reportório que apresentaram e a dinâmica do vocalista que levou o público ao rubro com uma das suas músicas e ao dizer que “é para nós um grande prazer partilhar este palco com uma banda como os 30 Seconds to Mars”. O único problema desta primeira apresentação foi que a banda não teve muito palco e houve uma pequena falha de som mas que, felizmente, rapidamente foi resolvida.

Fotos: thirtysecondstomarsportugal.com [ 38 ]

Marcava o relógio as 21 h quando, já após o palco estar deserto, começa a passar o polémico videoclip Hurricane (a versão censurada dado que a outra apenas está disponível no site oficial da banda), então o mais recente, que nos levou a cantar a plenos pulmões, ainda que com os autores nos bastidores. Pouco depois, dá-se uma imponente e indescritível abertura com Escape seguida de Night of the


Música

Hunter. No centro do palco, um enorme Triad, o símbolo principal do grupo (existem vários). Tomo Millecevic assumira o controlo da guitarra, Shannon Leto dera conta da bateria e Jared Leto, do micro, da guitarra e de nós por mais de 2 horas de plena emoção! Realmente são uma banda especial que tem uma relação com a sua “família” como raramente se vê. Uma perfeita sintonia... Jared Leto, de cabelo azul eléctrico correu o palco, rodopiou, cantou e mandou cantar, tirou uma foto para o Twitter e garantiu-nos que naquela noite estava reunida a melhor família do Universo. Tal é para eles verdade, dado que numa entrevista nos EUA eles garantiram que os melhores momentos da Tour eram sempre em Portugal e na Polónia. Metia-se constantemente com o público conseguindo que entrássemos em todas as suas “artimanhas” e levando-nos a cantar ora de forma alternada, ora todos ao mesmo tempo assim como ver qual dos lados e qual dos sexos gritava mais alto. Chegou mesmo a parar o concerto pois alegou que havia na fila da frente um rapaz que não estava a vibrar connosco e com eles e isso “não podia ser”. Houve espaço para os dois mais recentes álbuns, “A beautiful lie” e, obviamente, “This is war”, e ainda para uma música desconhecida e nova... “uma música especial para uma cidade especial”. Como sempre, não faltaram os acústicos em que a sala se encheu de luzes de telemóveis e máquinas fotográficas, a pedido do vocalista. Estes b-sides são tão famosos e adorados como os originais. Para nossa surpresa, tocaram ainda a

sua versão do conhecido Bad Romance de Lady Gaga mas que porém, e ainda bem, em nada se assemelha ao original. O Pavilhão Atlântico vibrou quando soou “From Yesterday”, “A beautiful Lie”, de novo Hurricane, momento em que caem milhares de confettis, mas os momentos mais altos foram, a meu ver, o momento em que o Jared, em “The Kill” (que começa com a versão acústica mas termina com a original), decide fazer algo pelo qual já é conhecido mas que faz delirar os fãs, o “crowd surfing”. Saliento também quando tocaram “This is War”, a música que deu nome ao álbum, e “Closer to the edge”, música em que o público grita a uma só voz “NO NO NO NO!” e que brinca com balões gigantes. Mas acima de tudo, o encerramento... magnífico. “Kings and Queens”, que já consiste numa espécie de hino da banda, foi a escolhida para o derradeiro momento. Aqui é a nossa vez de subir ao palco, ou seja, algo pouco usual por estas bandas. A banda escolhe aleatoriamente gente da audiência (entre 20 a 40 pessoas) para subirem ao palco e partilharem com os MARSianos este momento tão único e especial. Inexplicável, quase inacreditável, fantástico! A 1 6 de Dezembro de 201 0, mais de 1 8500 pessoas “foram a Marte e voltaram”. No fundo, foi Into the Wilde, a tour que terminou no final do ano, em todo o seu esplendor! Jared disse durante o concerto no Redding Festival “o nosso trabalho é garantir que todos os que nos vão ver tenham a possibilidade de, por algumas horas, se libertarem por completo e de viverem a melhor

