Page 1

OUTUBRO DE 2017

R E V I S TA D A PA R Ó Q U I A S Ã O J O Ã O B AT I S TA - FÁT I M A


Um ano de graça do senhor Por Padre eduardo da Costa, PÁroCo

Amados em Cristo Senhor! Este é um ano de graça do Senhor, porque como paróquia podemos cantar junto com Maria “o Senhor fez em mim maravilhas e santo é o Seu nome!”, porque Deus tem feito maravilhas nestes 50 anos de história da Comunidade Matriz São João Batista. A história do Fátima e das pessoas que construíram este bairro se confunde com a história da Comunidade São João Batista. Esta comunidade tem marcado os momentos mais importantes de inúmeras pessoas, muitas das quais se orgulham de ter recebido todos os sacramentos de iniciação a vida cristã aqui, a catequese, o matrimônio, de aqui ter feito inúmeras amizades, de ter contribuído na construção desta história participando de pastorais e movimentos e de tantos aprendizados, enfim, é uma história de graça e amor de Deus. Nestes 50 anos muitas coisas boas aconteceram, e são a grande maioria que nos orgulham e nos enchem de esperança. Houveram também dificul-

www.saojoaobatistadofatima.com.br

02

dades, tropeços, mas todo processo de amadurecimento precisa enfrentar a cruz para se configurar com Cristo, e isso é normal na história de toda família ou grupo de pessoas, esta é a nossa experiência diária. Nesta data memorável, que por providência coincide com a Solenidade de Nossa Senhora Aparecida e com o Jubileu dos 300 anos do achado da imagem no rio paraíba, queremos elevar nosso agradecimento em primeiro lugar a Deus que na Sua bondade tem sustentado esta comunidade e feito dela uma verdadeira “Casa de Oração”. Agradecemos também a Maria Santíssima Aparecida, que nestes 50 anos sempre acompanhou de perto a vida eclesial do nosso povo, mostrando sua maternal solicitude. Nosso agradecimento a todas as pessoas que colaboraram de perto com a Comunidade São João Batista: coordenadores, agentes de pastorais, líderes, catequistas voluntários em geral. Meus amados, esta história é bela por causa de vocês também, que se doaram, de forma sempre generosa e por amor a Deus na causa do Reino. Que Deus nosso Senhor abençoe sempre esta comunidade e que Maria Santíssima a proteja com seu manto.


Edição Especial Jubileu de Ouro

Algumas lideranças foram entrevistadas pela paróquia para conhecer o sentimento em relação a celebração das bodas de ouro. Foram contadas experiências marcantes, lembranças e a visão de um possível futuro da comunidade. Confira:

Somos instrumento Vanderlei Cardoso Estamos inseridos na comunidade desde 1990, e desde a época fizemos parte de muitas decisões. Acredito que somos instrumentos de Deus e que Ele sempre nos chama, mesmo na hora em que não queremos atendê-Lo. As pessoas que estão sempre ao nosso lado fazem memória desta comunidade e este é o sentimento mais profundo. Muitas foram as atividades desenvolvidas nestes anos, mas sem dúvida destaco as catequeses, a melhor vivência da nossa vida evangelizadora. Espero que continuemos fazendo este trabalho ótimo de Igreja missionária.

Fazemos parte dessa história

Imensa alegria

Alessandra e Adriano

Valdirisandro M. da Silva Vice coordenador da Matriz

O sentimento em relação a essa data importante é de que temos um povo dedicado e trabalhador por um único objetivo. Desde o início vi a comunidade crescer e sinto orgulho em saber que fazemos parte dessa história, é gratificante e me dá uma a sensação de dever cumprido. Um fato que destaco foi poder ter participado na implantação do ECC na comunidade, foi motivo de muito orgulho! Espero ver os projetos e obras prontas, mas sobretudo, sem perder o sentido maior que é a união da comunidade em Cristo.

Nosso sentimento é de imensa alegria, de vitória e de gratidão a Deus. Sentimento de quem viveu e construiu junto esta linda história até aqui, e com fé e perseverança continuaremos a construir. Nosso casamento foi o fato que mais nos marcou nesta convivência porque foi aqui na comunidade que nos conhecemos através do Grupo de Oração e do Grupo de Jovens Emanuel. Vivemos com o absoluto desejo e certeza de que a paróquia cresça cada dia mais, não somente em estrutura física, mas também espiritual para realizarmos juntos esse sonho, que não é só nosso, mas de Deus, que é de viver o céu aqui na terra.

www.saojoaobatistadofatima.com.br

03


Vocações que nasceram aqui Sempre acolhedora, desde os anos 80, nossa paróquia trabalhou com seminaristas, casais jovens e crianças em suas pastorais, um grande celeiro de vocações. Daqui saíram vários jovens para fazer acompanhamento vocacional. Em 2007 estávamos com oito rapazes no seminário diocesano. Além do diácono Elias que era nosso paroquiano, discerniu sua vocação aqui e hoje a persevera na obra da Comunidade Arca da Aliança, por meio da rádio e da presença dos missionários em regiões em resposta ao chamado do Senhor. Na Arca temos mais dois consagrados: a Cristiane e o tarcísio. Ambos iniciaram sua vida comunitária e a

evangelização em nosso meio. temos o Davi Leonardo Machado, com 19 anos, que está no segundo ano de Filosofia nos Arautos do Evangelho, em São paulo. Davi é filho de Ademir e Iliete, um casal muito ativo em nossa comunidade. temos um diácono permanente, Nelson Cabral. Ele foi uma alegria enorme para todos da comunidade. Seu chamado foi um momento de grande festejo. também celebramos a ordenação dos queridos, padre Gélio do Nascimento, padre Anderson da Silva e padre Adriano Guariniri. É muita graça para nossa comunidade. Confira os testemunhos:

pRESENçA de deus

diÁcono eliAs – Fundador da arca da aliança

SEU AMOR me tOcOu

Padre anderson silVa

O Mundo é pequeno para nós. por volta de meus 17 anos, no Grupo de Jovens Leões de Judá comecei a viver com muita intensidade na comunidade pelo fato de Deus dar continuidade ao Seu processo de Se revelar a mim. Seu amor me tocou de tal forma que não pude resistir aos Seus sonhos, que logo se tornaram os meus também. O Espírito Santo que particularmente agiu de forma paciente e eficaz me conduziu a perceber que Deus habitava em mim e o medo do mundo que me assolava aos poucos foi saindo, gerando uma enorme alegria de viver. Livre, assumi a vida presbiteral e não posso negar que o mundo é pequeno para quem é filho de Deus. Agradeço a paróquia São João Batista por ser esse meio que Deus usou para me amar.