noite das suas vidas”. Em resposta, tenho a dizer apenas “missão cumprida!” Os 30 STM prometeram voltar em breve e, para provar que gostam mesmo de solo lusitano, foi anunciada a sua presença no festival Optimus Alive 2011 no dia 8 de Julho. Quem não pôde ir em Dezembro, aconselho vivamente a ir agora. Não será a mesma coisa dado que um concerto independente é sempre diferente da passagem por um festival mas decerto que a imponência do espectáculo, já para não falar na música, valerão na mesma a pena! Contrariamente ao que se ouviu, e cito MTV, “não foram só pais a levar os filhos ou rapazes a acompanhar as namoradas”, foram ao espectáculo gente de várias idades mas que partilham da mesma opinião. Frases mais célebres da noite: “I want to see you dance baby dance!” “I want to say thank you for making us feel like we’re home” “I’m going to say right here, right now to you and to the cameras: this is the best show of this entire f^^. tour!” “You’re like me, you’re survivals! You survive no matter what!” “Lisbon, jump and touch the sky!!!” Falaram ainda da comida, da cidade e disseram que Portugal podia ser dos países mais pequenos da Europa, mas que era muito “grande”. Um momento digno de infinitas palavras... “Provehito in Altum” levado à letra. ● Ana Laura Martins

[ 39 ]


Música

U

2 tiveram de novo presença nos palcos portugueses a 2 e 3 de Outubro de 201 0, no estádio de Coimbra, depois de terem estado em Alvalade em Maio de 1 993. Eu estive presente no dia 2 de Outubro, mas nestes dois dias os U2 deram dois concertos para dezenas de milhares de pessoas, não só de Coimbra mas de todo o resto do pais, assim como não podiam faltar também fãs de outras nacionalidades que não conseguiram deixar de ir ao concerto desta tão prestigiada banda. Cheguei ao estádio mais ou menos pelas 1 7h30. Nunca tinha visto a nossa cidade com tal imensidão de gente. Tudo aguardava o tão esperado concerto. Depois , de algum tempo na fila deu-se a passagem pela segurança que nos iria seguir para um lugar tão fabuloso. Quando entrei no estádio fiquei com a boca aberta por breves momentos a observar todo aquele palco, que era perfeito, de um mecanismo brutal, que era do encanto de

qualquer ser humano. Tinha lugar na bancada e no relvado , mas os meus acompanhantes acharam que teriamos melhor visão no relvado . No chão estavam pessoas sentadas e muitas de pé. O estádio ainda não estava cheio mas com o passar das horas cada vez menos se viam as bancadas vazias. Todo aquele cenário enchia-me a vista, sentia-me agradada e muito surpreendida. O Sol já se punha, apesar de ser Outono a noite estava bem calorosa . Os U2 entraram no palco às 22h00 ao som de “Space Oddity “. Após isso gritaram “Briosa”, deixando os conimbricenses inchados de orgulho . Aquando esta entrada eu por dentro explodia de alegria, sentia-me num local diferente que me fazia sentir serena e ao mesmo tempo eufórica, para mim foi um orgulho ter uma banda de tanto prestígio na minha frente. As luzes do estádio tinham-se apagado e todo o palco nessa altura brilhava, com aquelas cores que o iluminavam.

U2 em Coimbra [ 40 ]


Música O estádio já estava completamente lotado, e eu sendo pequena já me tinha que sujeitar a dar um pulinhos para ver se vislumbrava mais ao menos alguma coisa, apesar do espectáculo estar a ser todo transmitido num ecrã que fazia parte do palco. Todas as pessoas estavam encantadas de tal maneira que cantavam e dançavam como não houvesse amanhã. Os pontos altos da noite foram, sem dúvida, quando se ouviram as músicas “One” e “With or without you”. Quando o Bono iniciou a música “With or without you” olhei em meu redor e, naquela imensa escuridão, todo o estádio estava iluminado por isqueiros, o que fez com que a música ganhasse ainda mais encanto. A música “One” também foi um dos momentos altos porque transmite uma mensagem que toca a qualquer um, à qual aquelas imagens introdutórias que antecederam a música deram ainda mais ênfase. O concerto terminou e, para mim, foi dos melhores concertos da minha vida até à data. Apesar de ser uma banda dos tempos de juventude dos nossos pais, ainda é hoje uma banda de eleição para a minha geração. Todo o dinheiro gasto neste concerto foi sem dúvida bem gasto porque é mesmo algo diferente, fora do comum e que deixa qualquer pessoa noutra dimensão. Resumindo, foi das melhores experiências da minha vida, que espero um dia mais tarde poder voltar a repetir. Adorei! ● Ana Carolina Marques

Fotos: community.u2.com

[ 41 ]


Televisão

"$#*! my dad says”, “As parvoíces do meu pai” na versão portuguesa, é uma série que estreou no nosso país na altura da Páscoa no Sony Entertainment Television. Protagonizado por William Shatner que interpreta Ed, um médico agora reformado e veterano de três guerras, de 72 anos de idade, divorciado pela terceira vez e pai de Henry, escritor e blogger, e de Vince, que age sempre consoante a vontade de Bonnie, sua mulher. Uma “personagem” deveras curiosa, com ideias muito precisas e opiniões sobre tudo e mais alguma coisa que insiste em dar mesmo quando não lhe são requeridas e que normalmente conduzem a situações caricatas e cómicas. Vivia sozinho há já alguns, tendo por isso criado os seus ritmos e rotinas. Tudo seguia normalmente até ao dia em que Henry não tem outra opção, por motivos económicos, e se vê obrigado a ir viver com o progenitor. A vida de ambos muda completamente. Não é fácil viver com um pai assim tão directo e que nunca deixa nada por dizer

[ 42 ]

(nada mesmo) seja a quem for e onde for. O pior é que na maioria dos casos diz o que não deve... ou ainda pior, faz o que não deve. Por exemplo se alguém entra na sua propriedade depois das 21 h é recebido ao som de uma caçadeira e um olhar feroz e zangado. Este homem que fala mais com os tomates e os pepinos do que com o filho e consegue arrasar todas as tentativas do rapaz conseguir ter um encontro que seja com uma rapariga dá que falar e ainda mais que rir. As aventuras de Ed numa comédia hilariante que ninguém vai querer perder, ainda mais se acrescentarmos que esta série é uma simples adaptação de um feed de Twitter de Justin Halpern, escritor de comédia que vai publicar as “famosas” situações do seu pai. Tal chega inclusive a ser divulgado no conhecido Talk Show americano, Daily Show. Em Fevereiro deste ano, a página tinha mais de 2.000.000 de seguidores. ● Ana Laura Martins


Informática

Cubos viraram moda

Cubos viraram moda através do novo jogo Minecraft. O jogo ainda se encontra em fase Beta, mas já pode ser adquirido. Minecraft é um jogo de sobrevivência, em que o jogador se encontra num mundo de cubos que variam entre terra, madeira, metal. O jogador pode utilizar ferramentas para apanhar esses cubos, como uma picareta ou uma pá. Pode até mesmo usar uma espada para se defender dos monstros inimigos que só aparecem de noite.

É um jogo que merece ser jogado e, sendo educativo ao mesmo tempo, pode assim ser jogado por jogadores de diferentes idades com a promessa de que se vão divertir. ● André Bento

O jogador pode criar naves voadoras, um simples abrigo ou uma super mansão, tudo depende da criatividade do próprio jogador. O jogo têm também versão online que ainda possui alguns bugs mas esses não influenciam directamente na jogabilidade.

Portal já tem continuação

Portal 2 é um jogo na primeira pessoa, de tipo puzzle, desenvolvido pela Valve. É a sequela do jogo Portal (de 2007) e foi anunciado em 5 de março de 201 0.