www.saojoaobatistadofatima.com.br

04

São João Batista era o profeta do anúncio e da denúncia, diante disso eu creio que surgiu o meu carisma como fundador da Comunidade Arca da Aliança. A própria Comunidade São João Batista tem esse papel fundamental de “ser no mundo um sinal da presença de Deus”. Foi o que eu vivi na comunidade São João Batista, por isso creio que existe uma grande ligação entre esta comunidade e a minha vocação, que gerou a fundação da Arca da Aliança. Na Comunidade São João Batista me envolvi com o Grupo de Oração, Grupo de Jovens e Dízimo (quando ainda não era organizada como pastoral), mas foi no Grupo de Oração que aconteceu o meu chamado. Na Comunidade São João Batista foi o lugar que eu tive meu primeiro encontro com Jesus, meu batismo no Espírito Santo. Sendo assim, a Arca da Aliança é um filho original da Comunidade São João Batista. O carisma da Arca da Aliança foi gerado nesta comunidade e nossa obra é um legado da comunidade. A comunidade foi amadurecendo em sua espiritualidade, o que fez surgir para a Arca outras vocações. Minha vocação foi descoberta em meio aos trabalhos com a pastoral da Juventude, estar com eles me trouxe entusiasmo. Me envolvi onde me deu coragem para desvincular da família e do trabalho e da vida afetiva para ir em frente com a minha vocação. O padre Deonísio, do Sagrado Coração de Jesus, João Regis e Selma foram as pessoas que influenciaram na minha decisão sobre a vocação. Ademir Machado e Arnaldo, na época coordenadores da comunidade, foram faróis para o caminho da minha vocação, assim como algumas pessoas do Grupo de Oração que eu olhava e me inspirava para seguir.


Edição Especial Jubileu de Ouro

Pessoas importantes dessa história 50 anos de esperança no Senhor

Dom Francisco Carlos Bach Bispo Diocesano

Querido povo de Deus, que alegria saber que a Paróquia São João Batista está em festa comemorando neste ano os 50 anos de fundação de sua igreja matriz. Em verdade, são 50 anos de história, anos de vida, 50 anos de esperança no Senhor. Desde seus fundadores, Pe. Geraldo Dantas e de modo especial Genésio da Silva, além das demais lideranças, passando pelo Pe. Higino, Pe. Edson, Pe. Sérgio até hoje com o Pe. Eduardo Costa, esta comunidade brilha como farol no bairro Fátima, conduzindo todos ao porto seguro do “Cordeiro de Deus”. Sei que nestes 50 anos houve momentos de altos e baixos, próprios de todo caminho que se faz, ainda assim, tenho certeza de que se esta comunidade chegou a ser esta igreja vibrante e acolhedora, com tantas pastorais, movimentos e organismos, promovendo a vocação cristã e o apostolado, é porque sem dúvida tantas e tantas pessoas levaram a sério o convite do Senhor: “vem e segue-me” (cf. Mc 1,14-20). Enfim, irmãos e irmãs, desejo a todos vocês, membros dessa paróquia, a convicção do seu padroeiro, para que seguindo seu conselho, possam encontrar o Cristo, o único que “tem palavras de vida eterna” (cf. Jo 6,68).

Foi no dia 28 de agosto de 2005, uma semana após ter sido ordenado presbítero por Dom Orlando Brandes, que cheguei a Paróquia São João Batista como seu segundo pároco. Quê missão me fora confiada! Foi por necessidade que Dom Orlando me dera tal desafio. Na época, por faltar padre na diocese, coube-me ainda que sem experiência, a missão de ser pároco de uma grande paróquia, com todos os seus desafios eclesiais e sociais. Então, devagarinho, fui tomando consciência, do dom que estava em minhas mãos. E tentei, entre acertos e erros, ser um bom pároco, um bom pastor. E até hoje carrego em meu coração esse “meu primeiro amor”, a Paróquia São João Batista, e agradeço a todos aqueles que diretamente ou indiretamente, não só fazem parte dessa história eclesial, mas também parte da minha história vocacional. Por tudo isso, bendito seja o Senhor.

um encanto especial

Padre Sérgio da Silva

meu primeiro amor

Padre Edson Adolfo Deretti Reitor do Seminário Diocesano

A Paróquia São João Batista tem um encanto especial. Pude experimentá-lo em três fases da minha história vocacional. A primeira, quando seminarista, em 2003. A segunda a partir de agosto de 2005 a 2007 fazendo uma aprofundada experiência pastoral na região. Pude construir uma relação muito saudável e próxima de muitas boas famílias. Numa terceira fase, Deus me presenteou com um chamado a servir como pároco na Paróquia. De 2012 a início de 2014 pude retornar, agora como padre, para doar um pouco do meu ministério, aquela que ajudou-me muito na minha história vocacional. Os grupos de jovens e os retiros do REJAAF e AHARAY contribuíram com o protagonismo evangelizador. Desejo que os 50 anos desta Paróquia sejam bem celebrados e que fortaleça a unidade desse que é um povo amado, dinâmico, trabalhador, cheio de fé, de esperança e de caridade. Parabéns queridos e estimados paroquianos e a todos os que fizeram parte dessa rica história.