Embora inicialmente previsto para ser lançado no último trimestre de 201 0, o jogo foi adiado para 1 8 de Abril de 2011 . Portal 2 é essencialmente uma série de enigmas que devem ser resolvidas por teletransportar a personagem e os objetos simples usando a "arma do portal", uma arma que pode criar portais entre duas superfícies planas.

do portal, tendo como objectivo exterminar o computador de inteligência artificial. Portal 2 também inclui um modo de dois jogadores “cooperativo” onde devem trabalhar juntos para completar cada câmara de ensaio utilizando as suas próprias armas individuais portal. ● André Bento

A física original do jogo permite o impulso entre portais, entre outros aspectos, exigindo o uso criativo de portais para manobrar através dos vários níveis. Outros elementos de jogabilidade foram adicionados ao Portal 2, incluindo tractores, vigas,laser redireccionado, gases especiais e pinturas que conferem propriedades especiais. Dentro da campanha single player, o jogador deve navegar pelo Aperture Science Enrichment Center (edificio de teste) e suas câmaras de teste com a arma

[ 43 ]


Informática

www.grooveshark.com

O Grooveshark é um serviço de streaming de música. Após encontrarmos a música que pretendemos recorrendo a um sistema de pesquisa simples, podemos ouvi-la ou, caso tenhamos registado uma conta grátis, adicioná-la a uma playlist. As playlists ficam associadas à nossa conta, estando disponíveis assim que iniciamos a nossa sessão no website, podendo ainda ser partilhadas com quem quisermos. Está também disponível um modo "rádio", em que escolhemos um género de música, ficando a escolha de músicas a cargo do website - no entanto, podemos indicar se estamos a gostar ou não do que ouvimos, e o sistema irá alterar as músicas escolhidas para tentar adaptar-se ao nosso gosto. ● Pedro Amaro

www.miniclip.com

O Miniclip é um site onde te podes divertir à grande com os mais variados jogos, podes viver um momento só teu à volta dos teus jogos favoritos sem teres de gastar dinheiro. Tem desde jogos de carros a jogos de futebol, brinquedos, puzzles, vestir bonecas, zombies, naves, ping pong^ e muitos outros. Várias são as formas de jogar, podes ser um jogador, dois, ou até mais, podes jogar on-line (com outros jogadores) ou com o computador (CPU). Tens uma tabela onde se encontram os jogos mais praticados ultimamente, titulado como o TOP 1 0, os dez mais jogados, e outra para os outros jogos. Tens vários temas para poderes escolher a secção de jogos que queiras jogar, como o desporto, a acção, as artes marciais e muito mais. O Miniclip é uma caixa de surpresas mas para que fiques surpreendido tens de ver! ● Margarida Campos

[ 44 ]


Informática

H

oje em dia quase toda a gente está registada em pelo menos uma rede social. As mais conhecidas a nível mundial são o Facebook, o MySpace e o Twitter, mas existem outras como o Hi5.

de followers (retweet), ou definir um assunto na nossa mensagem, usando o cardinal (por exemplo, "#donniedarko Vi ontem o filme, está muito fixe") - a tal atribui-se o nome de Hashtag.

A mais popular actualmente é o Facebook (surgiu em 2004) e que, segundo dados recentes , conta já com mais de 530 milhões de utilizadores. Para teres uma ideia menos abstracta, Portugal tem cerca de 1 0 milhões de habitantes, por isso é o equivalente a 53 vezes a nossa população. Grande parte dos teus amigos tem, não?

Por fim, quando queremos enviar um tweet dirigido a alguém especificamente, basta colocar o @ seguido do seu nome, ou seja “@nome_de_utilizador”. Estar “em contacto com o mundo” torna-se assim muito mais fácil.

E twitter? Quantas pessoas conheces que sejam membros activos no twitter? Segundo dados da organização do site, existem 1 75 milhões de utilizadores espalhados pelo mundo (cerca de 1 7,5 vezes superior ao número de portugueses). As linhas base de funcionamento são idênticas às da rede anterior mas com uma particularidade: as mensagens e os textos, mais conhecidos por “tweets” não podem exceder os 1 40 caracteres. No fundo, destina-se a comentários práticos, directos e claros até porque de outra forma os limites eram impossíveis de atingir. Sendo de acesso fácil e gratuito, cada pessoa pode criar a sua própria página do Twitter e editá-la. Posteriormente pode seguir outros utilizadores, tornando-se follower (desde amigos, figuras públicas, produtos, etc), podendo ter também seguidores da sua página, tornando-se followed. A partir do momento em que te tornas seguidor, serás notificado sempre que a página do twitter em questão for actualizada, ou seja sempre que sejam publicados novos tweets. É ainda possível recorrer a outras opções como: É também possível reenviar uma mensagem à tua lista

No entanto há que atentar no seguinte: sendo que tudo é feito em tempo real, torna-se muito fácil a partilha de notícias pelo mundo todo de forma praticamente instantânea. Isto pode conduzir à criação de boatos, rumores infundados, especulações que não correspondem necessariamente à verdade. É preciso ter ciente na memória que não devemos acreditar em tudo o que lemos na internet dado precisamente este factor. Por outras palavras, se é possível expandir assim a informação, qualquer pessoa o pode fazer, dizendo o que quiser. Devo confessar que não tenho conta no twitter, todavia uso-o regularmente. Ou seja, mesmo não sendo utilizadora, costumo acompanhar algumas páginas que me interessam, para isso basta ir a www.twitter.com/ seguido do nome da página a que pretendo aceder. Relacionados com esta edição do jornal, recomendo, por exemplo, o twitter oficial dos 30 Seconds to Mars www.twitter.com/30secondstomars - assim como dos elementos da banda (todos têm twitter gerido pelos próprios e não pelos assistentes): Jared Leto: www.twitter.com/jaredleto Shannon Leto: www.twitter.com/shannonleto Tomo Milicevic: www.twitter.com/tomofromearth ● Ana Laura Martins

[ 45 ]


TEIP

Apontamentos da minha reflexão de dois anos de frequência no curso EFA de Nível Secundário na EB Rainha Santa Isabel Pela mão da prima Lina, cheguei à escola Rainha Santa Isabel. Não foi no momento mais apropriado, pois estava muito doente, mas com a ajuda de todos cheguei até aqui. Houve de tudo: lágrimas, muitas quedas, gargalhadas, muita brincadeira e um grave acidente que me levou a ficar internada e me afectou bastante. (…) Já passou!.... Mesmo com altos e baixos, foram dois anos fantásticos. Muito positivos mesmo até quando estive a fazer o eletroencefelograma, durante uma semana sem poder sair do sítio, (…) e eu sempre a trabalhar, agarrada ao portátil do meu filho, bem-disposta a fazer os trabalhos da escola que os meus professores me facultavam. (…) Os enfermeiros mostravam admiração, pois disseram-me que naquela sala nunca um doente trabalhou com tanto ânimo (…). Mas para mim era normal: a escola era um escape. (…) Em STC, com o professor Aleixo, as aulas foram, além de animadas, muito proveitosas. Sabia um pouco do que preciso do sistema informático no meu emprego, uma vez que o nosso sistema já está preparado de tal forma e é só procurar no Word ou Excel as matrizes, ou minutas, e alterar o seu contexto. Mas aperfeiçoei-me, e agora trabalho muito melhor. O Excel e as tabelas, e o PowerPoint? (…) Nunca tinha feito nenhum trabalho embora já tivesse visto em apresentações, mas não sabia o que era, e agora tenho trabalhos óptimos! (…) Com a professora Catarina, que foi em tempos colega dos meus filhos, fiz a descoberta de uma área de competência chave que era nova para mim, pois não fazia ideia o que era Cidadania e Profissionalidade, e adorei. Fiquei mais enriquecida e já dou por mim a falar de coisas no dia-adia que desconhecia, e agora, falo com mais abertura. Esta disciplina é muito abrangente. Tem muitos temas, é muito rica, a nível de matéria, pois é muito completa. Gosto muito pois é uma disciplina que não se esgota. (…). Com a professora Irene, tivemos CLC, que foi, de todas, a mais importante para mim (…). Pois, eu sempre lhe disse que nunca soube, nem sei onde pôr, as vírgulas. (…) Aprendi muito com a professora Irene, pois tratámos de muitos temas, matérias muito importantes para o meu trabalho, e também para a minha cultura geral. De todos aqueles poemas, que adoro, e todos os filmes que com ela tenho visto, não houve nenhum que não me tivesse tocado! Mas claro, volto a repetir que esta área, para mim, pela escrita, pela leitura, pelo seu conteúdo, por todos os temas que tratados, e os que não foram tratados, é a mais enriquecedora. (…) Bom, para acabar, vou falar da maravilhosa Teacher! Alegre, simpática (devia escrever estas linhas em inglês, não era? Pois é, mas ainda não consigo...Acho… acho não, tenho a certeza, que culpa é minha, não é da professora Ângela, pois então!), se eu continuasse com ela mais um ano, assim a aprender Inglês com uma professora tão alegre e competente, (…) aprendia muito mais! Foram dois anos que nunca vou esquecer. Vou sentir logo na primeira semana muitas saudades. Acho mesmo que se tiver que sair de casa à noite, o meu carro vai virar e, muitas vezes, vou parar aqui à porta da escola, e ficar um pouquinho a olhar cá para dentro com vontade de entrar… Até sempre… Anabela Marques