www.saojoaobatistadofatima.com.br

05


Nasce a paróquia são João Batista diÁCono nelson CaBral

Do Sagrado Coração de Jesus e da paróquia Nossa Senhora de Fátima nasce a paróquia São João Batista do bairro Fátima. No dia 1º de janeiro do ano 2000 com a oficialização da nova paróquia o padre Higino Rohdem passou a ser o primeiro pároco, devido a importância, a sua história, pois éramos sete comunidades, e já haveria uma grande importância de ter uma comunidade mãe, mais parte de seus filhos. tudo contribuiu para encaminhamento do processo, aos poucos se via vislumbrar ao alvorecer a nova paróquia, tínhamos uma liderança muito ativa, no trabalho e na oração, foram realizadas muitas reuniões com o bispo Dom Orlando Brandes, e nossas lideranças. Encontramos pessoas favoráveis e contrárias, mas tínhamos muita confiança pois se fosse a vontade de Deus, tudo daria certo. O nosso bispo da época, Dom Orlando Brandes, nos incentivou muito, lembro que ele falava “rezem, rezem que tudo tem a sua hora e vai dar certo”, pois ele tinha um objetivo, que era encurtar a distância entre as lideranças e o pároco. Ele falava que quanto menor a distância, melhor a dinamicidade e mais abertura para formar novas lideranças, sem contar com o atendimento pastoral mais qualificado e próximo. uma cOmunidade que tinha uma visãO Bem ampla em aJudar Os OutrOs mediante as suas necessidades Que alegria, somos uma paróquia! Nossa responsabilidade aumentou, precisamos de pessoas fortes, e Deus foi formando a equipe de trabalho tendo o

www.saojoaobatistadofatima.com.br

06

Sr. Nelson Cabral como o primeiro coordenador paroquial juntamente com sua equipe, onde todos procuravam ajudar uns aos outros com muito trabalho. na nOva etapa a cOmunidade sãO JOãO Batista, tOrnOu-se a sede parOquial Isso desafiou a comunidade, e sua nova coordenação do Consenho pastoral paroquial (Cpp) se sentiu responsável pelos primeiros passos para acolher a nova realidade paroquial. Já no início do primeiro ano, tivemos que construir a casa paroquial e mobiliar, para que o pároco e seminarista tivessem um lugar para ficar, foram dias de muitas dificuldades, mas foram superados. mudanças na paróquia Vimos durante todo este período uma comunidade que procurou fazer com que o evangelho chegasse a todos por palavras, gestos e ações. parabéns Comunidade São João Batista e paróquia, pelos cinquentenário alcançado. Caminhemos na certeza de que este é um projeto de Jesus, e que Ele contará com cada um de nós, que somos os seus operários. Juntos seremos fortes e venceremos todas as dificuldades, porque Deus está conosco e um dia colheremos os frutos que plantamos. Obrigado Senhor pelos cinquenta anos, e parabéns a toda paróquia pelo caminho trilhado até aqui!


Edição Especial Jubileu de Ouro

A história dos precursores

Carlos Alberto Machado dos Santos

Na década de 60 e 70 era muito precária, e no Fátima não era diferente, a rua Guanabara só existia até a esquina da rua Padre Augusto, onde o trânsito dava seguimento pela rua Marechal Luz, que por sua vez também fluía, o trânsito até a rua Jarivatuba e a rua Fátima iniciava na rua Florianópolis e também, rua Monsenhor Gercino. Nesta época a comunidade São João Batista se reunia em função da construção da primeira capela, porém era tudo muito difícil, pois para chegar até o terreno onde seria edificada a capela ainda não existia rua. Era um manguezal. Nesta ocasião meus pais (Ayres Machado dos Santos e Onesima dos Santos), cederam uma parte do que havia sobrado dos galpões de uma antiga cerâmica que era de meus avós paternos, para que fosse rezada a primeira missa, que deu então existência a comunidade São João Batista. Lembro-me que meus pais improvisaram alguns bancos de madeira, tudo muito desconfortável e aí então, padre Érico pode rezar a primeira missa. Esse padre fazia parte da Comunidade Sagrado Coração de Jesus da rua Inácio Bastos e na época também era também diretor do Colégio Celso Ramos. Nessa época era muito pequena a quantidade de padres, sendo que nas pequenas comunidades as missas presididas por padres eram de mês em mês e até mesmo de dois em dois meses, desta forma as próximas missas já puderam ser rezadas na primeira capela, pois o pessoal se reunia em mutirão e construíram em tempo recorde o que seria a primeira capela. Meu pai possuía um caminhão que fazia frete, sendo inclusive este o meio de subsistência da família, e aí nos finais de semana todos os vizinhos próximos organizavam-se em mutirão, onde se dirigiam até o início da rua Jarivatuba onde atualmente acontece todos os anos a encenação do Teatro da Paixão e daquela localidade tiravam barro (material de aterro) para então abrirem a rua Miosótis que dava acesso à capela e desta forma foram aterrando aos poucos o terreno em volta da capela. Foi realmente um trabalho de desbravadores, porém naquela época o pessoal não fazia corpo mole, todos se doavam com muito afinco e amor para que as coisas acontecessem.

Depoimentos Trabalhei como secretária da Matriz por 7 anos (2003), depois passei para secretária paroquial, mas mesmo assim acompanhando as atividades da Matriz no que diz respeito ao serviço da secretária. Fui paroquiana da comunidade matriz por muito tempo. Julgo importante alguns momentos onde foram criadas novas pastorais, a reestruturação das já existentes, evangelização de jovens e casais através de retiros (Rejaaf, Aharay, ECC, Pastoral Familiar) etc., missões redentoristas, início da reforma do centro pastoral que era um sonho e está se tornando realidade para melhor acolher os paroquianos em catequeses, reuniões, cursos, encontros e retiros. É difícil citar nomes de pessoas que contribuíram com a comunidade, a meu ver cada um que passou por aqui e serviu a comunidade através de alguma pastoral ou movimento, contribuiu para que ela seja o que é hoje, sem excluir os dizimistas, pois sem a devolução de seu dízimo não poderíamos ter chegado até aqui, tanto na parte material, como espiritual.

Lucinéia de França | Secretária Financeira Eu falo com muito amor e emoção da minha comunidade São João Batista. É com prazer imenso que participo desde 1967 quando eu era apenas uma criança. Meus pais fizeram parte dessa construção e de lá até agora faço parte desta família linda chamada São João Batista. Participei sempre de todo o crescimento da comunidade, ajudando com amor no que sempre foi preciso. Já fui catequista por 18 anos, já trabalhei com a IAM na comunidade e na paróquia e hoje ajudo na evangelização na rádio Arca da Aliança e com a liturgia. Tive alguns momentos tristes com a saídas de amigos que fizeram parte da minha história, por outro lado muitos outros momentos felizes, como por exemplo, a criação da Paróquia, pelos nossos seminaristas que se tornaram padres, pela ordenação diaconal de Nelson Cabral e Osvaldo da Maia. Pelos nossos pastores, hoje o nosso querido Padre Eduardo da Costa, todos os padre fizeram histórias aqui e caminharam conosco. Hoje temos uma atuação forte das famílias evangelizadas e que isso faça despertar em nossa comunidade mais vocação.

Maria Anelir da Costa | Paroquiana O Encontro de Casais com Cristo teve início no ano de 1970, idealizado pelo Pe. Alfonso Pastore. Foi implantado em nossa Paróquia no ano de 2003, sendo o ECC um serviço da Igreja em favor da evangelização das famílias, primeiro núcleo de enculturação e da evangelização, “Igreja doméstica” e “santuário da vida”. Procura construir o Reino de Deus aqui e agora, a partir da família, da comunidade paroquial, mostrando pistas para que os casais se reencontrem com eles mesmos, com os filhos, com a comunidade e, principalmente, com Cristo. Para isto, busca compreender o que é “Ser Igreja hoje” e de seu compromisso com a dignidade da pessoa humana e com a justiça social. O ECC tem um grande desempenho na comunidade desde então, são muitos casais encontristas hoje que desempenham vários trabalhos em pastorais, movimento e serviços da Igreja. São casais voltados para a vida familiar e comunitária.

Carlos Alberto da Silva | Coordenador do ECC www.saojoaobatistadofatima.com.br

07


Uma paróquia em constante construção

50 anos de transformações e encontros Aline de Araujo (com informações do Trabalho de conclusão do curso de Teologia do padre sérgio da silva)

Sempre houve no coração do povo o grande desejo de ter um encontro profundo com Deus e a vontade de levá-lo aos outros. Esse desejo sempre motivou a expressar a fé. Desde o início, quando a comunidade surgiu há 50 anos, os desbravadores buscaram organizar e rezar para erguer a primeira comunidade. Em meio a dificuldade da época, com a doação de dois lotes com lama e pouca área enxuta, os fiéis se reuniram para rezar o terço sentados no chão. As missas eram rezadas na olaria do casal, Ayres Machado e Onesima dos Santos. Os primeiros passos A dificuldade foi notória até mesmo depois de construída a primeira comunidade, onde os bancos eram os troncos de coqueiros. Com tantas pessoas, ao longo dos anos se comprometendo com a construção, logo decidiram o seu nome. Justamente por haver vários João’s na comunidade, o povo quis dar o nome de São João Batista. Logo, a comunidade ganhou a imagem do padroeiro, e celebrou uma bela missa festiva, presidida pelo Pe. Geraldo Dantas de Andrade, scj para acolher o santo e registrar o momento. Daí pra frente a comunidade cresceu. Em seguida, iniciaram os movimentos juvenis, também a catequese e liturgia começaram a ser uma expressão significativa. A Festa do Padroeiro começou a ser um marco na vida da comunidade. Todos juntos se empenhavam em fazer a festa acontecer com grande entusiasmo. Ainda hoje é preparada com grande carinho e alegria. Em 1977 nossa comunidade foi marcada pelas Missões Redentoristas, essas revigoraram as forças comunitárias. Dessas missões surgiram alguns movimentos e pastorais que visavam o fortalecimento comunitário e serviços sociais. No fim desse período, foi colocado em frente da igreja uma cruz de concreto. Após a cruz, plantada no pátio, foi celebrada a Santa Missa com os missionários. A experiência da transição Em 1983 a Comunidade São João Batista foi marcada por uma nova fase em sua história, passou a pertencer a nova Paróquia Nossa Senhora de Fátima – que até então pertencia ao Sagrado Coração de Jesus - e passou de uma comunidade Dehoniana para a diocesana, com o pároco Padre Higino Rohden. Momento de transição bastante sofrido, mas com o tempo se abriu a unidade e cowww.saojoaobatistadofatima.com.br

08

laboração da caminhada pastoral. Padre Higino fundou várias comunidades, foi um pároco muito trabalhador e com visão pastoral extraordinária e sempre se preocupou com o povo, principalmente os mais carentes. Sua vinda trouxe um novo vigor espiritual, deu aos paroquianos uma força propulsora. Muitas lideranças surgiram, a RCC encontrou sua força no Grupo de Oração, retiros de primeira experiência e cursos de evangelização. Novas famílias foram visitadas e cadastradas. Com a grande expansão territorial em 1985 a comunidade passou a abranger outros bairros. Em 1991 iniciou-se uma mudança nas estruturas da igreja, que foi repensada, o telhado foi renovado e um novo presbitério refeito. Nos meados de 92 e 93, Pe. Higino saiu em missão, e um novo pároco Pe. Bonifácio Buzzi, assumiu a Paróquia Nossa Senhora de Fátima. Nesse período com algumas dificuldades, as lideranças se mostraram unidas para resolver os problemas, isso fez a diferença, os catequistas sustentavam os trabalhos na comunidade evangelizando as crianças e adolescentes. Depois, Pe. Everton James Klapouch assumiu a paróquia, sempre acolhedor, todos elogiavam seu atendimento, Padre Higino trabalhava na paróquia como vigário. Em 1996 o GBR foi iniciado com fácil implantação, pois nesta fase nossa comunidade já viva uma etapa de evangelização nas casas, com encontros para rezar o Santo Terço e novenas. O GBR veio dar centralidade da Palavra de Deus nos encontros, e surgiu a iniciativa de maio: o “Caminhando com Maria”.