[ 46 ]


TEIP

Entrevista:

Luís Araújo, ex-aluno CEF Luís Araújo, 1 7 anos, antigo aluno da Escola Básica Rainha Santa Isabel, cedo mostrou a sua determinação e capacidade de iniciativa quando, após terminar o Curso de Educação e Formação de Instalação e Operação de Sistemas Informáticos, foi o próprio a providenciar o local onde iria estagiar, o Centro Electrónico de Coimbra, onde realizou um trabalho consistente de amadurecimento das suas competências técnicas e sociopessoais. Quisemos saber mais sobre o seu percurso académico, as suas motivações e perspectivas para o futuro. Luís, sabemos que estás a estudar na Escola Secundária D. Duarte, no curso Programação e Gestão de Sistemas Informáticos. Em que medida julgas que o facto de teres completado o CEF de Instalação e Operação de Sistemas Informáticos na EB Rainha Santa Isabel terá contribuído para essa opção? Sim, porque no 9º ano estava com muitas dúvidas, até que surgiu este curso, e gostei e agora estou a aprofundar-me nesta área.

Seguiu-se o estágio no Centro Electrónico, que tu próprio arranjaste. Como surgiu esta oportunidade? Estávamos numa aula de ICORI e até que o professor Pedro Amaro disse que poderíamos arranjar nós o próprio estágio, e depois mandei um e-mail a várias empresas, até que o Centro Electrónico disse que estaria interessado.

Em que medida o trabalho que desenvolveste durante o estágio terá sido importanRecordas-te, certamente, da altura em que te para a consolidação e aperfeiçoamento escolheste o CEF de Instalação e Operação das tuas competências técnicas e também de Sistemas Informáticos para prossegui- sociopessoais? res os estudos na EB Rainha Santa Isabel. Vou ser muito sincero, e a culpa é minha, mas Como soubeste da existência desta opção? a empresa para onde fui não tinha nada a ver Foi a psicóloga e a minha Directa de Turma.

com o que os meus colegas estavam a fazer.

Que razões te levaram a tomar essa decisão? Recebeste orientações de alguém para o fazer?

Quais as tuas perspetivas de futuro após a conclusão do Curso Profissional Programação e Gestão de Sistemas Informáticos?

Fala-nos dos aspectos mais marcantes da tua passagem por este CEF na Escola Básica Rainha Santa Isabel.

Que conselho darias aos colegas que estão agora a tirar o mesmo CEF que concluíste na EB Rainha Santa Isabel e que se sentem motivados pela área da Informática?

Disseram-me que era interessante, e decidi experimentar.

Aspectos mais marcantes? Acho que foram todos, mas o principal foi ter tido muitas aulas com o professor Pedro Amaro.

Não sei responder neste momento.

Acho que fizeram uma boa escolha, espero que gostem tanto do curso como eu.

● Biblioteca Escolar

[ 47 ]


O Bazófias - Número 35  

Jornal do Agrupamento de Escolas da Pedrulha

O Bazófias - Número 35  

Jornal do Agrupamento de Escolas da Pedrulha

Advertisement