Fortalecimento das pastorais

Elevação da paróquia Pe. Higino começou a perceber a necessidade de intensificar os atendimentos nas comunidades, que nesse período já eram quatro: São João Batista, São Francisco de Assis, Nossa Senhora da Paz e Santa Edwiges. Então, por volta de 1999 iniciaramse os preparativos para a criação da nova paróquia. No dia 1º de janeiro de 2000, com a presença de Dom Orlando Brandes, a nova Paróquia São João Batista foi elevada e Padre Higino Rodhen foi o primeiro pároco. Tornada paróquia foi exponencial o crescimento das pastorais e trabalhos de evangelização, principalmente a Pastoral do Dízimo, assim também, foi preciso arrumar as dependências da igreja: foram construídas as torres, um trabalho de paisagismo no pátio e a reforma da casa paroquial. Em 2002, Padre Vilcinei Clarindo chegou na comunidade, porque nesta época a paróquia foi dividida em dois setores, e estava com sete comunidades mais a comunidade matriz. Os Padres Vilcinei e Higino, se dividiram nos atendimentos pastorais e nas missas dos dois setores. Noutro período, em que Pe. Nei foi pároco, o ECC foi trazido, e os casais, a família, tiveram força na liturgia e nas pastorais. Em 2005, assumiu o recém ordenado Pe. Edson Adolfo Deretti, juntamente ao Pe. Higino deu continuidade aos trabalhos paroquiais. Pe. Edson assumiu com coragem a nova experiência, de coração aberto conquistou nossas lideranças e começaram os projetos diocesanos. Foi um tempo de formação e mudança na catequese; o catecumenato foi iniciado por ele e nossa paróquia começou um trabalho pioneiro na diocese. Padre Edson também tinha uma visão para o crescimento físico de nossas comunidades, iniciou o processo de regulamentação dos terrenos de nossas comunidades e compras de outros terrenos para instalações futuras. Sempre acolheu nosso povo com muito compromisso e amor pela Igreja.

Em 2012, Padre Sérgio da Silva assumiu a Paróquia. Em sua gestão, fez crescer muitas pastorais que estavam enfraquecidas. Iniciou a Pastoral da Pessoa Idosa. O Dízimo começou um novo trabalho, mais efetivo, dinâmico e motivador, com isso os dízimos de todas as comunidades cresceram, sempre em parceria com o padre os agentes do dízimo. Sempre disposto a trabalhar em unidade com os jovens, Pe. Sérgio viveu cada retiro junto a juventude. Sua presença na Jornada Mundial da Juventude fez toda a diferença, os jovens se sentiram seguros e orientados. Na missa Solene de São Pedro e São Paulo, em 2014, Padre Sergio deu a bênção na pedra fundamental que deu início a segunda etapa do centro pastoral Padre Higino Rodhen. Nesta festa também aconteceu a despedida do Padre. Foi um dia de grande emoção para todos os paroquianos. Os dias atuais No dia 6 de julho de 2014, Padre Eduardo tomou posse. O povo já estava familiarizado com ele, pois estava na paróquia como vigário. Padre Eduardo sempre procurou tratar as lideranças com muita igualdade e respeito. A Semana de Estudo foi uma de suas iniciativas para proporcionar ao povo mais conhecimento e procurou trazer assuntos pertinentes e de grande importância para os fiéis. Em 2014 ainda, deu-se início ao Centro Pastoral, um sonho de muitos anos. No ano seguinte mais uma alegria para a paróquia, no dia 7 de fevereiro de 2015 a Comunidade São Francisco foi elevada à paróquia. Foi um momento muito importante, pois a primeira comunidade criada pela expansão do bairro na época, estava tronando-se paróquia. O povo e as lideranças comemoraram esse momento tão significativo. Após essa separação, a Paróquia São João Batista ficou com três comunidades: a Matriz, Nossa Senhora da Paz e Santa Edwiges. Foi uma restruturação e um momento de união entre lideranças. União entre as comunidades que segue até os dias de hoje, em que pastorais, movimentos e serviços seguem no mesmo ritmo.

www.saojoaobatistadofatima.com.br

09


Linha do tempo pRIMEIRA MISSA CELEBRADA NO CHãO DA IGREJA, pELO pE. ÉRICO JOãO AHLER

INÍCIO DO GRUpO DE JOVENS JUSB A COMUNIDADE pASSOU DE DEHONIANA pARA DIOCESANA, COM O pÁROCO pADRE HIGINO ROHDEN, A COMUNIDADE N. SRA. DE FÁtIMA pASSOU A SER MAtRIZ E A SEDE pAROQUIAL. A pARÓQUIA SãO JOãO BAtIStA FOI ELEVADA E tEVE pADRE HIGINO RODHEN COMO O pRIMEIRO pÁROCO

pADRE VILCINEI ASSUMIU COMO NOVO pÁROCO

pADRE JOELSIO BENINCÁ CONtINUOU OS pROJEtOS DO pADRE EDSON pADRE SÉRGIO ABENçOOU A pEDRA FUNDAMENtAL QUE DEU INÍCIO A SEGUNDA EtApA DO CENtRO pAStORAL pADRE HIGINO RODHEN A pARÓQUIA tEVE SUA pRIMEIRA COMUNIDADE (SÃO FRANCISCO) ELEVADA À pARÓQUIA

www.saojoaobatistadofatima.com.br

LIpEZA DO tERRENO DA COMUNIDADE SãO JOãO BAtIStA

A COMUNIDADE FOI pRESENtEADA COM A IMAGEM DO pADROEIRO SãO JOãO BAtIStA CONStRUçãO DA CRUZ DE CONCREtO NA FRENtE DA IGREJA

O pADRE BONIFÁCIO BUZZI ASSUMIU A pARÓQUIA NOSSA SENHORA DE FÁtIMA pADRE VILCINEI CLARINDO CHEGOU NA COMUNIDADE pARA AJUDAR NO AtENDIMENtO

ASSUMIU COMO pÁROCO O pADRE. EDSON ADOLFO DEREttI

pADRE SÉRGIO DA SILVA ASSUMIU A pARÓQUIA

pADRE EDUARDO tOMOU pOSSE COMO pÁROCO EM JULHO DE 2014

UM NOVO CAMINHO COM tRÊS COMUNIDADES: MAtRIZ, NOSSA SENHORA DA pAZ E SANtA EDWIGES

10


Edição Especial Jubileu de Ouro

A presença jovem na comunidade No ano de 1967 foi inaugurada no bairro Fátima a comunidade católica São João Batista. Após todo o processo de organização uma Irmã da Congregação Divina Providência dá início a primeira pastoral da comunidade. A Ir. Blandina Loch cria a pastoral jovem, o grupo de jovens JUSB (Jovens Unidos São João Batista), hoje o Leões de Judá, está com 47 anos de existência sem nunca ter sido interrompido. Antes da criação do grupo a comunidade se juntava para rezar missas e terços num velho galpão. A Irmã Blandina veio dar início a um sonho vivido até os dias de hoje em nossa comunidade. Atualmente temos uma juventude muito bem inserida na paróquia. Irmã Blandina veio fundar uma das primeiras pastorais jovem, após essa fundação muitas outras pastorais foram se formando e assim os jovens foram ocupando mais espaços dentro da Igreja. Hoje temos jovens na liturgia, pastorais, movimentos e serviços. Com nosso jeito de trabalhar, criar, organizar e coordenar, estamos sempre dispostos a evangelizar outros jovens.

Sabemos que o mundo também proporciona muitas coisas novas, diferentes e atraentes para as pessoas que ainda não conhecem Deus. Nós jovens cristãos também queremos ser ousados, autênticos e diferentes, precisamos mostrar que mesmo dentro da Igreja servindo ao Senhor, somos jovens: com jeito jovem, com cara jovem, mas buscando o Amor de Deus!

Baseado nessa forma de “Ser santo sem deixar de ser jovem’’ o núcleo jovem se reúne mensalmente para rezar, pensar e organizar eventos atraentes para a juventude. Desses nossos encontros mensais, muitos eventos já foram realizados. Neste ano já realizamos eventos como: festa Havaiana, gincana da juventude, festa julina e agora estamos trabalhando para 3° edição do Retiro de Espiritualidade “Sois Fortes”. Em todos os eventos procuramos ter momentos de animação, pregação, oração e Adoração ao Santíssimo Sacramento. Essa é a nossa forma de levar Deus para todos os jovens. Temos também o movimento chamado Rejaaf e Aharay, sonhado no ano de 2007, o Rejaaf (Retiro Jovens Amigos no Amor Fraterno), foi fundado por lideranças da época, até hoje ativo na nossa comunidade. Muitos jovens conheceram o Amor de Deus nesse retiro, muitos jovens continuaram perseverantes por essas formas de evangelização. Foi preciso que alguém plantasse uma sementinha há 50 anos atrás para que todas essas formas de evangelizações continuassem. Em toda essa história de Paroquia São João Batista, os jovens continuam inseridos, estamos com as portas bem abertas para acolher, e evangelizar. Que cada dia possamos ser mais

ousados na forma de evangelizar e cativar os jovens, que possamos ser como a religiosa Irmã Blandinha, os semeadores de hoje para acolher os frutos amanhã. O grupo de Oração Jovem, assim hoje chamado, está evangelizando os futuros líderes, futuros coordenadores de núcleos e de pastorais, futuros servos de nossa Igreja. Assim permaneceremos uma Igreja viva e linda como tem sido esses 50 anos. Paróquia São João Batista, nossos jovens têm carinho por essa Igreja!

Giovane Loureiro Coordenador Paroquial da Juventude

www.saojoaobatistadofatima.com.br

11


Futuro da comunidade nelson Batista rodrigues

Nossa comunidade, nos últimos anos, está ampliando o Centro pastoral padre Higino Rodhen e essa obra nos encoraja a continuar, depois de encerrada essa etapa do projeto, a próxima fase. Cada vez mais comprometida com a evangelização, nossas pastorais dinamizam seus trabalhos que, por sinal, sempre foram realizados com muito empenho e amor. A pastoral do dízimo tem feito um ótimo trabalho de evangelização com nossos dizimistas, e percebemos isso através do aumento do dízimo. Quando o povo contribui conscientemente com o seu dízimo, isso faz a comunidade crescer. para os próximos anos, nosso objetivo é ver esta etapa da nossa construção quitada, para que, assim que possível, possamos continuar a segunda parte do projeto, compreendendo a nova cozinha e o espaço para festas e concentrações, pois desde já, percebemos que a comunidade precisará de um espaço moderno e agradável para realizar suas festas do padroeiro e seus encontros. Dispor de espaços adequados ajuda na evangelização, que é a nossa causa principal, a missão da Igreja deixada por Jesus Cristo. A comunidade merece ter um espaço digno e confortável para as ações pastorais. Nossa comunidade está em constante trabalho de evangelização, temos esse compromisso com os irmãos. Eu vejo um futuro de muito trabalho tanto para melhorias no patrimônio da igreja quanto para a evangelização, o que estamos plantando hoje, novas lideranças colherão num futuro próximo. teremos mais famílias evangelizadas e comprometidas com a palavra de Deus, novas lideranças indo ao encontro dos irmãos. Quem sabe pra frente poderemos ter mais uma comunidade para que a Igreja esteja mais perto de nossos irmãos. A Comunidade São João Batista tem muito a fazer para o futuro. Uma comunidade que sempre inova e busca cada vez mais se aprofundar na palavra de Deus acredito que sempre estaremos indo ao encontro dos necessitados.

www.saojoaobatistadofatima.com.br

12


Edição Especial Jubileu de Ouro

Devoção a São João Batista Nossa Comunidade está comemorando 50 anos de fundação e tem como padroeiro aquele que veio para anuncar o Salvador. João Batista é o precursor humilde e sábio filho de Zacarias e Izabel, seu nascimento foi um milagre do Espírito Santo, pois sua mãe era estéril. Batizava nas águas do Rio Jordão, ensinando o caminho que iria nos levar aquele que nos deu a vida “ o Cristo”.

Nesses três anos de caminhada junto à comunidade São João Batista, buscamos viver aquilo que ele viveu, anunciando Jesus as pessoas. Que São João Batista interceda por nós, nossas famílias e nossa comunidade, para seguirmos no caminho de Jesus, firmes com fé, esperança e muito amor, nos dedicando ao próximo como a nós mesmos. “Eu vos batizo com água em sinal de penitência, mas aquele que virá depois de mim é mais poderoso do que eu, ele vos batizará no Espírito Santos” ( Mt 3,11)

Elaine C. Borges e Dair M. dos Santos Coordenadores da Pastoral Familiar

Obras físicas e espirituais Uma comunidade cristã não é algo estático, que não muda. Pelo contrário, cresce e transforma seu entorno, a região onde se encontra. Assim também aconteceu com a comunidade São João Batista. Desde seu princípio, a comunidade demonstrou uma notável capacidade de crescimento e transformação, que pode ser percebida, nesses 50 anos, pelas suas obras físicas e espirituais. A primeira das obras espirituais, pode-se dizer, foi realizada pelo próprio Deus, que através do seu Santo Espírito, incutiu no coração de um grupo de pessoas o desejo de construir uma comunidade de fé. Foi dessa obra criadora que surgiu, antes de qualquer obra física, a comunidade São João Batista. Naturalmente, veio a necessidade de um local apropriado para reunir as pessoas da comunidade e celebrar as missas, surgindo então a primeira obra física da comunidade – um rancho – em 1967, onde então se celebrava mensalmente as missas. Uma capela só seria construída algum tempo depois, entre 1968 e 1969, servindo não só para as missas, mas para todas as atividades da comunidade, inclusive festas. Em 1977, é iniciada a construção de uma igreja maior, que praticamente se mantém até hoje. No final dos anos 90, iniciou-se a construção do centro comunitário. Em 2000, a fachada da igreja é remodelada, devido a cria-

APOIO

ção da paróquia e a transformação da comunidade em matriz. Atualmente, o centro comunitário está sendo totalmente reformado e ampliado desde 2014, para acomodar melhor todas as pastorais e movimentos que atuam na comunidade. O crescimento físico certamente foi impulsionado pelo crescimento espiritual e pastoral que notoriamente caracterizou a comunidade São João Batista. No período de 1966 a 1977, as obras espirituais estavam mais direcionadas para a consolidação da comunidade. Com as missões redentoristas, em 1977, há um impulso que amplia as obras espirituais presentes na comunidade. Depois das missões, por exemplo, surgiu a liga de mães, um movimento que organizou e ajudou mulheres da comunidade até 1990. E ao longo desses anos, podemos destacar também o surgimento da Renovação Carismática e dos GBR, nos anos 80, além de iniciativas como o programa de rádio O Semeador, Caminhando com Maria e Palavra Santa. Todas essas obras mostra o dinamismo da comunidade São João Batista e seu compromisso com a evangelização e com a caridade, buscando ser cada vez mais um sinal do Reino de Deus onde se encontra.

APOIO

Luciano de Araujo

APOIO

www.saojoaobatistadofatima.com.br

13


A importância dos Grupos de reflexão salete godoY

É através de simples palavras que venho expressar a significativa importância dos Grupos Bíblicos de Reflexão. Esta pastoral é muito atraente, tem como objetivo partilhar a palavra de Deus com as famílias. Causando um grande impacto no relacionamento dia a dia entre os vizinhos, pois é através dos encontros que aprendemos o valor da simplicidade e humildade. Neles rezamos, meditamos e podemos ver o poder da palavra de Deus agindo em nossas vidas. Sem dúvida a pastoral dos Grupos Bíblicos de Reflexão é vista por mim e por todos com imenso carinho e amor.

O Apostolado da Oração tem um papel fundamental em nossa paróquia, onde as pessoas são acolhidas e formadas para serem membros vivos da Igreja, vivendo e propagando a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. É a união dos fiéis, que por meio do oferecimento diário de si mesmos, se unem ao Sacrifício Eucarístico, e desta forma rezam unidos ao papa, pelas intenções universais da Igreja, colaborando assim, na salvação do mundo. participam da Espiritualidade Eucarística que brota do coração de Jesus e os convida a viverem uma amizade pessoal com Ele, unindo-se ao Seu Sagrado Coração, praticando diversas formas de orações: agradecendo, louvando, perdoando, silenciando, cantando, partilhando a palavra, celebrando juntos entre si e unidos a Cristo. O Apostolado da Oracão teve início na comunidade em março de 2001, com total apoio do padre Vilcinei Clarindo (padre Nei) e teve como primeira coordenadora a Dona Zita B. peixer, vice Dona Neusa, secretária Dona Odete e tesoureira Dona Dorvalina, que, com dedicação e carinho perseveraram no amor ao Sagrado Coração de Jesus.

www.saojoaobatistadofatima.com.br

14

Na verdade, esta pastoral já existe a alguns anos através dos Grupos de Orações que também aconteciam uma vez na semana em casas aleatórias, porém, hoje é uma versão mais elaborada, usamos livros criados pela diocese que nos auxiliam como forte ferramenta quanto a reflexão e questionamentos da palavra de Deus. também temos dois grandes eventos anuais, o Caminhando com Maria e a palavra Santa. E foi em 1998 com as Santas Missões populares que iniciou o Caminhando com Maria, este evento se encerra no mês de maio com um ato de muito amor e devoção que é a coroação de Nossa Senhora. E logo após, em setembro, mesmo cansados nossos animadores realizam com muita fé e coragem a palavra Santa, um evento super especial que dá ênfase a bíblia. para firmar ainda mais nosso compromisso com Deus, com a Igreja e a comunidade também realizamos as missas nas casas uma vez no mês, esse é um momento muito gratificante e único para todos do Grupo de Reflexão e para os visitantes, pois Deus está vivo em nosso meio sempre, mas cada casa que ele visita é benção sobre benção. Enfim, o Grupo de Reflexão é a igreja nas casas, a catequese em família e um meio de nos aproximar de Deus e dos outros através da palavra e reflexão.

A importância do apostolado da Oração na comunidade lÚCia MatKeViCZ


EDIçãO ESpECIAL Jubileu de Ouro

CURIOSIDADE REFERENtES A COMUNIDADE SãO JOãO BAtIStA: Juventude A juventude desde o início assumiu a responsabilidade sobre a liturgia, coordenavam e animavam as celebrações, por algumas décadas. Nos eventos da comunidade, nas tradicionais festas de São João a juventude tinha a participação destacada, especialmente nas promoções dos bingos; A catequese da primeira eucaristia e crisma, também tinha a participação ativa como catequistas apoiando as ações da Igreja. Falando da Juventude, da sua estrutura de funcionamento, destacamos a participação de um casal assistente, Antônio da Silva e sua esposa Maria Miguel, que acompanhavam as ações do grupo, casal este que até hoje participa ativamente na comunidade. cOmunidade arca da aliança Destacamos a história onde nasceu o projeto Arca da Aliança. O então jovem Elias Dimas dos Santos integrava o grupo de jovens da comunidade. pela sua liderança e atuação despertou em outros jovens o desejo de viverem uma vida consagrada em comunidade. pais na catequese As reuniões de pais da catequese sempre foram prestigiadas e um fato relevante é quando o então Bispo Dom Gregório Warmeling convidado para palestrar aos pais em uma das reuniões, ficou surpreso pelo número de pais presentes que lotou a Igreja, obrigando os catequistas a buscarem as cadeiras das salas de catequese Outro fato relevante, era a parceria da Igreja com a Escola prof. Edgar Castalheira, que sedia suas instalações para que fossem realizadas as aulas de catequese de Crisma nos finais de semana. Situação decorrente da falta de espaço na Igreja, por sua precariedade na época.

VOCÊ saBia?

adeMir ViCente MaChado

participaçãO parOquial Até 1982 nossa comunidade integrava a paróquia Sagrado Coração de Jesus, os padres Dehonianos foram responsáveis diretamente pela criação da comunidade São João Batista; * A partir de 1983, ocasião em que foi criada a paroquia Nossa Senhora de Fátima do Itaum, passamos a integrar essa nova paróquia, com participação destacada nas ações das diversas pastorais. pastOral antialcOólica Em 1992 por iniciativa do Conselho Comunitário, iniciou-se uma ação de apoio as pessoas com dependência alcoólica, coordenada pelo Senhor Luiz Carlos Sales, denominado AAA. Do trabalho realizado e pelos resultados alcançados de apoio às famílias, motivou o então Bispo Diocesano Dom Orlando Brandes, a considerar a importância deste trabalho, que também acontecia em outras comunidades na Diocese, oficializando a pastoral Antialcoólica. praça padre ÉricO haller A primeira Missa celebrada para o início da comunidade em 1967, foi presidida pelo padre Érico, que hoje leva o seu nome eternizado na unica praça no Bairro Fátima.

www.saojoaobatistadofatima.com.br

15


Sinara Angelica A Igreja em todo Brasil se prepara em sentinela para receber a visita da fac-símile Mãe Aparecida. A proposta é que o Brasil caminhe, com a Mãe, até a comemoração do ano Jubilar e permaneça na graça e no amparo materno. A primeira cidade a recebê-la foi Cuiabá (MT), em maio 2014, desde então a Senhora Aparecida tem levado o amparo e o conforto aos devotos. São mais de 250 dioceses e arquidioceses que receberão esta visita até outubro de 2017. Foi com este carinho de mãe que esta história começou em 1717, quando três pescadores foram encarregados de trazer uma grande quantidade de peixes por ocasião da visita do governador da capitania de São Paulo e Minas Os pescadores amedrontados, pois a pesca era escassa, partiram rumo ao Porto de Itaguaçu. A primeira pesca trouxe nas redes o corpo de uma imagem quebrada na altura do pescoço. No segundo lance

de rede os três pescadores encontram a cabeça da imagem. Como mistério de Deus, uniram as partes encontradas e viram a imagem de Nossa Senhora da Conceição. Esta ocasião trouxe a credibilidade no amor de Deus, e a pesca de peixes foi abundante e os pescadores reconhecem a ação de Deus neste singelo momento. Deu-se então o nome a esta imagem de Nossa Senhora Conceição Aparecida. Nome proclamado pela devoção popular. Foi Proclamada rainha em 1904, e padroeira do Brasil em 1930. Em 1955 iniciou a construção do novo Santuário. Em 1960 Aparecida recebeu a visita do Cardeal Montini, futuro Papa Paulo VI. Em 1972 foi inaugurada a passarela que liga o Santuário ao centro antigo de Aparecida. Em 1980 O Papa João Paulo II visitou a cidade de Aparecida. Em 1985 realizou-se o Congresso Eucarístico Nacional em Aparecida. Em 2005 foi inaugurada a TV Aparecida. Em 2007 Aparecida recebeu a visita do Papa Bento XVI e a 5ª Conferencia do Episcopado da América Latina. E então, em 2013 o Papa Francisco visitou a casa da Mãe Aparecida!

Revista O Anunciador - Edição outubro de 2017  
Advertisement